2018: Vestibular Político

13 de dezembro de 2017

O ouro perde o brilho


Antes do bitcoin ser a coqueluche do momento, o ouro era considerado o porto seguro. Não que não seja mais, afinal tem uma tradição milenar, mas as cryptocurrencies passaram a chamar toda a atenção. Durante 2017 comentei diversas vezes sobre essa nova tendência e tenho o meu veredito sobre o assunto: Trata-se de uma bolha, a maior da história.

Toda essa frenesia vem da Ásia, onde a Coreia do Sul ganha destaque. Naquele país a abertura de uma conta tem ágio que varia de 15% a 25%, e vários casos foram reportados de pessoas vendendo seus ativos para dar uma “especuladinha” nesse mercado. Agora o bitcoin está cotado a U$ 16.700. Esse preço não é garantia de nada, com uma volatilidade superior a 100%, tudo é possível.

No post de 2019 farei uma comparação com as cotações de hoje, e não tenho a menor ideia de quanto poderá estar valendo: entre U$ 100.000 a U$ 15,00! Como costumo dizer, Let´s the market speak!

No post o-ouro-vai-virar-pó, tinha uma visão que em algum momento o metal passaria a subir, minha dúvida é se seria a partir do nível de U$ 1.100 ou U$ 900 ...” se encontra muito próximo a US$ 1.100 ... ...” já a segunda marca à US$ 900, deveria conter a queda. Do pico atingido, é aproximadamente 50% de retração, um descontão! Aí, vamos tomar coragem e comprar” ...


O ano de 2017 deu uma falsa esperança para quem acreditava que o momento do ouro tinha chegado. Me recordo ter trocado diversas provocações com um leitor com visão altista. Em termos de trade foram somente dois durante o ano, um na compra e outro na venda, ambos malsucedidos. Essa é a famosa situação que meu ex-sócio da Linear dizia: “ o mercado está tão ruim que os comprados e vendidos perdem dinheiro”.

Acredito que 2018 não deverá ser muito diferente, pelo menos no cenário que considero mais provável. Veja a seguir minhas hipóteses.


O intervalo entre U$ 1.050 e U$ 1.400 são delimitadores. O que quero dizer com isso é que, precisam ser rompidos para que uma nova sequência seja estabelecida. No meu cenário predileto (1), o ouro incialmente romperia a parte inferior para atingir uma nova mínima ao redor de U$ 900, para só depois voltar a subir - um pouco parecido com o do ano anterior. Nessa situação não sei dizer se acontece em 2018 ou mais à frente. Quero ressaltar que é possível o rompimento inferior não acontecer, por exemplo, parando próximo de U$ 1.050, começando a alta a partir daí.

Um cenário alternativo contemplaria uma queda limitada - podendo ser a mencionada acima - para em seguida, o ouro romper o limite superior (2). Para os céticos no metal queria lembrar que ainda existem muitos simpatizantes que acreditam ser esse ativo, um porto seguro. Basta a inflação subir mais que o FED ou ECB preveem ou um fiasco no bitcoin, para agregar novos adeptos.

No curto prazo mantemos uma posição vendida no ouro iniciada no post,  onde fiz os seguintes comentários: ...” Vou propor um trade de venda ao nível atual de U$ 1.255 com stoploss a U$ 1.275. Como apontei na figura abaixo tenho dois objetivos o primeiro a U$ 1.200 e o segundo a U$ 1.120” ...


- David, mas essa queda não poderia levar o ouro até U$ 900 como é seu cenário predileto?
Meu amigo, primeiro que os níveis expostos nesse post são de longo prazo, e devem ter uma maturação longa, o que nem sempre é o objetivo do trade proposto; depois quando você vai a “pescaria” sempre pense no peixe pequeno que quer pescar, se vier um grande ótimo! Hahaha ...

O SP500 fechou a 2.663, sem variação; o USDBRL a R$ 3,3108, com alta de 0,13%; o EURUSD a € 1,1824, com alta de 0,71%; e o ouro a U$ 1.255, com alta de 0,96%.


Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário