Inflação: A Revanche

28 de julho de 2016

"dólar - dólar": What's next?

Fui por curiosidade verificar a previsão mais atualizada do PIB americano pelo FED de Atlanta e notei que agora está abixo de 1,8% para o 2º trimestre, que srá publicado amanhã. Será que os dados não gostaram da ata do FED? Hahaha... Amanhã checamos com o real.

O grande tema do Mosca em 2015 foi calcado na evolução do dólar nos mercados mundiais, mostrou-se acertado, dado o grande interesse que a moeda americana despertou quando o DXY – dólar index, atingiu o nível de 100.5 em março, e novamente em dezembro desse ano. Para 2016 no post US$- the return?, reiterei minha visão, mas com alguns percalços que poderiam acontecer, recomendo a sua leitura.

Nos três cenários que elenquei parece que o “By the books” está se materializando, depois de alguns meses de indefinição: ...” Neste cenário a economia americana entraria nos trilhos, sem muita euforia, mas caminhando positivamente. A Europa melhoraria também e a China passaria de uma super star, para um crescimento da ordem de 5% - 6%, ainda dando inveja à maioria dos outros países”... ...” O FED elevaria a taxa de juros para patamares mais decentes, mas nem de perto comparável aos níveis do passado, acima de 4% a.a, algo em torno de 2% - 3% a.a”... ...” O primeiro nível a 103, representa uma alta de 5,5% - EURUSD a 1,04. Já o segundo nível de 107, implicaria uma alta de 10% - EURUSD a 1,00. E por último, já quase disputando o próximo cenário, em 117 com expressiva alta de 20% - EURUSD a 0,92”...
 
A título comparativo, veja a seguir como o DXY se comportou nestes primeiros meses de 2016. Parece que o que eu havia projetado coincide exatamente até agora, com o movimento desse índice.


Em vários momentos este ano, nos meus posts expressei meu viés de alta no dólar. E mais recentemente um movimento de alta vem se materializando, mas ainda não se pode afirmar que essa correção terminou, ela pode ser mais complexa que aparenta até agora, e como vocês já sabem, tudo se pode esperar nas correções! 

No gráfico acima estão expostas minhas hipóteses para as próximas semanas ou meses. Como se pode verificar o DXY encontra-se no meio do caminho, ente o intervalo inferior 93 – 92, e o nível superior de 100,5. A linha em rosa espelha minha previsão mais factível, um sobe e desce no curto prazo, para finalmente romper a linha superior e buscar os níveis que apontei no post acima mencionado - 103 e depois 107. Notem também que coloquei um divisor com a palavra “atenção”, pode ser que a correção busque níveis ainda mais baixos e até 90 eu aceito sem problemas, abaixo disso é melhor revisar as hipóteses.

Fui convidado para fazer parte do comitê de investimentos da Wealth Management da RP Partners. Ontem foi a primeira reunião que participei e fiquei bem impressionado com a dinâmica que se realizou. Composta por vários economistas da velha e da nova guarda, um convidado com larga experiência em crédito bancário, eu e a equipe de relacionamento com os clientes, deu uma boa mistura, que é o nome que sugeri para esse grupo do Whatsapp – Mistura Fina, para quem já fumou, lembra do famoso cigarro come esse nome.

Fiquei com a responsabilidade de atualizar os estudos técnicos dado a ojeriza pelos participantes sobre o assunto, com exceção de um dos economistas que será meu parceiro nessa área. Não tem problema, o tempo está a nosso favor! Esse comentário deve-se a um aparte quando me perguntaram o que eu achava do Bovespa. Disse que tinha publicado a alguns dias que 57.000 era um nível muito importante, é tipo ou vai ou racha! Foi então que um dos participantes resolveu racionalizar como isso poderia se concretizar: Se o Temer fraquejasse, se o Congresso não aprovasse a PEC, e etc... Então ele me perguntou no que eu acreditava, minha resposta foi lacônica: “Não me interessa olho só os preços, está tudo embutido lá”. Acho que não gostou muito, mas já estou acostumado! Hahaha ...

O SP500 fechou a 2.170, com alta de 0,16%; o USDBRL a R$ 3,2950, com alta de 1,01%; o EURUSD a 1,1077, com alta de 0,19%; e o ouro a US$ 1.335, com queda de 0,26%.
Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário