2020: O risco vai compensar?

21 de dezembro de 2012

Apito final 20/12/2012


Hoje vou transcrever as previsões para 2.013 do economista David Rosenberg. Eu já o citei algumas vezes em meus posts uma vez que suas previsões dos últimos anos foram acertadas. Ele continua cauteloso pois acredita que o processo de desalavancagem ainda está seguindo seu curso, além do ceticismo em relação as ações do FED. Recomenda que os investimentos busquem segurança e renda, à preços razoáveis.
Vejam a seguir suas recomendações:

Continuamos num movimento clássico posterior a uma bolha, e as possibilidades são muito mais dispersas que as das últimas recuperações. Este continuara a ser o caso em 2.013 até que todos os grandes desequilíbrios sejam totalmente resolvidos.

O mundo continua com um excesso muito grande de mão-de-obra e produtos, assim os temas de desinflação continuara superando os de inflação.

O FED deve manter as taxas de juros próximo de 0% ate 2.018 ( destaque meu).

As tensões Geopolíticos no Oriente médio, a transição na China, os riscos de default Grego, aumento do desemprego dos jovens na Europa, e o embate entre China e Japão, fazem o investimento em matérias-primas um hedge contra estes riscos.

A auto suficiência americana no petróleo, mesmo que ainda seja uma previsão, tem implicações positivas para o ressurgimento da Industria.

O aumento de 2 bilhões de pessoas nos próximos 35 anos, significa uma necessidade adicional de 70% de alimentos. Uma revolução agrária ainda está engatinhando.

O SP500 fechou a .443, com alta de 0,55%; o real a R$ 2,0691, com baixa de 0,11; o euro a 1,3240, sem variação e o ouro a US$ 1.640, com queda de 0,43%.
Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário