2020: O risco vai compensar?

14 de março de 2013

Real: Discrepâncias


Na semana passada eu liquidei a posição de dólar contra o real, a única posição sugerida neste ano! Os meus dados técnicos apontavam para esta venda tática, vislumbrando um nível melhor, um pouco mais abaixo. Desde então o US$ caiu e se recuperou esta semana, situando-se mais ou menos nos níveis.

Por outro lado, estamos presenciando uma valorização do dólar contra a maioria das outras moedas, e este fato é importante também. Hoje recebi um relatório elaborado pelo Deutsche Bank que auxilia em nossa análise, o mesmo relaciona todas as moedas dos países emergentes e verifica suas correlações com o dólar em várias janelas, veja abaixo.


Focando nas moedas latino americanas, os motivos citados para esta distorção são: Crescimento econômico forte; proximidade aos USA; e elevadas taxas de juros internas, no caso do Brasil se aplica a última, uma vez que hoje em dia qualquer juro mais elevado, é ótimo. Em todo caso, estas distorções devem ser ajustadas no futuro e um dos catalizadores frequentes é a conta corrente externa e especialmente no saldo comercial, que vem retrocedendo, o que pode ser visto no gráfico abaixo. Na outra figura mostra o descolamento das moedas do G10 contra as dos emergentes.


Eu venho alertando para a piora nas contas externas brasileiras, o grandes superávits  já é coisa do passado e recentemente, não fossem as entradas por meio de investimentos diretos e emissão de bonds de empresas brasileiras, a situação estaria bem pior. Até a 2ª semana de março, o fluxo acumula saída de US$ 2,859 bilhões, sendo que a via comercial apresenta um saldo negativo de US$ 5,372 bilhões, enquanto pela via financeira entrada de US$ 2,513 bilhões. E agora, o que o Governo vai fazer? Segurar o dólar para não atrapalhar na inflação ou incentivar sua desvalorização para beneficiar as exportações? Não dá para controlar tudo!

David, você está me deixando confuso! É para comprar ou vender?
Pois bem, eu fiz uma análise mais detalhada do real e encontrei duas possibilidades para o ponto de compra do dólar, uma mais provável por conta dos argumentos do analista acima, onde estaríamos próximo a novo movimento de alta, veja no gráfico a seguir.

E a outra que o ponto de compra estaria localizado ao redor de R$ 1,80, que deveria acontecer caso a busca por inflações menores seja tão frenética, que o Governo resolva “usar” o câmbio para segurar a inflação, o que tornaria este cenário abaixo mais factível.


 Se o Governo, que tem aquela montanha de dólares está na dúvida e os investidores internacionais ávidos por juros, como eu posso saber? Resposta: Acompanhando os gráficos, e é o que eu vou continuar fazendo.



O SP500 estava(*) a 1562, com alta de 0, 52% ; o real a R$ 1,9749, com alta de 0,17%; o euro a 1,3005, com alta de 0,32% e o ouro a US$ 1589, com alta de 0,12%.
Fique ligado!
(*) as 16:45 hrs.


Um comentário:

  1. David... a regra do câmbio é clara... quando a gente viaja o dólar cai a 1,95,,, quando a gente volta e vai pagar a fatura do cartão o dólar sobe para 2,10... depois volta à normalidade... entendeu???

    ResponderExcluir