Inflação: A Revanche

13 de fevereiro de 2015

" Tokyo, we have a problem"

A NASA era muito mais famosa que hoje, e em uma de suas missões à Lua, a Apollo 13, não cumpriu sua missão devido a um acidente. O mesmo foi causado por uma explosão do módulo de serviço, que impediu a descida na Lua. James Lovell, comandante da Nave, comunicou a base: ..." Houston, we have a problem"...

É de conhecimento de todos, que o primeiro-ministro Japonês, Shinzo Abe, resolveu embarcar num plano audacioso para tirar o Japão da letargia desses últimos 20 anos. Para tanto, deu carta branca a seu BC, para que utilizasse qualquer quantidade de helicópteros, e se tivesse que errar, que fosse pelo excesso. O mercado entendeu o recado e vendeu Yens alucinadamente, afinal tinham a garantia do BOJ, que não haveria falta da moeda. De seu ponto mínimo até o máximo atingido recentemente, a moeda japonesa desvalorizou-se 60% em relação ao dólar. Foi maior que a desvalorização do real de 40%, no mesmo período. E olha, que lá não existiu um Petrolão, estariam todos mortos, não por execução, mas por suicídio!

No gráfico acima, pode-se verificar que a partir de setembro de 2012, o dólar subiu muito em relação ao Yen (Azul). Enquanto o Yen em relação ao real, caiu bastante logo de início do seu plano, e manteve-se dentro de um patamar mais contido, desde de o 2º semestre de 2013, quando o "dólar x dólar" começou a prevalecer sobre todas as moedas (vermelho). Notem que a escala da esquerda espelha a quantidade de yens para adquirir um real. Coloquei o yen x real, em ordem inversa para facilitar a leitura, para cima yen mais "forte", para baixo, yen mais "fraco".

No gráfico a seguir, contempla as injeções de liquidez dos três principais BC's do planeta: FED, ECB e BOJ. Fica visível que a participação relativa deste último subiu significativamente em relação aos seus pares, e ha de se considerar ainda, que dentre eles, o Japão tem o menor PIB.

Estava indo tudo bem, até que esta semana, depois que a ata do BOJ apontou dissidência na reunião de outubro, quando quatro de nove de seus membros, ficaram contra o programa em curso, na compra de US$ 670 bilhões em títulos do governo. Acontece que o mercado ficou desconfiado e começou a expressar uma desconfiança no programa. Já neste último leilão de títulos, oferecido pelo BOJ, a procura foi muito baixa. Vejam como as taxas de juros nos vários vencimentos foram elevadas mais recentemente.

Os especuladores entraram em ação e começaram a apostar que os ganhos auferidos na bolsa japonesa teriam chegado a um limite, saindo da posição de comprados para vendidos, o que não acontecia desde que o novo governo tomou posse.


É muito cedo para concluir que este plano está fadado ao insucesso, pois ainda pode ser somente um receio do mercado. Mas tendo a maior dívida dos países desenvolvidos, algo como 230% do PIB, não pode nem passar pela cabeça do BOJ, uma perda de confiança dos agentes econômicos. Agora o comandante japonês, Mr. "mercado", enviou uma mensagem para a base: "...Tokyo, we have a problem"!...

Hoje é sexta-feira 13, e lembro que isto já aconteceu algumas vezes durante a existência do Mosca. Vocês já devem saber que todo trader é supersticioso, então mesmo não acreditando nestas bobagens, prefere não arriscar. Assim, meus comentários serão "leves" hoje, sem muita recomendação nem palpites, afinal como o título da música de Natalie Cole: ..."What a diference a day make"... Vamos esperar para depois do Carnaval.
No post Picasso-on-sale, fiz os seguintes comentários sobre o ouro: ...Tecnicamente não dá para afirmar que o movimento de alta reverteu, porém existe um intervalo que deverá ser respeitado, caso contrário, o ouro corre o risco de cair abaixo de US$ 1.130, nível mínimo atingido recentemente. Este intervalo ... entre US$ 1.200/1.220... E foi que aconteceu, o ouro está próximo deste intervalo.

Independente do motivo exposto acima, eu realmente não sei qual será o rumo que o ouro vai tomar, assim só nos resta esperar para ver os próximos movimentos. Agora estou de olho no DXY, dólar index que está muito esticado, conforme comentei no post quem-quer-dinheiro: ...Agora está bem próximo do primeiro objetivo de 96, com todos os indicadores de momentum esticados ao extremo. Isso significa que vai cair? Não necessariamente, mas que é perigoso ficar comprado, pois do dia para noite, pode ter uma queda expressiva. Está todo mundo com o dedo no gatilho... Dependendo do curso que tomar, poderá definir se o ouro retronará a alta ou não. Me explico, se o DXY cair o ouro pode subir e vice-versa.

Hoje começa o carnaval e este ano resolvi não viajar, afinal tenho muitas horas a compensar pela minha últimas férias! Hahahah.... Em todo caso, como os mercados internacionais ficarão abertos na segunda e terça-feira, vou publicar se achar que algo importante acontecer. Alguém falou em Grécia? Hahahah... 
O Mosca recomeça na quarta-feira normalmente.
Bom Carnaval a todos! 

O SP500 fechou a 2.096, com alta de 0,41%; o USDBRL a R$ 2,8333, com alta de 0,45%; o EURUSD a 1,1393, sem variação; e o ouro a US$ 1.228, com alta de 0,54%.
Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário