Inflação: A Revanche

24 de julho de 2015

Safe Heaven Chinês?


Confesso que esta semana minha criatividade tem gerado ideias que beiram à fantasias. Mesmo correndo o risco de expor pensamentos que podem parecer estranhos, ou até mesmo ridículos, vou fazer. O julgamento deixo a cada um de vocês!

No post fed-cheers, mostrei minha preocupação na evolução dos preços das commodities e que impacto isso poderia ter na decisão do FED. Ontem tive acesso ao último relatório do analista Lance Roberts, com título compatível com minhas dúvidas "Who´s is right - Commodities or the FED'. Sem entrar muito nos detalhes uma vez que seria uma repetição de assunto, em seu ponto de vista, o FED perdeu o momento para subir os juros em junho, ao se influenciar pelo baixo PIB do 1º trimestre.

Ele acrescenta um gráfico sugerindo que quedas nos preços de commodities da magnitude da atual, na maioria dos casos, precederam a momentos recessivos.


Hoje na Ásia foi publicado o PMI da China, e não foi nada positivo, ficou em 48.2, conforme pode-se ver sua evolução no gráfico a seguir. Lembra-se que, níveis abaixo de 50 indicam contração.

Os detalhes deste relatório foram considerados horríveis, pois o setor de manufatura de uma forma geral está contraindo. Como consequência as commodities continuaram seu movimento de queda, empurrando as moedas que estão expostas a novas mínimas, como o dólar australiano, canadense e assemelhados (inclusive o real).

O último dado sobre o PIB Chinês aponta um crescimento de 7% a.a. exatamente de acordo com o que eles projetam, mas dizem as más-línguas que na verdade o número está mais para 5% a.a. Em quem confiar, nos números publicados que podem estar sendo manipulados, ou nos preços das commodities que só têm a mão do mercado?

Desde que o Mosca existe, eu sempre coloquei que o risco de uma deflação era algo que apavora a todos, principalmente os BC's. Vários post escrevi sobre estas ameaças e nem gosto de pensar na ideia. Mas não tem esta, melhor pensar que ficar imobilizado.

Se por acaso estamos entrando num cenário como este, o que se poderia esperar dos ativos? Diz o livro texto de economia que nessas situações a única proteção são títulos do governo, mesmo com juros baixos, ou até sem juros nenhum. O motivo é que se os preços de tudo caem, quem tem estes títulos comprará mais bens no futuro. O livro texto ainda diz que a moeda a ser escolhida é aquela em que se tem a maior confiabilidade, ou seja o 'dólar - dólar'.

Mostrei também esta semana que os Chineses venderam agressivamente este ano, títulos do governo americano e que o Yuan ficou estável quando todas as outras moedas estão em queda ladrões-buscam-novos-empregos.html. Voltando ao conceito do livro texto acima, o motivo que faz o dólar se valorizar nesse cenário, é que os investidores preocupados com seus investimentos no exterior, vendem a moeda desses países para comprar dólares. E quanto menos dólares esse país tiver, maior será a desvalorização dasua moeda.

Acontece que vivemos tempos muito diferentes, e esta teoria vale para condições normais onde os BC's têm reservas "razoáveis" de outras moedas. Mas este não é o caso atual, e principalmente no caso da China, que tem reservas acumuladas de US$ 4.000.000.000.000! Aí surgiu uma hipótese: E se a China ao invés de ver sua moeda desvalorizar resolve vender seus dólares, qual seria o impacto? Além do fato de essa ação segurar a desvalorização do Yuan, não tenho uma resposta do que é esperado além disso. Prometo voltar ao assunto.

- Epa, isso virou tele-novela de finanças?
Hahahaha... boa!

O real está superando o limite que estabeleci de R$ 3,32 e prefiro comentar na próxima semana, depois de analisar neste final de semana. Hoje o assunto será o Ibovespa. No post o-fantasma-de-1937, eu fiz os seguintes comentários: ...Passadas algumas semanas, a possibilidade de queda elevou-se, abrindo espaço para o índice buscar os 40.000 pontos que venho projetando. Não deve ser uma linha reta, mas um caminho mais tortuoso, como o apontado no gráfico acima. Para quem quer se aventurar na venda recomendo um stop a 58.000...
O nível de 40.000 torna-se cada dia mais factível, e como pode-se verificar no gráfico abaixo, poderá ser até um pouco inferior.
Como este processo ainda pode demorar alguns meses, os valores mais precisos serão melhor conhecidos mais adiante. Se você se aventurou na venda conforme minha sugestão, aperte os stops para o nível de entrada. Agora para aqueles que acreditam que já caiu muito e que estamos numa boa oportunidade de compra, como me foi indagado por um leitor, sugiro calma. Para esses mais afoitos e que normalmente usam a frase cliché/enganosa "quanto eu posso perder?". Minha resposta é lacônica, 100% do que você colocou! Hahahaha....

O SP500 fechou a 2079, com baixa de 1,07%; o USDBRL a R$ 3,3538, com alta de 1,88%; o EURUSD a 1,0988, sem alteração; e o ouro a US$ 1089, com alta de 0,72%.
fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário