2020: O risco vai compensar?

10 de fevereiro de 2020

Como perder as calças com uma barbada



Certa vez, no início da minha carreira profissional, o mercado de ações tinha sofrido uma queda expressiva. Meu pai, um imigrante pós guerra da Europa, não tinha conhecimento de mercados, mas sabia que eu estava nesse meio. Nesta ocasião ele ficou muito preocupado pois achou que eu tinha perdido muito dinheiro.

Não que eu tivesse muito a perder, porém ele estava atormentado com minha carreira e o meu estado emocional. Fui ao Guarujá neste final de semana para passar o fim de semana com eles. Sentado na praia ele tomou coragem e resolveu falar. “Filho não se preocupe eu vou transferir um bom valor para sua conta, para que você possa superar suas perdas”.

Profissionalmente neste momento eu estava na Planibanc, e lá aprendi os meandros da negociação com ações, bem como seus derivativos. O pessoal era fera, e montamos diversas operações muito lucrativas. Nesta ocasião, tanto eu como a Planibanc estávamos vendidos na bolsa. Sendo assim, ao invés de perder dinheiro estávamos ganhando.

Como poderia eu explicar ao meu pai que a queda da bolsa era boa para mim naquele momento? Resolvi omitir dizendo que não operava na bolsa, era muito arriscado! Ele ficou aliviado, e eu também!

Estamos em 2020, e hoje qualquer cliente que tem acesso para operar na bolsa, pode alugar ações e se aventurar numa venda a descoberto. Para quem não conhece esse tipo de operação resume-se em alugar um determinado papel, pagando um custo, e em seguida vender no mercado. Você irá ganhar dinheiro se, no futuro essa ação cair a um preço inferior ao da sua venda.

Mas isso nem sempre dá certo e os prejuízo pode ser bem elevado. Veja o que aconteceu recentemente na bolsa americana.

Você ouviu falar sobre Tesla? Ela subiu muito. Muito. Muito. Ou 400% de seus mínimos recentes. Agora, isso pode não importar muito, exceto que esse rali agora faz da Tesla um negócio extraordinariamente grande por valor de mercado. Com U$ 160 bilhões de capitalização, agora é a 44ª maior empresa do mundo. É aproximadamente do mesmo tamanho que o McDonalds e maior que a Nike. É QUATRO vezes o tamanho da Ford e da GM. Duas vezes maior que a Ford e a GM COMBINADAS. Grande parte desse crescimento parece estar relacionada ao squeeze extraordinário que fez muitas pessoas muito inteligentes parecerem muito tolas.


Em outros tempos, um bom selecionador de ações que se aproveitava de uma discrepância bastante incomum nos relatórios dos analistas. Mas ficou difícil de prever quais empresas terão bom desempenho no futuro. E honestamente, acho que quem finge saber está exagerando os poderes de sua bola de cristal. Embora seja difícil escolher os vencedores no mercado de ações, há uma coisa ainda mais difícil: escolher os perdedores. Mas por que a venda a descoberto é tão difícil?. Shorting nunca funcionou bem. E quais as razões do porquê? Então, vejamos por que o shorting é tão difícil.

1) Seu timing deve ser impecável

Shorting é diferente de estar comprado, pois seu timing precisa ser virtualmente perfeito. A triste realidade neste caso – comprado, é que, se a ação cair 50%, você precisará ganhar 100% para voltar ao ponto de equilíbrio. Mas o tempo está do seu lado, pois o longo prazo geralmente é bom para os comprados. As ações tendem a subir cerca de 75% do tempo num período de longo prazo, porque as forças macroeconômicas levantam todos os barcos a longo prazo. Mas se você negociar a descoberto e a ação subir 100%, não terá uma segunda chance. Você provavelmente receberá uma ligação de seu corretor informando que o jogo acabou. Portanto, seu timing precisa ser perfeito, porque quanto mais tempo você mantém uma ação, maior a probabilidade de ela se mover contra você, uma vez que, o mercado de ações gasta muito mais tempo subindo em média do que caindo.

2) As taxas irão compor seu curto prazo

As taxas matarão você a longo prazo, quando você tiver comprado. Mas eles são exorbitantes maior quando você aposta na baixa, porque são ampliadas. Um longo típico pode pagar uma comissão para possuir uma única ação. Mas quando você está vendendo, provavelmente está pedindo emprestado a descoberto. E você também é responsável pelo pagamento dos dividendos dessas ações. Em muitos casos, os custos anuais de empréstimos, mais dividendos, terão dois dígitos. Portanto, você não pode se dar ao luxo de pensar a longo prazo, porque as taxas que você está pagando para queda das ações estão consumindo cada minuto de cada dia. Isso torna o número 1 ainda mais importante e amplia a importância de um bom timing.

3) As empresas S&P 500 são vencedoras

Para se tornar um membro do S&P 500, é necessário ter um valor de mercado de pelo menos US $ 8,2 bilhões. Essa é uma empresa extremamente grande. Isso significa que, quando uma empresa é elegível para participar do S&P 500, ela é extremamente bem-sucedida. Curiosamente, apenas 9 empresas são excluídas do S&P 500, em média, por ano devido ao desempenho fundamentalmente ruim. Portanto, você não apenas tem uma janela limitada para escolher os perdedores, mas os perdedores não se tornam óbvios no curto prazo.

Conclusão

Eu acho que há um fascínio pelo shorting, porque é uma das maneiras claras de fornecer possíveis retornos assimétricos nos mercados. Mas encontrar essas assimetrias, vendendo a descoberto, provavelmente será mais difícil de encontrar do que poderíamos pensar.

Vamos voltar ao caso da Tesla, uma empresa comandada pelo polêmico Elon Musk, nunca deu um centavo de lucro e não parece que irá acontecer em breve. No ano passado, o mercado resolveu apostar que o preço de suas ações não condiz com a realidade econômica, e vendeu a descoberto suas ações. Em seus planos, estavam matérias e pressões para que a empresa não conseguisse mais se financiar, assim, recomprariam as ações a preço de banana.

Mas seu visionário fundador aguentou o tranco, e no final do ano passado quando a bolsa começou a subir, as ações da Tesla subiram muito mais, colocando esse vendidos em situação complicada, pois são exigidos margem em dinheiro sempre que o mercado vai contra suas apostas, nesse caso, quando sobe.


Num prazo um pouco superior a 90 dias suas ações subiram 250%. Para quem estava esperando ganhar 20% a 30% na queda, acabou perdendo uma fortuna.  

Esses são os riscos desse tipo de operação, pois pode ate ser que a Tesla não sobreviva no futuro, mas no curto prazo, a falta de vendedores fez os vendidos ficar em corner. Como dizia Maynard Keeynes, o mercado pode ficar mais tempo irracional que você solvente. A barbada de vender a descoberto uma empresa que só dá prejuízo e consome cada vez mais caixa, pode não dar certo!

No post contagio-de-segunda-ordem, fiz os seguintes comentários sobre o dólar: ...” Eu uso em grande parte de meu trabalho técnico a teoria de Elliot Wave, e vejam que completou 5 ondas como se poderia esperar no livro texto. Depois dessa alta, e de se aguardar uma correção que teria como primeiro nível R$ 4,22 e depois R$ 4,18, onde pretendo colocar minha ordem de compra de dólar com stoploss a R$ 4,11”...


Na sexta-feira, no post alegria-de-rico-dura-pouco,  propus um trade de dólar com condições diferentes da anterior: ...” coloquei um trade de compra de dólar a R$ 4,29 com stoploss curto de R$ 4,24, pois o rompimento de hoje poderia ser um false break” ...

No último final de semana, fiz uma análise um pouco mais detalhada sobre o dólar. Confesso que num determinado instante fiquei em dúvida qual deveria usar, embora todos apontem para alta no médio prazo. A seguir o gráfico com janela mensal.


Anotei acima os objetivos segundo duas opções distintas:

Em cinza: primeiro objetivo a R$ 4,70 que se ultrapassado deve ir a R$ 5,70.
Em azul piscina: primeiro objetivo a R$ 5,70 que se ultrapassado vai buscar R$ 6,75.

Confesso que ao me encontrar com esses níveis fiquei assustado e pensei, que no caso do cenário azul piscina prevalecer, que coisa ruim deveria acontecer, afinal, uma moeda não se desvalorizar mais de 50% do nada. Mas resolvi não me estressar com isso agora, vamos esperar acontecer. Além do mais, não sou futurólogo! Como cenário básico vou me basear no primeiro objetivo cinza – R$ 4,70.

Se eu usasse análise fundamentalista como poderia justificar esses níveis? Acho que teria que criar um panorama super hipotético que não mereceria a menor credibilidade. Porém, usando a análise técnica, não sinto o menor constrangimento, pois não tenho que justificar nada. A única coisa que pode ser questionada é a hipótese que usei. Além do mais, como não tenho compromisso com os preços e sim com o bolso, posso mudar numa boa, caso o mercado assim me indique.

Pelo desenrolar do mercado hoje, acho que o pessoal que está vendido em dólar está esperando ansiosamente o Banco Central entrar, mas até agora nada!

O SP500 fechou a 3.352, com alta de 0,73%; o USDBRL a R$ 4,3270, com alta de 0,16%; o EURUSD a € 1,0911, com queda de 0,29%; e o ouro a U$ 1.572, com alta de 0,18%.

Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário