Inflação: A Revanche

26 de março de 2015

Nada a perder

A pior coisa que se pode fazer é entrar numa batalha, qualquer que seja ela, com alguém que não tem nada a perder. Mesmo que suas armas sejam muito superiores a de seu adversário, é mais provável que você irá perder. O Oriente Médio é uma região com disparidades gigantes, se os americanos estão revoltados com a concentração de riqueza, basta verificar a que existe naquela região.

Eu tive um pequeno exemplo disso, quando no ano passado fiz uma viagem a Israel. Faziam mais de oito anos da minha última visita e observei um país moderno, com predominância de tecnologia por todos os lados, com exceção de um local, o mercado árabe em Jerusalém. Quando entrei por suas ruas estreitas, tive a impressão que o tempo não passou, está exatamente igual. Com lojinhas vendendo quinquilharias e comidas típicas. Muitos jovens que deveriam estar na faculdade, lá estão ajudando seus pais, em um negócio obsoleto. Perguntei ao guia, qual era o motivo de tamanha falta de motivação, afinal bastava andar alguns passos, para ver que o mundo é bem diferente. A resposta é que eles acreditam que se Deus quer assim, assim será!

Com uma população sem preparo para enfrentar o mundo Ocidental, e com a acumulação de reservas oriundas da grande quantidade de petróleo existente na região,  o que resta aos jovens desses países senão o conflito? Acredito que esse é o motivo principal que as organizações terroristas conseguem atrair milhares de jovens, usando um motivo religioso, mas que no fundo é a falta de esperança que leva esses jovens a cometer barbaridades com cidadãos comuns.

Hoje acordamos com a notícia que a Arabia Saudita fez uma série de ataques aéreos no Iêmen. A primeira dúvida que deve ter vindo à sua cabeça, era onde fica esse país? O Mapa abaixo pode esclarecer os motivos dessa ação, uma vez que, o primeiro pensamento é de que o Iêmen é um grande produtor de petróleo, o que não é.


A resposta é pela sua localização geográfica, uma vez que, o estreito de Bab el-Mandeb que conecta o Mar Vermelho como Golfo de Aden, é o gargalo onde passa um quarto de todo petróleo e seus derivados. 

Acontece que o Iêmen foi invadido por forças rebeldes, apoiados pelo Irã, que emergiu como o mais recente campo de batalha com a Arábia Saudita, em sua luta pela supremacia regional. Não há dúvidas que o local é estratégico para a Arabia Saudita, e assim recebeu todo o suporte logístico e de inteligência, do governo americano. Essa situação me fez lembrar as partidas do jogo War, quando adolescente, porém essa com consequências reais.

Uma questão que fica no ar é, se o Irã está por trás das tropas rebeldes no Iêmen e os americanos suportam a Arábia Saudita, como ficará o acordo nuclear assinado entres o Irã e os USA? Será que o que disse o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, no Congresso americano, que não se pode confiar nos Iranianos, não deveria ser levado em consideração?

A reação nos mercados foram mais ou menos dispares. No passado, quando isso acontecia, o petróleo, ouro e dólar subiam, já os juros caiam, risk aversion. Porém, dessa vez o petróleo e o ouro se comportaram conforme o esperado, mas quem realmente distou, foram os juros de 10 anos que subiram . 
O que aconteceu? Preço! O mercado arrumou uma desculpa, como sempre, para que as posições extremamente elevadas fossem zeradas. Assim, nesse caso, o movimento foi de loss aversion! Hahahahaha ... 

No post o-embrolho-politico-de-economias-divergentes, fiz os seguintes comentários sobre o ouro: ...Vou aguardar uma melhor identificação dos níveis para sugerir uma operação de compra. Os dados de momentum continuam ainda muito negativos, e para eu poder ter uma segurança maior que se trata de uma mudança da direção vista nestes últimos três anos, o ouro vai ter que "mostrar" resultado. Por enquanto vou tratar esse trade, se e quando acontecer, como de curto prazo. Imagino que o nível será ao redor de US$ 1.160 - US$ 1.170...Veja o que aconteceu no curto prazo, depois disso.

Vou propor uma operação de compra no nível entre US$ 1.185 - US$ 1.175, que se executada terá um stop a US$ 1.150. Eu estou fazendo uma hipótese de que o ouro atingiu um topo de curto prazo e que vai entrar numa correção, agora se esse topo ainda não aconteceu, vou ter que refazer os pontos de entrada, afinal, vocês não acham que eu tenho projeções do que vai acontecer nesse conflito, muito menos inside information!  Hahahahaha ....

O SP500 fechou a 2.056, com baixa de 0,24%; o USDBRL a R$ 3,1888, com queda de 0,36%; o EURUSD a 1,0881, com queda de 0,79%; e o ouro a US$ 1.204, com alta de 0,73%.
Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário