2020: O risco vai compensar?

29 de dezembro de 2012

Previsão para o próximo ano



No início deste ano eu acreditava que em algum momento a onda B analise-técnica-101 terminaría, mas não foi o que aconteceu. Segundo a teoria de Elliot Wave, quando uma situação destas estiver ocorrendo tenha muito cuidado, espere mudanças repentinas, e oscilações fortes, o mercado caminha dois passos para frente e um a um e meio para trás,destruindo os resultados conquistados. Dentre os mercados que eu acompanho o SP500 se encontra neste estágio, e embora os outros mercados estejam em movimentos diferentes, é a bolsa que vem dando o tom nos mercados de risco.

No post que menciono acima, alertei que não dá para saber quando este movimento termina, existem alguns pontos mais prováveis, mas é só isto, apenas mais prováveis. Entretanto a onda C incia repentinamente, em sentido inverso, com uma configuração fulminante!
Outro fator que se deve levar em consideração é que quanto mais o tempo passar, maior será o tombo. Eu acredito que em 2.013 a onda C vai tomar as rédeas. Nossos trades serão principalmente na venda do SP500.

O lema será: HIT and RUN

- David, poderia explicar melhor o que significa?
Eu pensei bastante antes de usar este termo em inglês mas não consegui achar nenhum em português que tivesse este significado. A ideia é que, ao contrário da onda B, que vai caminhando lentamente e tirando os pessimistas da frente, a onda C joga um balde de água fria nos otimistas sem dar chance de reação, portanto tem que ser rápido, vendas a mercado, ação!

Veja abaixo o gráfico do SP500 com as ideias para 2.013, em diante.

Por enquanto não consigo dizer se a onda B já terminou ou não, precisaria mais evidencias que ainda não estão presentes. Nestas situações pode-se usar duas táticas, ou vende-se num determinado preço quando atingido, com um stop curto, ou aguardamos uma formação mínima de baixa, para vender depois. Como no primeiro caso os níveis são superiores ao do segundo, se houver prejuízo é menor. Não tem a melhor forma, tem aquela que se adéqua melhor a cada um. 

Por outro lado se algum leitor tiver uma carteira de ações, considere estas recomendações e analise se compensa o risco de continuar. O termino da onda C poderá ocorrer ao redor de 950 (em azul), ou mais profunda, abaixo de 660 (em vermelho), ambas com impacto muito expressivo. No primeiro caso com queda de 30% e no segundo superior a 50%, nada, nada, agradável!

O gráfico a seguir mostra três momentos durante estes últimos anos, onde parecia que a onda B havia terminado, todos possíveis em termos técnicos, mas em cada um deles houve intervenção do FED.


De certa forma, nossos maus resultados deste ano, foram consequência da continuidade do movimento, acarretando vários stops, com pequenos prejuízos. E enquanto a onda B não terminar devemos ter o mesmo cenário. Não vou entrar na onda de otimismo, ou por falta de opção, embarcar no risco.

Fique muito ligado!







Nenhum comentário:

Postar um comentário