2020: O risco vai compensar?

22 de março de 2013

Last Kiss


Em relação a Chipre a data limite é segunda-feira, e se nada mudar, vamos saber se este país continua ou não no euro. Hoje o assunto é nossas contas externas e o real que está sendo pressionado nos últimos dias.
O Governo continua tomando medidas desordenadas com objetivos múltiplos conflitantes, estas atitudes geram distorções, sem resolver os problemas estruturais. Foi noticiado a desoneração do PIS e Cofins sobre o diesel. Estão também, tentando evitar a alta das passagens de ônibus, tudo com o intuito de conter a inflação. Fico de certa forma irritado, pois se os impostos podem ser baixados sem nenhum prejuízo as contas do governo, por que não foi feito anteriormente?

Ontem o Senador Álvaro Dias passou um sabão em nosso Ministro Guido Mantega, "Uma previsão equivocada pode ser fruto somente de incompetência, mas também pode ser fruto de mentira deliberada e uma conduta desonesta". O Senador chamou de "contabilidade criativa", "alquimia estatística" e "kit de maquiagem" a tentativa do governo de manipular dados da economia nos últimos anos. Pelas respostas do Ministro, estas acusações não o afetou muito, afinal como escrevi no post negando a realidade, não é de se surpreender.

Hoje foram publicados os dados de nossas contas externas e como venho alertando há algum tempo, a piora é gradual e continua. O déficit em transações correntes atingiu a marca de U$6,6 bilhões em fevereiro. O que piorou? Tudo! A balança comercial foi negativa em US$ 1,3 bilhões, serviços US$ 3,2 bilhões e o déficit em rendas US$ 2,7 bilhões. Como pode-se ver no gráfico abaixo, rumo ao sul! 


Não fosse o elevado saldo na conta de investimentos diretos, US$ 63,7 bilhões em 12 meses, nossas reservas já estariam diminuindo mais. No gráfico a seguir fica visível, o Investimento direto foi suficiente para cobrir o déficit em transações correntes. A diferença, que atingiu seu pico em meados de 2012, vem se estreitando desde então e deve-se tornar negativa nos próximos meses, last kiss!


Depender desta sigla para financiar nossos compromissos é bem perigoso, pois em algum momento estes investimentos vão diminuir. Em todo caso, como a praxe deste governo é só reagir quando o problema acontece, nada se espera no curto prazo.
Onde está a Tsunami financeira ou guerra cambial, que nosso Ministro tanto alardeou?
  
Antes que meu amigo me cobre, vamos a análise do real, no post o-real-visto-com-uma-lupa, eu imaginava uma queda até R$1,93, para em seguida iniciar o movimento de alta, também disse, que se o real fosse teimoso e penetrasse no retângulo em vermelho, a alta poderia estar se pavimentando (gráfico copiado).



Nos últimos dias não só aquele retângulo foi penetrado, como hoje a cotação atingiu R$ 2,019. Eu anotei o ponto de R$ 2,03 como pivô, acima a chance de alta aumenta consideravelmente e abaixo uma nova queda é possível.



- David, porque você tem ficado no muro?
Sabia que não ia escapar! Primeiro que o real também está numa correção, e correção é correção, tudo é possível, segundo que tecnicamente faltam alguns elementos, e por último neste final de semana tem um evento que pode afetar o mercado. Mas não fique ansioso, se o real for para cima ou para baixo vamos ter tempo para operar. 

O SP500 fechou a 1.556, com alta de 0,72%; o real a R$ 2,0073, sem variação; o euro a 1,3004, com alta de 0,82% e o ouro a US$ 1.607, com queda de 0,41%.
Fique ligado!

Frase do dia: There are two kinds of people who lose money: those who know nothing and those who know everything.
Henry Kaufman

Nenhum comentário:

Postar um comentário