Inflação: A Revanche

25 de junho de 2015

Mantega x Levy: Em quem você aposta?

Alguém sente saudades do ex-Ministro Mantega? Eu, nenhuma! Lembro quantas não foram as manhãs que, ao me deparar com as notícias do dia, lia as suas estapafúrdias declarações. A melhor mesmo, foi a da Tsunami Financeira, que originou o post tsunami reversa, em outubro de 2012. O que ele pregava naquela época, era que a ação dos Bancos Centrais injetando liquidez, estava inundando o Brasil de dólares. Veja quais foram minhas críticas naquele momento:
  • Tomada de medidas que implantaram um mecanismo de protecionismo a Indústria Nacional. Qualquer investidor detesta quando o Governo coloca regras que objetivam interesses políticos. A contra partida é uma diminuição da entrada de Investimentos pelos estrangeiros.
  • O câmbio não é mais livre, o BC instituiu uma banda entre R$ 2,00 e R$ 2,05, ou seja, para quem investe, acabou o ganho na valorização do real, agora só dá para perder, se o dólar subir.
  • A taxa de juros real está praticamente em zero, tirando a atratividade por este lado.
  • A economia está praticamente estagnada, com um crescimento pífio, desta forma estes fluxos esperados estão indo para outros países.
  • E por último, existem muitas incertezas no mundo.
Mostrei naquela época que o fluxo já tinha revertido, e que ao invés de entrar dólares, estavam saindo. Esta como inúmeras outras ações do governo "velho", nos colocou na situação atual.

Todas as vezes que converso com empresários ultimamente, sinto um desânimo generalizado, tudo está uma me&@a! Será que eu estou sonhando? Não vejo com esses olhos, e não entendam que virei a casaca e me tornei petista, isso jamais! Estou falando do Ministro Joaquim Levy, virei seu fã. Desde que assumiu o cargo do comando das finanças brasileiras, não lembro de nenhuma de suas propostas em que eu não estivesse de acordo. Tudo na direção correta.

Não gostaria mesmo de estar em sua pele, pois a raiva da sociedade com a Presidenta é tão grande, tanto pela população, políticos, e agora até seu padrinho Lula, que o governo hoje não tem apoio de ninguém, luta solitariamente. Mas o "salvador da pátria", continua em sua missão de colocar a casa em ordem.

Por exemplo, ontem publicou-se que, o CMN iria diminuir o intervalo de variação para a meta de inflação. Parece um detalhe, mas não é, Ele está dando uma indicação que daqui em diante a meta é para ser cumprida e que se houver algum desvio, uma ação imediata deverá ser tomada. Quanto a possibilidade de uma diminuição da meta fiscal, disse que ainda é muito cedo. Este é o seu estilo, quietinho, mas por outro lado determinado em seus objetivos, não tem desculpas.

Assim, como posso ficar pessimista, se o que vejo está tudo no sentido correto? É preciso mais paciência, e o sofrimento no curto prazo não terminou, aguardem uma SELIC de 14,5% ou 15%, já, já. Agora, se vocês me disserem que ela está para sair, parafraseando aquele antigo programa de TV, "sai de baixo"!

Temos observado nas contas cambiais, que uma boa parcela da dívida interna está sendo vendida aos estrangeiros. O gráfico a seguir, compara os vários detentores da dívida de governo, entre vários países. A nossa, ainda é muito baixa, e não deveria ser fonte de preocupação. "Juros para os gringos!"
 Ao buscar um comentário de mercado, confesso que foi difícil de achar algo interessante, nos quatro mercados que cubro com maior frequência, não merecem nada mais do que já comentei recentemente. O único movimento que chamou minha atenção foi o SP500, mais pelo momento de decisão que está por vir.

No post um pouco mais antigo a-matemática-das-finanças, fiz os seguintes comentários: ...Uma visão mais de longo prazo, dá uma ideia de como a situação é extremante delicada. O gráfico a seguir diz tudo, dentro em breve, deveremos ter uma decisão se a bolsa vai continuar subindo, ou estamos num ponto de inflexão, apontando para quedas....E postei o gráfico a seguir.
Ao verificar meus gráficos, o que faço diariamente, ou "horamente"! Hahahaha ...observei que o SP500 poderia estar num movimento denominado, ombro - cabeça - ombro, destacado em azul.
- David, essa é boa! Já estou me preparando para o dia que você virá com o movimento - deixa que eu chuto! Hahahaha ....
Se você tiver uma forma melhor para explicar esses movimentos, fell free! Enquanto isso, vou deste jeito. Essa formação, ganha sustentação, quando a linha em vermelho for rompida. Assim, seria esperado uma queda que levaria o índice ao redor de 1.950. 

Não seria nada dramático, uma queda de 8%, a não ser pelo fato, de que se observa no longo prazo (primeiro gráfico). Poderia indicar algo muito mais sério, mas por enquanto fiquem de olho no nível de 2.080 - 2.070, se chegar lá.

O SP500 fechou a 2.102, com queda de 0,30%; o USDBRL a 3,1269, com alta de 0,97%; o EURUSD a 1,1204, sem variação; e o ouro a US$ 1.172, com queda de 0,17%.
Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário