Inflação: A Revanche

23 de junho de 2015

Faltava combinar com os Gregos

No post de ontem eu havia sugerido para a dupla pop star, para aproveitar a oportunidade no mercado de ouro, usando inside information sobre as negociações. Depois de um dia cansativo, negociações de um lado para o outro, parecia que um acordo estava próximo. Eu tinha comentado que, o desejo do partido de esquerda, era de não fazer nenhuma concessão, e na pior das hipóteses, abandonar o euro.

Essa foi a reação de membros do parlamento grego quando tiveram acesso as condições do acordo proposto. A fúria foi alta, veja algumas das declarações: ..."Eu acredito que esse programa como estou vendo, será difícil passar...O Primeiro Ministro precisa primeiro informar nosso povo, o porque nós falhamos nas negociações ... se terminamos com este resultado, essas medidas não estão em linha com os princípios que nós deixamos"...

O Primeiro Ministro, Alexis Tsipras até o momento foi "esmagado" pela Troika, aguentar sozinho toda essa pressão, assistindo uma sangria diária de seus recursos, requer muito controle. Agora sua missão é até mais difícil, como vai defender o programa que contém pontos onde ele era radicalmente contra? Aqui no Brasil aconteceu algo semelhante, quando o "novo" governo resolveu adotar uma política que repudiava durante o período eleitoral, só que o sistema no Brasil é presidencialista e na Grécia parlamentarista, faz toda a diferença. Lá, se o Parlamento for contra, o Tsipras pode começar a procurar emprego.

Não sabemos o que irá acontecer daqui em diante, mas a reação do mercado foi negativa, o euro levou um tombo de respeito, queda de 1,80%. Mas a reação do ouro não foi a esperada, ao invés de subir com a dúvida do acordo, acabou caindo mais. Assim, se a dupla pop star já tinha se antecipado e estava operando a plena carga, terão que incluir o prejuízo do ouro no pacote da dívida! Hahaha...

Ironicamente os dados do PMI da Europa, publicados hoje, vieram melhores. É o mais elevado dos últimos 49 meses
O índice publicado pelo Instituto Markit foi de 54.1.

Surpreendente também, foi a recuperação da economia francesa, a segunda maior da zona do euro, com um índice de 53,4, indicando expansão. O melhor sinal, veio dos empregos, que vem ganhando pulso.
..."Allons enfants de la patrie"... Será que o dia de glória chegou mesmo, ou é só um respiro?

No post Frankfurt-wir-haben-ein-problem, fiz os seguintes comentários sobre o euro: ...Não tenho a menor ideia como poderá ser o rompimento do nível de 1,145, se vai cair um pouco para subir, ficar para lá e para cá, ou se vai romper dentro em breve. Mas o mais provável é que suba... E tinha publicado o gráfico abaixo.
Acontece que o euro resolveu não seguir o caminho combinado, e rompeu a linha em azul acima. Agora não adianta ficar désolé, o mercado tem a palavra final! O gráfico a seguir contempla um intervalo maior, a fim de avaliar o que podemos esperar.
As possibilidades são várias, nem resolvi anotar no gráfico para não confundir vocês. Até o nosso stop de 1,10, pode ser que o euro esteja num triângulo e daqui a pouco retorne com o movimento de alta. Mas se romper esse ponto, voltamos a estaca zero dos meses anteriores, acima de 1,145 sobe, e abaixo de 1,045 retoma o movimento de queda. Dentro deste intervalo, ficamos de stand by, sem nenhum viés. "Eta moedinha complicada!"

O SP500 estava (*) a 2.124, sem alteração; o USDBRL a R$ 3,0830, sem alteração; o EURUSD a 1,1164, com queda de 1,55%; e o ouro a US$ 1.176, com queda de 0,69%.
Fique ligado!
(*) as 16:30 hs.

Nenhum comentário:

Postar um comentário