Inflação: A Revanche

10 de abril de 2015

A Rússia estaria dando um sinal?

A Rússia esteva no olho do furacão nesses últimos meses. Primeiro meteu-se numa briga com os países europeus, quando resolveu intervir na Ucrânia. Seu Presidente Putin, conhecido pela sua coragem, resolveu enfrentar todas as sanções que lhe foram impostas, e não piscou nenhuma vez. Já não bastasse isso, o petróleo entrou em queda livre, principal commoditie para aquele país. Houve uma saída maciça de dólares e o Banco Central da Rússia atuou vendendo dólares, mas mesmo assim o rublo entrou em queda livre. Em seguida, a autoridade monetária daquele país, subiu os juros para 17% a.a.

Acontece que mais recentemente, vários indicadores indicam uma reversão em parte desses movimentos. Destaquei alguns, inicialmente a evolução dos juros de 10 anos.


Outro indicador que mede o grau de solvência de um país, o Credit_default_swap, uma espécie de seguro que um investidor paga, caso um título daquele país não é pago.


Já a sua moeda, depois de passar por um período de desvalorização expressiva, cujo auge aconteceu em dezembro do ano passado, desde então, valorizou 60%!

E por último, o índice da bolsa Russa, teve uma boa valorização de 33,5% no ano.

Mas por que estaria eu trazendo esses dados aqui, uma vez que não vou dar nenhuma orientação de trade? O motivo é que, quando os mercados emergentes estavam sob mira dos investidores como os patinhos feios, existiam 3 países que eram considerados em pior situação: Rússia, Indonésia e Brasil. Assim, será que podemos ter algum movimento por parte dos estrangeiros aqui?

Já estamos notando um pequeno movimento neste sentido, com altas da bolsa e valorização do real. No último mês, as altas recentes da bolsa da China e Hong Kong, parece dar uma pista, que os emergentes podem ser a nova bola da vez, afinal liquidez não falta, mas rendimentos sim. 

No post Greek-novel, eu sugeri um trade para compra de euro: ...Acredito que o euro está num movimento de correção conforme apontado acima em vermelho, assim esse intervalo é entre 1,075 - 1,068, caso seja executado, sugiro um stoploss a 1,063... e se a operação for stopada, isso não significa que o movimento de queda irá ganhar força, necessariamente. É preciso que caia abaixo de 1,045... Fomos executados ontem e hoje o euro já se encontra abaixo do nosso stop, porém vale a mesma observação que fiz ontem sobre os juros de 10 anos.

Este é mais um caso ilustrativo de como funciona a análise técnica. Como mencionei acima, só podemos dizer que o movimento de queda recomeçou, caso o euro negociasse abaixo de 1,045. 

-David, então porque você não colocou o stoploss nesse nível?
Vamos fazer alguns cálculos, nosso preço médio de compra foi 1,0715, ao colocar o stoploss no nível tecnicamente "correto", estaríamos arriscando 2,5%, para um ganho, caso o euro chegue a 1,14 de 6,3%, é muito bom. Porém meu grau de confiança não é muito grande, pois não espero que o euro atingiu já tenha atingido um mínimo. Como o gráfico acima mostra, eu antevejo novas quedas à frente.

Por todos este motivos, mirei num nível que considero "financeiramente" correto, parafraseando o politicamente correto. Em outras palavras, onde o euro deveria parar para voltar a subir, e que não causasse um prejuízo muito grande, caso estivesse errado. Em nosso caso, ao redor de 0,80%.

- E o que fazer se for stopado, e o mercado logo em seguida, começar a subir?
Paciência, fica para uma próxima oportunidade, o que não devemos ficar é p#%o da vida, esse sentimento te empurra a fazer mais besteiras. Temos que conservar o capital, e o objetivo é ganhar muito, poucas vezes e perder pouco, algumas vezes, sem emoções. O euro está terminado a 1,0595, e considero a operação encerrada om um prejuízo de 1,13%. Cést la vièe!

O SP500 fechou a 2.102, com alta de 0,52%; o USDBRL a R$ 3,0768, com alta de 0,60%; o EURUSD a 1,0595, com baixa de 0,59%; e o ouro a US$ 1.207, com alta de 1,11%.
Fique ligado! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário