Inflação: A Revanche

8 de junho de 2017

ECB: Relax


A reunião do ECB hoje pela manhã foi muito esperada pelo mercado. Como o euro virou a coqueluche do momento, todos queriam saber se Mario Draghi mudaria de ponta, indicando que o tempo de fartura de helicópteros estava terminado. O sorriso estampado em seu rosto, na abertura da secção de perguntas e respostas, poderia ser um indicador nesse sentido.

Porém, foi um indicador falso, pois manteve a taxa de juros inalterada. O pior veio no comunicado enfatizando que os juros ficarão nos níveis atuais por um período extenso, e num horizonte bem mais longo que o termino do programa de compra de bonds - termina no próximo ano. Deixou mais um recado informando que caso a situação piore, esse programa poderá ser aumentado, tanto em termo de volume, como em extensão de prazo.

Só para relembrar, a taxa praticada nas operações regulares de política monetária permanece em 0%, e no caso de depósitos feitos pelos bancos no ECB – 0,4% a.a. (não é tracinho, é menos mesmo!). Mas por que tanto sorriso? Ah, ele anunciou que os juros não deverão cair mais. Grande notícia!

Será que o ECB está contaminado pelo período ruim que passou nos últimos anos, ou está vendo alguma coisa que o mercado não está? O PMI recém-publicado da Espanha, país que recentemente se encontrava numa situação crítica, não dá indicações no sentido de cautela, ao contrário, seu resultado é bem animador.


Enfatiza-se também a criação de empregos, pois Draghi comentou hoje que uma recuperação acontece quando existe uma forte criação de postos de trabalho.

O índice de surpresas calculado pelo Citi, quando comparado ao americano, coloca a Europa em situação superior aos EUA, mantendo-se nos níveis mais elevados enquanto o americano caiu recentemente. Vale notar ainda, que o FED deve subir os juros na próxima reunião para 1,5% a.a., enquanto a Europa, só Deus sabe.


O euro sofreu levemente com o resultado da reunião, isso para nós do Mosca é bom, pois queremos comprar – vide comentário técnico a seguir. Um argumento que poderia justificar uma postura extremante conservadora do ECB é o euro. Com o volume de recursos que estão sendo investidos nas bolsas e bonds europeus, a valorização da moeda única, não é bem-vinda para a autoridade monetária. Uma valorização excessiva poderá minar essa recuperação. Mas qual país hoje em dia quer sua moeda valorizada? Nenhum! Todos têm o mesmo problema, querem crescer.


No post goldilocks-for-ever, fiz os seguintes comentários sobre o euro: ...” O euro mostra dúvida, não sabe se continua o movimento de alta ou vai fazer uma pausa. Nessas circunstancias só nos resta observar os próximos passos. Numa visão mais longa, continuo com a previsão de alta para a moeda única” ...


O gráfico apresentado a seguir está elaborado com cotações a cada 4 horas. Quando se pretende colocar uma ordem, intervalos mais curtos podem ajudar, mas as vezes, podem atrapalhar. No caso atual espero que possa ajudar! O que se pode concluir é que, esse último movimento de alta a partir de abril foi robusto.

 

A primeira vista, parece que o euro ficará contido na formação de um triângulo, nesse caso, a cotação de € 1,11 passa a ser a primeira sugestão. Mas vocês já estão escolados e sabem que em correções tudo é possível, assim um outro nível que poderia ser atingido nessa retração seria € 1,10, onde colocamos a segunda ordem de compra. Dividimos o tamanho de cada ordem em ½ para cada nível acima. O stoploss deve ser fixado em € 1,09.


Muitas pessoas têm curiosidade ou interesse em compar Bitcoins. Embora eu não recomende como investimento, o link a seguir mostra as várias formas de negociar com essa moeda Bitcoin.

O SP 500 fechou a 2.533, sem variação; o USDBRL a R$ 3,2607, com queda de 0,38%; o EURUSD a 1,1212, com queda de 0,44%; e o ouro a US$ 1.277, com queda de 0,67%.
Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário