Inflação: A Revanche

13 de janeiro de 2017

Back to the Present


A partir de segunda-feira o Mosca retorna sua publicação diária. Depois de 4 semanas acompanhando os mercados de forma mais ampla, chega ao fim essa fase. Naturalmente a volta é difícil, o ser humano tem uma tendência de optar pelo mais fácil, confortável. Depois de ter pedalado mais de 500km, minha condição física surpreendeu. Porém tudo isso é de pouca valia aos meus leitores. Vamos lá, retornar ao dia a dia dos mercados.

Coletei alguns gráficos nesta última semana que achei interessante. O primeiro mostra que as coisas não estão tão mal na Europa, como o Mosca vem observando ultimamente. Agora, alguns analistas já apontam o ECB como Behind the Curve, o que eu também concordo.

 
O próximo mostra a variação de juros nos títulos soberanos de diversos países. Como se pode notar, a tendência é de queda generalizada, onde o Brazil é o recordista. Observo que está não é a taxa SELIC, mas das LTNs de 10 anos. Acredito que esse mesmo gráfico ao final de 2017 será bem diferente.


 A seguir se observa a variação das moedas que tiveram impacto desde a eleição de Trump. Acredito não ser necessária nenhuma explicação.


E por último, o custo de um filho americano de acordo com a faixa de renda dos pais. É um valor elevado e talvez seja a razão na diminuição no número de filhos.



Existe uma operação em aberto na compra de dólar e venda de euro, que se encontra muito próximo do stoploss. A moeda americana, desde os últimos dias do ano, vem perdendo força frente a todas as moedas. Mas esse assunto será tratado a partir da próxima semana.


O SP500 fechou a 2.274, com alta de 0,18%; o USDBRL a R$ 3,2205, com alta de 1,03%; o EURUSD a 1,0641, com alta de 0,23%; e o ouro a US$ 1.197, com alta de 0,14%.
Fiuqe ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário