Inflação: A Revanche

14 de outubro de 2016

"Joe Beautiful"


Para quem assistiu o programa de TV A Escolinha do Professor Raimundo, protagonizada por Chico Anísio, deve lembrar-se do Zé bonitinho, “o perigote das mulheres”. Associei esse personagem a figura de Donald Trump, que também tem um topete e deve se achar o homem mais desejado pelas mulheres, seria então o Joe Beautiful. A diferença mais importante entre eles, é que o personagem original ganhava as “minas” no papo, enquanto o troglodita americano através de poder e dinheiro.

Parece que na reta final das eleições americanas caiu a máscara do polêmico candidato Donald Trump. Depois de um vídeo gravado em 2005, onde Trump comenta suas peripécias com mulheres, novas acusações começam a surgir de outras que sofreram assédio sexual. Esse fator fez com que a imprensa e boa parte da população americana se voltassem contra ele.

Existe aquela piada machista, eu reconheço, que de nada adiantaria ficar sozinho com a Gisele Bundchen numa ilha, se depois não teria ninguém para contar! É isso que está derrubando Trump, ao querer se vangloriar de suas conquistas. Já dizia aquele ditado falar é prata, calar é ouro.

Mas naturalmente não é somente pela sua vida pessoal que vem caindo nas pesquisas, o seu caráter explosivo o torna vulnerável a muitas críticas e seu despreparo político não lhe permite uma performance mais pragmática, quer sempre sair para o embate.

Agora seus grandes contribuintes, com receio de serem expostos pela mídia por esses fatos, estão abandonando o barco. Como li uma declaração de um deles: ...” como ele poderia dizer à sua filha que apoia um candidato que encara as mulheres como objeto” ...

Mas não acredito que esteja morto, daqui em diante vai prevalecer a raiva e, dado seu caráter, se pode esperar de tudo.  

Vocês podem se perguntar, qual o motivo do Mosca relatar tanto sobre esse assunto, uma vez que, é puramente político? A principal razão é que o mercado espera ansiosamente o final das eleições, pois uma vitória de Trump pode ocasionar muitos estragos. Fiquem atentos, a novela de terror, sexo e faroeste continua!

Hoje foram publicados alguns dados econômicos que sustentam a ação do FED, em aumentar os juros na reunião de dezembro. No gráfico a seguir o PPI – evolução dos preços industriais, que subiu 0,3% no mês e 0,7% em 12 meses. Outra boa notícia neste campo foi a publicação da inflação ao consumidor na China, que ficou acima das expectativas do mercado em 1,9%a.a.


Já as vendas no varejo, os dados foram um pouco conflitantes, se por um lado o resultado desse índice ficou em 0,6%, o que é bom, ao excluít itens mais voláteis como gasolina e outros, o que os americanos chamam de Control Group, o resultado foi 0,1% no mês, e em bases anuais 2,5, deixando a desejar.


Os mercados reagiram positivamente a esses dados, o cenário de uma eventual vitória da Hillary, dados econômicos mais positivos e a chance maior de alta dos juros, está impulsionando o ‘dólar – dólar’, ativo que estou analisando hoje.

No post dollar-dollar-whats-next, fiz os seguintes comentários sobre o dólar: ...” no gráfico abaixo estão expostas minhas hipóteses para as próximas semanas ou meses. Como se pode verificar o DXY encontra-se no meio do caminho, entre o intervalo inferior 93 – 92, e o nível superior de 100,5. A linha em rosa espelha minha previsão mais factível, um sobe e desce no curto prazo, para finalmente romper a linha superior e buscar os níveis que apontei no post acima mencionado - 103 e depois 107. Notem também que coloquei um divisor com a palavra “atenção”, pode ser que a correção busque níveis ainda mais baixos e até 90 eu aceito sem problemas, abaixo disso é melhor revisar as hipóteses” ...

De certa forma, a minha previsão principal parece que está se concretizando. A linha rosa traçada acima se assemelha ao movimento que o DXY percorreu nos últimos dois meses.


O dólar se encontra numa correção e conforme indiquei acima, não se pode saber se vai buscar romper agora o nível de 100,5 (1), ou ainda permanecerá na região contida pelas duas linhas verdes paralelas (2). Os indicadores de momentum estão bastante positivos, o que poderia indicar que a primeira hipótese é mais provável, mas prefiro esperar o rompimento para me posicionar.


O SP500 fechou a .132, sem variação; o USDBRL a R$ 3,2032, com alta de 0,82%; o EURUSD a 1,0970, com queda de 0,80%; e o ouro a US$ 1.251, com queda de 0,46%.
Fique ligado!


Nenhum comentário:

Postar um comentário