Inflação: A Revanche

5 de dezembro de 2016

Tchau, tchau banbino


Não acredito que todos conheçam a música italiana, “Ciao, Ciao bambina”, que fez muito sucesso no início dos anos 60, cantada por Domenico Modugno. Fiz uma pequena adaptação no texto para dar adeus ao jovem Primeiro Ministro Italiano, Matteo Renzi, que anunciou a sua renúncia após ser derrotado no referendum italiano, realizado no último domingo.

Esse resultado infere em incerteza na Itália, a 4ª maior economia da união europeia, já que o bloco luta para reviver o crescimento e definir seu futuro. Tal renúncia pode abrir espaço à formação de um governo temporário e, possivelmente, a novas eleições parlamentares no próximo ano.

O maior beneficiário desse resultado é o movimento “cinco estrelas”, como eles mesmos se intitulam, cujo líder Beppe Grillo, um comediante popular que advoga mudanças mais radicais do que as propostas por Renzi, tal qual um referendum para consultar a saída da Itália da comunidade europeia, bem como a emissão de moeda própria. Uma pesquisa de opinião pública indica que aproximadamente 30% dos italianos dariam suporte aos candidatos desse partido caso a eleição fosse hoje.

Um simpatizante desse partido, Giampaolo Brunelli, disse ...” Renzi não fez muita coisa para mudar esse país, assim como todos os políticos antes dele” ... E é dessa forma que os países, pouco a pouco, clamam alterações da situação atual que vive o mundo, uma tendência inexorável de opção por candidatos de direita.

Mas, qual foi a reação do mercado? Conforme havia comentado (veja abaixo), não acreditava que o mercado seria pego de calça curta, e como indica o título de uma matéria publicada pela Bloomberg, ...”Italy Absorbed in 3 Minutes” ... A figura a seguir dá uma ideia clara de como se comparou esse evento com o Brexit e Trump.

 
A reação do euro não deixa dúvidas de como o mercado já estava preparado para esse resultado. Ao buscar as mínimas ao redor de 1,05 logo em seguida ao início das apurações do resultado, reverteu-se e agora se encontra acima de 1,07. A repetição da celebre frase cai no boato e sobe no fato.


Tudo isso serve como um alerta da alteração de postura por parte do mercado. Ele – o mercado- não se encontra mais parado, aguardando as mudanças acontecerem para em seguida se posicionar; já está fazendo em antecipação. Isso me leva a concluir que a volatilidade deverá retornar aos níveis mais “normais” do passado, ao invés da letargia, que se baseava no excesso de liquidez para apostar em juros mais baixos e bolsas em alta. Parece que a “direita” também está tomando conta dos mercados! Hahaha ...

No post tutti-buona-gente, fiz os seguintes comentários sobre o euro: ...” o mercado precisa de algum fato para que possa romper a marca do 1,05, e esse fato poderá ser o resultado do referendum no próximo domingo. Acho pouco provável que exista alguém apostando que o resultado será positivo desta vez, porque as pesquisas já apontam para esse resultado e, principalmente, duvido que o mercado seja pego de calça curta pela terceira vez” ...

Já em relação as possibilidades de trajetória para a moeda única, tinha traçado dois cenários possíveis conforme apontado no gráfico a seguir.


Fiz uma opção pelo cenário verde: ...” Depois de 20 meses num movimento de correção parece que o mais provável seja a alternativa verde. Você poderia se perguntar por qual razão o Mosca não embarca na venda e, “vamos que vamos”. Prefiro aguardar ou o rompimento ou uma recuperação para vender em níveis melhores. Talvez esteja sendo muito conservador, mas não se pode esquecer que no espaço de 3 semanas a moeda única caiu quase 7%” ...

Antes de continuar, quero aproveitar para corrigir um erro que cometi na postagem ao apontar a alternativa 2 (rosa), quando o correto é 1 (verde), uma vez que não correspondia a lógica que desenvolvi logo a seguir.

O movimento de hoje permitiu pistas importantes para o estabelecimento de estratégias de trade na moeda única. Usando uma lupa nas cotações (gráfico de 1 hora), identifiquei um movimento que pode estar indicando uma recuperação mais consistente da moeda única para algo em torno de 1,10. Ainda é cedo para estabelecer as condições do trade, mas fiquem de olho, pois devo fazê-las nos próximos dias.


Por outro lado, o que posso afirmar com mais certeza é que caso 1,05 seja rompido para baixo, vamos à venda.

Finalmente a moeda única será motivo de alegria para os traders, porque o final da longa correção de 20 meses se encontra próxima de terminar. O Mosca também clama por transformações com movimentos direcionais, chega de correção! Hahaha ...

O SP500 fechou a 2.204, com alta de 0,58%; o USDBRL a R$ 3,4201, com baixa de 1,58%; o EURUSD a 1,0761, com alta de 0,85%; e o ouro a US$ 1.170, com baixa de 0,56%.
Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário