2020: O risco vai compensar?

27 de março de 2013

Jorrando dinheiro


Na última semana foi noticiado que a agência de risco Moody´s rebaixou as notas de crédito da Caixa Econômica Federal, do BNDES e da BNDESPar, empresa de participações do banco. O motivo citado deve-se a “deterioração na qualidade de crédito intrínseca dos bancos e, particularmente, o enfraquecimento das suas posições de capital nível 1”.

Eu venho frisando a maneira pela qual o governo vem interferindo na economia e em relação a área bancária, os governantes queriam, porque queriam que os juros baixassem na marra! Numa atitude ingênua, para dizer pouco, resolveram “roubar” clientes dos bancos privados no caso da Caixa Econômica e participar do capital de várias empresas através do BNDES. Como qualquer mercado, o de crédito também está sujeito as leis de mercado e se as taxas eram elevadas, é porque existem distorções no mercado brasileiro. Agora, baixando na porrada, é isto que sucede na qualidade do crédito.

O gráfico a seguir, preparado pelo Deutsche Bank, aponta a elevação do crédito comparado ao crescimento do PIB desde 2.008, como pode-se observar, o Brasil foi o 2º maior crescimento do crédito sem que houvesse contra partida no crescimento, e classificado por este banco como situação vulnerável


Minha experiência de vários anos na área financeira, me ensinou que não se brinca com crédito, muito menos com bancos, afinal banco é um negócio muito arriscado! É por esta razão que qualquer governo fica temeroso quando uma crise bancária se aproxima. Ainda temos muita credibilidade para eu alertar sobre uma crise eminente, porém nossas contas públicas que caminhavam de forma firme para uma redução do déficit, com estas capitalizações de bilhões nestes bancos e empresas como Petrobrás, podem em algum momento mudar este quadro, dinheiro não leva desaforo na vida privada nem pública, pergunte ao Eike Batista!


No post Maquiavel-101 disse que aguardaria o euro negociar próximo a 1,28 e hoje chegou a 1,275. Este nível já é comprável, mas como teria que ficar com um dedo no gatilho, só para quem está acompanhando de perto. Em todo caso, vou deixar uma sugestão num nível que me parece mais seguro, a 1,2665/1,2675 com um stop a 1,26.


-David, não está muito próximo o stoploss?
Gostei da observação! Está sim, e é função da minha convicção, que não é muito alta. O motivo principal, eu comentei no post direto-ao-assunto
O gráfico a seguir encontra-se lá e tem uma visão mais de longo prazo.


Meu cenário preferido em verde (1) ainda contempla uma alta ao redor de 1,40/1,44, mas não posso descartar a outra opção em azul (2). Observando as últimas ações adotadas pela troika, que são desastrosas, parece que o cenário alternativo pode se materializar, mas ainda vou ficar com minha preferência, se for abaixo de 1,26 vou reavaliar, afinal o compromisso é com o bolso! Hahahah.....

Este final de semana é a Pascoa e amanhã o mosca vai ser resumido, retornando a plena carga na segunda-feira. 

O SP500 fechou a 1.562, sem alteração; o real a R$ 2,0115, com queda de 0,27%; o euro a 1,2778, com queda de 0,64% e o ouro a US$ 1.604, com alta de 0,37%.
Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário