Inflação: A Revanche

22 de julho de 2015

Ladrões buscam novos empregos

Já não basta o desemprego que se espalha pela economia brasileira na maioria dos setores, uma nova categoria poderá se juntar a esse grupo, os ladrões. Não que a violência tenha diminuído, pelo contrário, a cada dia temos conhecimento de novas mortes por questões banais. Mas o motivo de minha chamada hoje, é função de uma nova ameaça que a tecnologia dos tempos atuais pode afetar a forma que os roubos são feitos.

A Chrysler nos USA, no intuito de modernizar a parte eletrônica de seus veículos, está vendendo carros com sistemas a bordo que possibilitam vários comandos a distância. Um grupo de hackers, usando um laptop e um telefone celular, acessaram um Jeep Cherokee. Com uma rede WiFi, tomaram controle e acidentaram o carro numa vala, 16 quilômetros de distância de seu sofá. Esse fato, deixou a empresa americana preocupada, pois já existe uma frota de 470.000 veículos com essa tecnologia sob risco.

Entenderam minha chamada? Daqui não muito tempo, os ladrões tradicionais de carros, ou terão que entrar num curso de informática ou perderão sua função, pois será muito mais simples e econômico para o ladrão, roubar seu carro com entrega ao novo comprador em sua porta, limpinho. A liquidação financeira, para não deixar suspeitas, será via Bitcoin. Tempos muito modernos!

Complementando o deck de informações para o pessoal de Washington, hoje foram publicados alguns dados que não vão na direção que o FED espera. O Instituto Gallup publica um índice de confiança econômica, e este vem caindo desde o final do ano passado, questionando se a retração vista no 1º trimestre, foi só por conta do frio.

Como consequência as vendas no varejo também tem tido uma performance pífia. Não se pode deixar de ter em mente que 70% do PIB americano é consumo.

Mas não precisam ficar preocupados, o FED vai subir os juros, acredito que agora não tem volta. O Mosca pode contribuir com os argumentos para os fatos acima, se os consumidores não saíram de casa no 1º trimestre por causa do frio, por que teriam que sair no 2º trimestre com tanto calor assim? Nietzsche! Hahahaha... 

Todos sabemos que a China é o maior detentor de títulos americanos do planeta, além é claro do próprio FED. Alguns meses eu publiquei num dos meus posts que a Bélgica tinha se tornado um dos grandes negociadores de títulos dos USA. Por algum tempo buscou-se saber quem estava por trás. China é claro! O mercado que não é bobo, já começou a montar suas estatísticas chinesas, incluindo a posição de títulos contabilizadas na Bélgica. Vejam no gráfico a seguir como faz todo o sentido.

O total de reservas chinesas acompanha muito de perto, a soma dos títulos declarados pelo governo na China mais os da Bélgica. O importante de tudo isso é que a China vendeu agressivamente US$ 107 bilhões de títulos americanos neste ano. Como contra partida, poderia se esperar que a moeda chinesa se desvalorizasse afinal, se todas do mundo estão porque ela não? 

Para tirar a prova dos nove, vejam como vem se comportando o Yuan, a moeda chinesa.
Desde de março uma oscilação entre a mínima e a máxima < 0,5%, ficou com inveja? Estratégias Chinesas!

E a bolsa americana, está dando um baile em todo mundo. Para a maioria dos marvels do mercado a queda está próxima e eles vêm se preparando para  tanto, montando estratégias para se beneficiarem deste movimento caso ocorra. No post 1-minuto-61-segundos, fiz os seguintes comentários: ...Ou o SP500 se recupera rapidamente, ou uma queda de proporções ainda incertas está para acontecer. Vale a pena ficar de olho frequentemente neste indicador. Mesmo que você não tenha nenhuma posição, poderá indicar um movimento de aversão ao risco. Se tiver posição, muito cuidado, se seu stop for executado, não faça nada depois, evite comprar por qualquer motivo... Vejam o que aconteceu depois disso.

Eu frisei acima em meu comentário, que ele precisaria se recuperar rapidamente  e foi o que aconteceu. E agora, pode-se apostar na alta? Nada mudou, estes podem ser movimentos de curto prazo e reverterem rapidamente. Basta você observar o gráfico e constatar como o mercado está indefinido, quer subir mas não consegue, mas também por enquanto não quer cair. E assim ficamos nós, esperando ele se definir, antes de se arriscar para qualquer lado.

O SP500 fechou a 2.114, com queda de 0,24%; o USDBRL a R$ 3,2228, com alta de 1,67%; o EURUSD 1,0933, sem variação; e o ouro a US$ 1.093, com queda de 0,65%.
Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário