Inflação: A Revanche

24 de fevereiro de 2015

Privacidade em cheque

Sem muitas vezes perceber, estes novos aplicativos instalados em nossos celulares, deixam aberta a nossa vida privada. O Google talvez seja o melhor exemplo, toda vez que você autoriza um novo aplicativo, aquela série de perguntas iniciais que respondemos aceito, vai permitir que o que você faz e por onde você anda, seja enviado para um banco de dados.

O motivo desta atitude é fundamentada no princípio que, ao saber seus gostos poderá direcionar melhor os produtos e assuntos que possam mais te interessar. Legal, mas se estes dados forem usados para outro fim? Você está de acordo em escancarar sua vida pessoal? Eu não sei vocês, mas eu preso muito minha privacidade, a decisão do que eu quero que vire público ou não, deve ser minha.

Inúmeros casos têm sido noticiados recentemente de roubos de dados por funcionários. deixando públicas informações consideradas sigilosas, como o caso de Edward Snowden, um profissional da área de informática, que roubou informações da CIA, revelando-as à imprensa. Eu sou totalmente contra o que ele fez. O fato das informações coletadas pela agência de inteligência americana serem questionáveis, não lhe dava o direito de quebrar um compromisso assumido sob sigilo. Se não concordava, que pedisse demissão.

Não vou entrar no mérito se os USA devem ou não fazer este tipo de espionagem, não sou entendido no assunto. Mas esse caso mostra, como o ser humano pode desviar dos princípios éticos, quando seu trabalho lhe dá algum tipo de poder. Ao usar dessa prerrogativa, satisfaz o seu ego, e atinge notoriedade sem que seja por suas qualidades.

Uma reportagem recente alertou para o fato de as TVs da Samsung mais recentes, podem ouvir suas conversas, além de compartilhar com terceiros a-very-slippery-slope-yes-your-samsung-smart-tv-can-listen-to-your-private-conversations. Agora é a vez da Mattel, fabricante da popular boneca Barbie, lançar uma nova versão high-tech. Esta nova boneca que contém um microfone, será conectada por Wi-Fi. Ao pressionar um botão na fivela, ela vai acordar, fazer uma pergunta e ligar o microfone.

A boneca é carregada com alguns scripts, e um deles é selecionado dependendo da interação com a criança. Fundamentalmente, o áudio gravado das crianças (e tudo o mais que passa a acontecer ao seu redor) é mantido nos computadores do fabricante. Ao comprar, o pai assina um termo autorizando esta interação, que visa uma série de coisas, inclusive disponibilizar aos pais, compartilhar tais gravações com terceiros.

O que vocês acham, compraria para sua filha ou neta? Estamos transformando nossa casa num Big Brother!

Como comentado ontem, vou abordar o real que anda caindo pelas tabelas. O tema de 2105 do Mosca já anunciou que será o ano do câmbio, e que a força ou fraqueza de nossa moeda, pode-se decompor em dois vetores: "dólar - dólar" e "Dilma". Vamos ver como cada uma delas vem se comportando recentemente.

No final de 2015 publiquei um post, 2015-será-um-ano-feliz?, onde fiz os seguintes comentários sobre o DXY - U.S. Dollar Index: ...pode-se esperar, um primeiro objetivo ao nível de 96 (9% de alta); ou 102 (15% de alta)... Hoje ele se encontra a 94.50. Vejamos o que se pode esperar no curto prazo.


Ainda estaria "faltando" aproximadamente 2% de alta para que aquele primeiro nível, apontado acima, fosse atingido. Isso pode combinar com meu trade de euro sugerido ontem, onde espero uma leve retração para comprar. Não esqueçam que, quase 60% do DXY, é impactado pela moeda europeia. Assim, "dólar - dólar" ainda terá uma pequena alta.

Já em relação a "Dilma", nem precisava gastar muito meu tempo, para verificar como o real vem performando em relação a seus pares emergentes. Basta ler as manchetes! Veja a seguir, como o real vem sofrendo, notem que uma alta da linha em vermelho significa uma melhora da moeda em questão e piora do real.



Com este quadro, como fica o USDBRL? Do ponto de vista técnico estamos num ponto importante no curto prazo: ou prestes a entrar num movimento de correção, com duração de algumas semanas; ou o movimento de alta seguirá rumo aos R$ 3,05/3,10.

- Ah David, Obrigado! O que eu faço, compro ou vendo?
Por enquanto nada! Eu já frisei várias vezes que análise técnica trabalha com probabilidades, e sempre existem caminhos mais prováveis e outros menos. Mas dependendo do que acontece, para que serve saber que, por exemplo, o menos provável prevaleceu? Muito pouco, somente que, se esta situação se repetisse inúmeras vezes, o outro cenário aconteceria mais vezes. Em função disso, você ficará mais conformado com o prejuízo, se ele foi por "azar"?

Motivos para correção existem alguns: momentum indicando queda do dólar, efeito "Dilma" esticado, e etc... meu preferido. Mas não consigo afirmar ainda, são necessárias mais evidências.

Preto ou vermelho, façam as suas apostas? Não façam não, isso não é Cassino! Hahahah....
Vocês agem da maneira abaixo, às minhas recomendações técnicas?


O SP500 fechou a 2.115, com alta de 0,28%; o USDBRL a R$ 2,8325, com queda de 1,60%, este fechamento eleva as chances do cenário que eu descrevi acima, como o mais provável; o EURUSD a 1,1342, com alta de 0,11%; e o ouro a US$ 1.199, com baixa de 0,14%.
Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário