Inflação: A Revanche

11 de março de 2015

Pênalti sem goleiro

Esta semana, o ECB iniciou o seu programa de compra de bônus em conjunto com os BC's da zona do euro. A moeda única sentiu na pele, e vem caindo consistentemente, da mesma forma que o real. Acontece que as ações tomadas pelas autoridades monetárias de cada país, são diametralmente opostas. Enquanto o Banco Central Europeu vem comprando títulos e como contra partida injetando moeda no sistema, nosso BC vem subindo os juros e vendendo dólares, através de contratos de swap. Porém o efeito na moeda de ambos é o mesmo.

Com a ação do ECB a quantidade líquida de títulos disponível no mercado, tornou-se negativa, conforme pode-se verificar no gráfico a seguir.
Isso vem ocasionando uma queda  das taxas de juros dos títulos europeus de 10 anos. Até a Irlanda, que há alguns anos era considerada junk bonds, estão pagando uma miséria.


Enquanto isso, do outro lado do Atlântico, os americanos estão esperando um movimento por parte do FED para junho próximo. Um parâmetro que os operadores de câmbio usam com frequência, é o diferencial de juros entre os títulos americanos e o alemão. É uma forma de avaliar a atratividade de investimentos em dólares, contra investimentos em euros.

Nestes últimos 25 anos, nunca a diferença foi tão elevada, situando-se hoje próximo a 2% a.a. Isso seria suficiente para acarretar uma queda tão expressiva do euro, em tão pouco tempo? Os investidores esperam que os USA cresçam a taxas positivas, induzindo o FED a normalizar os juros, enquanto na Europa, um longo período de ajuste. Já o BCE empurrou o mercado para essa desvalorização do euro, buscando uma melhora das economias mais combalidas. Como dizia um colega: "É como a cobrar um pênalti sem goleiro", e quem vai cobrar é da categoria do Champions League e não do Campeonato Paulista! Hahahah ....

Com o movimento de vários países, buscando a desvalorização de suas moedas para garantirem crescimento econômico, o mesmo não acontece nos USA, que vem em ritmo de recuperação se aproximando da normalidade. Como o FED irá reagir a tudo isso? Vai manter o que o mercado espera em relação aos juros, ou esperar para avaliar os impactos desses movimentos? 

A recém-empossada dupla popstar Tsipras & Varoufakis vem inovando a cada dia, nesta terça-feira acusaram a Alemanha de estar usando artifícios para evitar o pagamento pelo repatriamento da ocupação nazista da Grécia, na II Guerra Mundial. Eu imagino que é algo inusitado, pois se a moda pega, haveria um pagamento cruzado, considerando todas as guerras. Parece que a dupla está se espelhando no PT, ao querer colocar a culpa de seus problemas atuais, em quer que seja. Isso se chama, negar a realidade!

No post De mal a pior, eu comentei que o euro, após romper o nível de 1,1095, rumaria ao próximo target de 1,05. No último final de semana, fiz uma análise mais detalhada e ainda não descarto que a moeda única reverterá em algum ponto, vejamos:

Este é um gráfico de longo prazo, usado para em visionar, os grandes movimentos. O Mosca sempre se posicionou que o euro teria que cair para níveis próximos aos atuais, o meu erro foi mais tático, ao não querer entrar em preços mais baixos de venda, que hoje são altos! Não vou me estender em análises alternativas, pois iria confundi-los, vamos direto aos preços. Existe dois pontos de interesse anotados no gráfico, o primeiro ao redor de 1,05 e o outro a 0,99 (on sale?). Teria que ficar por ai, pois abaixo de 0.95, vou rever minhas premissas.

Os indicadores de momentum encontram-se vergonhosamente baixos, para ser honesto, não me recordo de ter visto algo assim. Isto significa que não tem ninguém na face da terra que acredita que o euro vai subir. Agora, uma coisa é achar que não vai subir de 1.40, outra é de 1.05. 

O câmbio é um preço muito importante para a economia e no caso do euro tem um complicador enorme, pois o país que está melhor, a Alemanha, é o maior deste grupo. Assim, vocês podem imaginar a invasão de BMW´s, Mercedes e etc ... nos USA. O risco da inflação subir na Alemanha não é desprezível, e sabe-se como o Alemão tem pavor disso. Vocês podem estar certos, se a inflação subir, o Super Mario vai ser enxotado do ECB.

A conclusão é que, o câmbio não cai indefinidamente numa situação dessas, tudo tem preço!

O SP 500 fechou a 2.040, com queda de 0,19%; o USDBRL a R$ 3,1251, com alta de 0,76%; o EURUSD a 1,0547, com queda de 1,41%; o ouro a US$ 1.154, com queda de 0,60%.
Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário