2020: O risco vai compensar?

19 de outubro de 2012

Tsunami reversa


Nos últimos anos vivenciamos duas Tsunamis que tiveram repercussões dramáticas, a primeira aconteceu na Ásia em 2004, e mais recentemente no Japão em 2010. A da Ásia teve consequências, em termos de perdas de vidas humanas, muito severas, morreram aproximadamente 100.000 pessoas! As imagens são assustadoras, as ondas durante seu deslocamento atingiram velocidade de 800 km/h, ao chegar na costa tinham até 10 metros de altura.

Ultimamente, o nosso Ministro das Finanças, para enfatizar o volume de recursos que se dirigem á nosso país, vem utilizando o termo “Tsunami Financeira”. Assim, poderíamos esperar que depois que Ben Bernanke anunciou que vai usar quantos helicópteros forem necessários para criar empregos por-mares-nunca-dantes-navegados, os operadores do BC Brasileiro teriam que fazer turnos de 24 horas para comprarem todo volume de dólares que aportariam aqui. Mas não é o que vem acontecendo, veja a seguir os últimos dados cambias.


O gráfico da esquerda aponta o fluxo comercial, que não tem impacto pela ação do FED, e o da direita o fluxo financeiro, que deveria sim, ter um impacto forte, caso a tese de nosso Ministro se concretizasse. Porém não só não entraram dólares, mas estão saindo! Será que ele quis dizer uma Tsunami reversa?

- David, é estranho, pois anteriormente foi o que aconteceu.
Em Investimento, tem uma frase que você vai encontrar em qualquer prospeto de fundo: ...Resultados passados não são garantia de resultados futuros..., pois vejamos o que mudou de lá para cá.
  • Tomada de medidas que implantaram um mecanismo de protecionismo a Indústria Nacional. Qualquer investidor detesta quando o Governo coloca regras que objetivam interesses políticos, a contra partida é uma diminuição da entrada de Investimentos pelos estrangeiros.
  • O câmbio não é mais livre, o BC instituiu uma banda entre R$ 2,00 e R$ 2,05, ou seja, para quem investe, acabou o ganho na valorização do real, agora só dá para perder, se o dólar subir.
  • A taxa de juros real está praticamente em zero, tirando a atratividade por este lado.
  • A economia está praticamente estagnada, com um crescimento pífio, desta forma estes fluxos esperados estão indo para outros países.
  • E por último, existem muitas incertezas no mundo.
Estamos todos sujeitos a previsões errôneas ou até assumirmos hipóteses que não são mais válidas, mas é nossa obrigação verificar os dados para confrontar com nossas previsões, e parece que o nosso Ministro “esqueceu” de olhar o fluxo, ou pior, não acha que os motivos acima são verdadeiros, portanto sua tese ainda irá se confirmar. Copiei uma frase colocada no post de ontem o-macaco-está-certo?
Quanto mais autoconfiante um expert parece, pior é sua performance.

Na última vez que atualizei a análise do real, já faz algum tempo pinball. Desde então, não só nada mudou como parece que o BC colocou uma nova "canaleta" no pinball ( retângulo azul no gráfico abaixo), limitando o intervalo de flutuação a 1%! Será que baixou uma sina de imitar os Chineses? Eu já, exaustivamente, frisei as grandes diferenças no fluxo cambial daquele país e o nosso, e espero que esta não seja esta, a intenção do BCB. Em todo caso, esta tendência de querer "fixar" o câmbio, vem atrapalhando a entrada de Investimentos no Brasil, e a Tsunami, só se acontecer na natureza!

Eu não mudei minha ideia que o dólar deve subir mais à frente, só quero comprar mais barato, mas está difícil. Fique de olho no nível de R$ 2,06, acima, a temperatura pode subir.
O SP 500 fechou a 1.433, com queda de  1,66%; o real a R$ 2,0275 sem alteração; o euro a 1,3024, com queda de 0,36% e o ouro a US$ 1.720, com queda de  1,20%.
Fique ligado!

COOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário