2020: O risco vai compensar?

15 de janeiro de 2020

Trump mira num novo alvo



O principal evento de hoje será a assinatura do acordo comercial da primeira fase do acordo comercial entre a China e o EUA. O texto está bem guardado ainda, permanecendo um pouco misterioso e, como tal, o diabo estará nos detalhes. Tudo será revelado mais tarde, porém, com um lembrete de que a assinatura deve ocorrer na Casa Branca. A Bloomberg informou que as tarifas existentes de bilhões de produtos chineses permanecerão até depois da eleição nos EUA para permitir que o governo revise a conformidade chinesa antes de removê-las. No entanto, o secretário do Tesouro Steven Mnuchin disse mais tarde que a China não obterá alívio tarifário dos EUA até que os dois países cheguem ao acordo da Fase 2 e acrescentou que não há vínculo entre o cronograma de reduções tarifárias e as eleições de novembro. Portanto, os EUA manterão tarifas de 25% em US $ 250 bilhões em importações chinesas e 7,5% em outros US $ 120 bilhões por enquanto.

As previsões de comercio entre os dois países são muito animadoras após essa primeira fase, pelo menos é o que as intenções do acordo fazem crer conforme a projeção a seguir.


Mas será que uma pessoa com o perfil do Presidente Trump vai acalmar? É pouco provável, durante seu mandato acho que foi exceção se ficou um dia sem provocar ninguém. Terminado essa primeira fase, Trump já havia anunciado que pretende colocar restrições as importações europeias, principalmente de veículos.

O mercado de automóveis está em retração em todo mundo, acredito que as pessoas estão fazendo como eu, vendendo seu carro e se locomovendo de Uber, esse movimento é ainda mais presente na geração mais jovem. Na minha família, dos seis jovens que a compõem, apenas dois possuem carro. O quadro abaixo mostra o declínio das vendas de automóveis no mundo.


É sabido que a Industria alemã depende é muito da produção de veículos cuja maior destinação é para o mercado externo. O crescimento do PIB nesse país em 2019 teve um dos seus piores anos, e não fosse o setor de serviços teria fechado no vermelho.


Para que se tenha uma ideia de quão ruim está a economia alemã, até a França teve um desempenho superior. Imagina o que significa para um alemão ter que enfrentar a gozação de seus vizinhos franceses, onde seu melhor “produto” são os seus lindos Museus? Hahaha ...


Mas a situação vem melhorando na Europa na esteira da recuperação mundial puxada pelo EUA. O alívio do acordo que deve ser assinado hoje, removeu algumas ameaças que pairavam no ar em 2019. O índice de surpresa da Europa, publicado pelo Citibank, aponta nesse sentido.


Mas os europeus podem ter uma esperança, pois o Presidente Trump poderá ficar envolvido com problemas internos este ano, tal como: seu processo de impeachment e sua candidatura a reeleição. Entretanto, como dizem os analistas de ações quando sugerem uma ação; a Europa está na sua recommended list! Hahaha ...

No post escadas-de-risco, fiz os seguintes comentários sobre o Ibovespa: ... “Na semana passada a bolsa rompeu o nível de 110 mil e agora caminha para seu novo objetivo ao redor de 120 mil. Se tudo correr bem, isso deverá ocorrer dentro de algumas semanas. De maneira preventiva, vamos subir o stoploss para 105.500” ...

Desde então, a bolsa vinha subindo quase que diariamente até o final do ano quando atingiu a máxima de 118.500. Em 2020 vem experimentando pequenas quedas. Ainda acredito que se encontra numa mini correção para buscar o objetivo traçado. No gráfico a seguir, destaco o intervalo onde essa reversão pode acontecer – 114.00 a 112.500, ou até menos que isso, se o caso for de um triangulo.


Estou postando na minha conta do Youtube – moscatrend, minha previsão de médio prazo para a bolsa brasileira que se encontra anexada abaixo. Como vocês poderão ver, existe a possibilidade de uma correção se suceder, depois de atingida a alta. A máxima atingida pode ser esse ponto de inflexão, pois está muito próximo do primeiro objetivo traçado.


Eu decidi tanto na bolsa brasileira como americana seguir com o mercado, sendo assim, se o mercado virar, seremos estopados. A razão eu venho enfatizando a possibilidade que estejamos num mercado de alta mais longínqua. Se esse for o caso, sair antes não é bom. Do outro lado, se não for o caso, não obteremos o retorno máximo que os gráficos apontariam. Sendo assim, atualizei meu stoploss para 112.00.

O SP500 fechou a 3.289, com alta de 0,19%; o USDBRL a R$ 4,1753, com alta de 1,03%; o EURUSD a € 1,1150, com alta de 0,21%; e o ouro a U$ 1.555, com alta de 0,58%.

Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário