2018: Vestibular Político

18 de outubro de 2017

Espantoso


Eu estou espantando com a quantidade de advertências que tem surgido sobre a bolsa americana. As estáticas se sucedem sempre apontando ou induzindo como está perigoso investir em ações. É verdade que essa situação vem acontecendo já algum tempo, porém conforme o índice vai batendo recorde em cima de recorde, novos analistas publicam seus argumentos.

Vou apresentar os mais recentes que tive acesso. O gráfico a seguir mostra os dias em que a bolsa americana caiu mais de 2%. Visualmente é impressionante, praticamente inexiste nos dias atuais. Agora não era de se esperar com uma volatilidade tão baixa?


O próximo é sobre o mesmo tema, porém com uma roupagem diferente, indica qual a variação da bolsa durante o dia. Do jeito que as coisas andam chegará um dia que vai oscilar 0%!


Uma explicação para esse fenômeno é a concentração de negócios na última meia-hora de pregão e principalmente no fechamento.

 
Mas o próximo foi demais, razão de ter optado em apresentar essa série de gráficos. O Wall Street Journal apurou que, uma estatística que se inicia em 1887, apontou que em anos que terminam em 7, em sua grande maioria, sofre quedas significativas no período compreendido entre agosto – novembro. Porém, 2017 está sendo uma exceção como se pode verificar a seguir.


Ao ser bombardeado com essas evidencias e natural se perguntar: Eu não deveria vender toda minha carteira? Imagino que quem publica esses dados não está investido na bolsa, na melhor das hipóteses, ou quiçá até vendido. E quanto mais este tipo de dado é publicado, mais fica a impressão que tem muita gente fora da bolsa, louco para entrar.

Não estou desmerecendo seus argumentos, de maneira nenhuma, porém questiono qual a sua validade num mercado que ainda não deu mostras que está eminencia de queda, ao contrário, continua subindo todo santo dia, despacito. Porém, é intrigante

Outro dia um analista se perguntou por que a bolsa precisa ficar aberta 6 ½ horas por dia, cinco dias por semana, se a oscilação diária é tão baixa. Acho que ele tem razão. Talvez o aumento do volume de fundos passivos ocasionou essa queda de volatilidade.

Mas a grande pergunta que ninguém consegue responder e se esse padrão de oscilação será o que vai vigorar daqui em diante, ou daqui a pouco a volatilidade volta aos padrões antigos. O Mosca acha a volatilidade atual bem baixa, mas tem dúvidas se voltará aos padrões históricos. Isso poderá ser testado quando uma recessão bater à porta de um país como os EUA ou a China. Minha recomendação por enquanto e manter cuidadosamente uma posição na bolsa até que chegue num ponto que decidimos ficar fora, mas vender a descoberto agora, só por causa desses dados, nem a pau!

No post o-misterioso-massacre-de-Las-Vegas, fiz os seguintes comentários sobre o SP500: ...” nas minhas análises notei uma área de congestão entre 2.550 – 2.570, que se ultrapassada irá encontrar a seguinte a 2.620, e assim vai. No post acima frisei o seguinte: .... “Mas tenho certeza que um dia vai parar”! ... ...” nessas situações existem sempre duas formas de agir: A primeira mais conservadora indica que se deva reduzir a posição entre 25% - 100%; na segunda, mais agressiva, se decide seguir em frente e na melhor das hipóteses atualizar o stoploss. Eu vou usar um misto, se o índice atingir 2.550 reduzimos em 1/3 e permanecemos com o restante atualizando o stoploss para 2.510, nível de entrada” ... E foi o que acabamos fazendo, agora restam 2/3 da posição original.


O mercado se encontra muito próximo do nível de 2.565 destacado no gráfico acima. Esse ponto apresenta uma congruência segundo algumas hipóteses de Elliot Wave. Quando isso acontece, o nível passa a ser de maior importância, razão pela qual decidi diminuir as posições.


Não vou ficar nem um pouco surpreso se o SP500 ficar um tempinho nesse nível, recuar uns tostões e seguir em frente, também não ficarei surpreso se recuar alguns trocados – trocados e maior que tostões! Hahaha ... – até 2.530 ou até mais um pouco até 2.510. Mesmo em relação a esse último estaríamos falando de uma queda de um pouco mais de 2%. Será que, isso mereceria um destaque na primeira página do Wall Street Journal? Se sim, a volatilidade veio para novos patamares, caso contrário nada pode ser dito.

Neste novo mundo onde a calmaria reina somente nos mercados financeiros e a volatilidade foi levada para as demandas sociais que pipocam de país em país, além das ameaças geopolíticas, uma certa sensação de desconforto é percebida. Será que estamos sendo ingênuos ou agressivos ao compactuar com os mercados?

O SP500 fechou a 2.561, sem variação; o USDBRL a R$ 3,1706, com alta de 0,41%; o EURUSD a € 1,1787, com alta de 0,18%; e o ouro a U$ 1.280, com queda de 0,31%.


Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário