2018: Vestibular Político

18 de junho de 2018

O teu cabelo não nega



Os comentários inicias são sobre a Copa do Mundo. Ao assistir as primeiras partidas fica claro que ser favorito não é condição suficiente para a vitória. Venho afirmando há um bom tempo que, o futebol se tronou um esporte de difícil prognostico haja visto a globalização dos jogadores, equilibrando de forma mais homogenia os diversos países. Não existe nenhum time onde pelo menos dois a três jogadores pertencem aos grandes times europeus.

Vou direto ao jogo do Brasil. Vou confessar que nunca fui um grande admirador do Neymar. Por favor me entendam bem, não que ele não seja um jogador fora de série, isso já demostrou que é, mas sim porque lhe falta inteligência emocional.

Nos meus tempos de Carnaval, uma marchinha dominava os bailes - O teu cabelo não nega. Neymar apareceu com aquele topete ridículo no jogo de ontem. Mas depois de refletir entendi que isso demostra sua fraqueza. Precisa chamar a atenção para si, uma enorme insegurança. Talvez depois de ter assistido a performance memorável de Cristiano Ronaldo, no espetáculo de jogo entre Espanha X Portugal, pensou, “vou mostrar quem é o melhor jogador do mundo”. Até entendo que não esteja em perfeitas condições físicas, no jogo buscou o tempo todo mostrar que é bom e não jogar pelo time.

Uma observação feita por Caio Ribeiro na Rede Globo resume bem essas ideias. Ele comentou que Neymar buscava provocar com dribles os adversários no meio de campo, ao invés de fazê-lo perto do gol. Essa jogada é totalmente inútil, além de correr o risco de sofrer um contra-ataque.

Se fosse possível fazer uma média dos scores individuais de cada jogador brasileiro, duvido que haja outra equipe com nota maior que a brasileira. Mas os outros times não jogam em função de um jogador, enquanto o Brasil joga em função do Neymar, como se fosse o salvador da pátria. Espero que o Tite, que é um excelente técnico, tenha coragem de substituir Neymar caso ele não atue para o time. Não é fácil, uma decisão para ele de alto risco, pois se não der certo será culpado por tira-lo de campo.

Neymar, o seu cabelo não nega, com diz a música. Espero que você cresça e evolua para aí sim, poder concorrer como o melhor do mundo. O meu conselho para você, é que se liberte do seu pai, acho que ele coloca muita minhoca na sua cabeça, com um espirito totalmente mercantilista. Basta ver a carreira de seus pares Messi e Cristiano Ronaldo, que ficaram em seus times por um longo período. Vamos Brassssssil!

As ações nas diversas bolsas internacionais caíram no início da semana, com o aumento das tensões comerciais entre os EUA e a China, que pesaram no apetite de risco dos investidores.
O Stoxx Europe 600 caiu 0,8% no início das negociações na Europa, puxado para baixo, pelas ações na Alemanha e na França. Isso se seguiu uma sessão pessimista na Ásia.

O presidente Donald Trump aprovou tarifas de 25% sobre os $ 50 bilhões de mercadorias chinesas na sexta-feira, levando as autoridades chinesas a reagir, anunciando que o país cobraria multas com mesma taxa sobre produtos americanos.

Os movimentos exacerbam as preocupações entre os investidores de que as duas maiores economias do mundo podem cair numa guerra comercial. Os crescentes atritos no comércio internacional nos últimos meses já incutiram incertezas nos mercados globais, que estão experimentando um de seus períodos mais voláteis em anos.

Preocupações sobre o destino do Acordo de Livre Comércio da América do Norte e as tarifas que o governo Trump impôs aos aliados europeus também estão aumentando a ansiedade dos investidores.

Observadores do mercado ainda esperam que os EUA e a China continuem conversando, e até agora as repercussões para o crescimento global são vistas como limitadas. Analistas do Deutsche Bank estimam que o impacto das tarifas norte-americanas anunciadas sobre a economia chinesa seria inferior a 0,1% do PIB da China neste ano.

No entanto, se os EUA impuserem novas tarifas, como já ameaçou Trump, o impacto aumentará para 0,3%, segundo o banco.

Os investidores esta semana também estão olhando para os bancos centrais para mais orientações sobre a política monetária depois que o Federal Reserve e o Banco Central Europeu realizaram reuniões na semana passada. Nos EUA, os mercados apostam que existe mais chance do Fed implementar mais duas altas ainda esse ano,


Em commodities, o petróleo Brent, a referência global do preço do petróleo, subiu 0,9%, com os investidores aguardando uma reunião de produtores chave entre a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e outros grandes fornecedores no final desta semana. Por outro lado, os produtos agrícolas de uma maneira global estão com as cotações mais baixas dos últimos 10 anos, influenciado pela ameaça da China em retaliar a soja e outros produtos importados dos EUA.


Talvez não seja coincidência que Trump também use um topete como o de Neymar, com diferentes formatos, mas com a mesmas intenções. A diferença é que o estrago do primeiro é muitas vezes superior!

No post politica-embaralhada, fiz os seguintes comentários sobre o dólar: ... “Caso o comportamento acontecer de acordo com o gráfico acima, tenderia a vender entre R$ 3,80 – R$ 3,85, com um stoploss a R$ 3,90” ...

Minhas análises rotineiras de final de semana indicam força do dólar de maneira generalizada. Assim pelo menos no curto prazo, essa deve ser a direção a tomar. No caso, em relação ao real, esse par poderá ter um período de consolidação, onde buscamos um trade contra a direção predominante. Com as negociações da última semana identifico uma oportunidade de venda do dólar conforme explicado no gráfico a seguir.

A minha ideia é vender dólar a R$ 3,80 com um stoploss a R$ 3,92, almejando um objetivo de resultado a R$ 3,65/R$ 3,60. Vocês devem fazer ½ do tamanho normal, pois se trata de um trade especulativo e contra a tendência reinante. Se tudo acontecer como o previsto, será interessante analisar o que acontecerá ao redor da região apontada acima – R$ 3,60/3,65. Existem outras possibilidades que não cobrirei no momento, por enquanto é isso que adianto.

Queria aproveitar para liquidar a posição de ouro a U$ 1.280 um pequeno prejuízo. Não gostei do que aconteceu na última sexta-feira. Abre-se uma outra possibilidade, que pode resultar em quedas do ouro a níveis mais baixos que eu imaginava. Na dúvida, prefiro ficar fora do mercado!

O SP500 fechou a 2.773, com queda de 0,21%; o USDBRL a R$ 3,7391, com alta de 0,26%; o EURUSD a 1,1614, sem variação; e o ouro a U$ 1.278, sem variação.

Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário