2020: O risco vai compensar?

15 de outubro de 2012

Palpiteiros de plantão


Como os leitores do mosca sabem, eu gosto de futebol. Ultimamente tenho ficado quieto, pois meu time o Santos, não está numa fase muito boa. Os motivos? Colocou todas as fichas no Neymar, que é brilhante, mas não dá para carregar o time nas costas sozinho. Mas se tem um clube que está numa situação delicadíssima no Brasileirão, é o Palmeiras. Em momentos como estes, os torcedores ficam furiosos, e os dirigentes tendem a trocar o técnico, resolve? Raramente.

A situação mundial hoje é semelhante, todo mundo dá palpites de como enfrentar a crise. Como já havia mencionado, neste final de semana realizou-se no Japão a reunião do FMI, e através das declarações de várias autoridades ficou claro que não existe o menor consenso, vejamos: Christine Lagarde, a recente empossada Presidenta do FMI, avaliza as ações do FED, ECB e assemelhados com injeções de liquidez, os famigerados Helicópteros, já nosso Ministro das Finanças, Guido Mantega, junto com os Russos, pedem para os países ricos resolverem seus próprios problemas, e pararem com a “Tsunami” Financeira, já o Presidente do Banco Central da Korea está pedindo para os países asiáticos adicionar estímulos e por ultimo o Presidente do Banco Central de Israel, Stanley Fisher, diz que o mundo está perigosamente perto de uma recessão.

Outras autoridades acreditam que estamos num momento da virada, como os Mexicanos. Philip Suttle, chefe do IIF, acredita que ainda existe um bom potencial no uso de políticas monetárias nos países em desenvolvimento , diferentemente dos USA e Europa. 

A verdade é que estamos vivendo o terceiro recuo dos últimos 5 anos, por conta da desaceleração da China e Brasil. O problema é que os países estão tão intimamente ligados, e os crescimentos tão debilitados, que um resfriado vira uma epidemia. Veja por exemplo como as economias dos USA e Europa são correlacionadas.


Agora veja o impacto da desaceleração da Europa nas exportações da China e da Korea.


E por último, como deverá impactar as exportações americanas.















A situação econômica é muito diferente da dos torcedores do Palmeiras? Hahahahah...... Agora tem um detalhe sútil, enquanto no futebol sempre tem um time que é campeão, a situação Mundial hoje só tem perdedores e cada um tenta empurrar suas derrotas para os outros países.

O SP500 fechou a 1.440, com alta de 0,81%; o real a R$ 2,0353, com baixa de 0,39%; o euro a 1,2947, sem alteração e o ouro a US$ 1.736, com queda de 0,99%, hoje durante o dia postei trade-15102012 no metal
Fique ligado!




Nenhum comentário:

Postar um comentário