2020: O risco vai compensar?

8 de outubro de 2012

Irã: Problemas internos


Desde de Julho deste ano, o Irã está sob severas sanções aplicadas pelos países Ocidentais, nas exportações de petróleo e importações de bens básicos. Os efeitos vêm sendo sentidos principalmente nos últimos dias, e ocasionando a queda do rial, moeda local. O Banco Central, já não deve ter mais dólares para honrar seus compromissos.

Há 2 semanas, a autoridade monetária teve uma ideia de girico, quando abriu um centro de divisas, que se comprometeu a vender dólares 2% mais barato que no câmbio negro, o que aconteceu é que os Iranianos correram para trocar suas divisas formando filas gigantescas, e tornou mais visível a gravidade da situação.

Já iniciaram os protestos de ruas, pois os alimentos vêm subindo em ritmo acelerado. O Governo tem poucas armas para combater este processo, que tende a culminar com uma hiperinflação e consequências imprevisíveis. A grande questão será se o povo Iraniano culpará seus líderes pelo que aconteceu, ou haverá um novo foco de revolta contra os USA e Israel. As duas situações são possíveis.

Um fator que poderia intrigar, é o motivo, porquê os preços do petróleo não dispararam, pois além da situação descrita acima, tem também as tensões por conta de um ataque de Israel. A explicação vem do Iraque, que passou de uma produção de dois milhões de barris por dia para 3,4 milhões, esta diferença é exatamente a queda das exportações Iranianas, o que tornou o embargo, sem custo para o Ocidente. Com o preço do óleo caindo mais de 4% na semana passada, está sedimentando a ideia que o Irã está se tornando irrelevante no mercado global de petróleo.

O mercado de ouro vem ganhando muita atenção nos últimos anos. As informações que apresento a seguir, ajudam a compreender melhor as suas dimensões. 


O SP500 fechou a 1.455, com queda de 0,35%; o real a R$ 2,0311, sem variação; o euro a 1,2966, com queda de 0,51% e o ouro a US$ 1.774, com queda de 0,32%.
Fique ligado!




Nenhum comentário:

Postar um comentário