2020: O risco vai compensar?

28 de janeiro de 2013

Movido a Helicópteros


Mercados financeiros e ciclos econômicos são influenciados por ondas de otimismo e pessimismo. Investidores, consumidores e companhias fazem suas decisões, baseados em certas crenças e intuição. Quando muitos participantes têm a mesma visão, uma onda de otimismo ou pessimismo acontece, que pode durar muito tempo, uma vez que as pessoas se reforçam umas as outras tendendo a ignorar os fatos que não estão de acordo com suas previsões. O otimismo está no ar, vários analistas em contato com seus clientes reportam que os mesmos acreditam que 2013 será um ano bom, seus argumentos são que a economia Global será melhor, a crise do euro está para traz e os investidores farão uma migração da renda fixa para as ações. 

Nos últimos anos introduziu-se uma nova matéria em economia chamada Financial Behavioral, que estuda os efeitos sociais, cognitivos e fatores emocionais nas decisões dos Indivíduos, e é sobre isto que reza o post de hoje.

Um estudo muito interessante relaciona a evolução do SP500 em função da ação do FED. Os argumentos atuais para sustentar as últimas altas são: a) Lucros melhores que os esperados; b) Crescimento  econômico robusto a frente; c) O final da bolha dos Bonds (queda dos juros); d) As ações estão baratas. Mas a real razão são os US$ 85 bilhões que o FED está injetando mensalmente, através do programas QE3 e QE4, como contra partida as reservas dos bancos depositadas no FED vem crescendo sistematicamente e hoje se encontram na casa dos US$ 1,58 trilhão, a título informativo antes de 2008 estas reservas estavam na casa dos US$ 20 bilhões, uma pequena alta! Veja a seguir o gráfico que compara este valor com a evolução do SP500, cuja correlação histórica é de 85%.


A cada alta da bolsa espera-se que continue ad infinutm. A realidade é que nunca acontece, e as correções são inevitáveis e inesperadas. A alta atual, que pode ser vista no gráfico abaixo e na tabela, poderão seguir o mesmo curso dos outros programas de QE (não sabem o que é esta sigla? HELICÓPTEROS). O objetivo teórico desta alta é o SP500 em 1.560, que acarretaria uma alta de 11%. A partir do momento que este patamar for atingido, a expectativa é de diminuição dos retornos, uma vez que este programa já estará totalmente precificado pelo mercado.



Parece razoável assumir que o FED está firmemente sob controle da situação no momento, por conta da liquidez que está sendo injetada. Entretanto cada programa anterior terminou com uma correção importante em ambos, no mercado e na economia, uma vez que os fundamentos foram suportados artificialmente, unicamente pelas intervenções.

Embora a intervenção do FED tem sido única, mercados impulsionados pela liquidez não. A alta do mercado, anterior a 2008, foi desta forma. A única diferença é que naquele ciclo o mercado de Imóveis foi impulsionado através de sua valorização, seus proprietários realizavam esta diferença (valorização) em dinheiro, como se fossem "caixas eletrônicos" tamanha era a facilidade de tal operação.

O gráfico a seguir mostra a impressionante semelhança entre os dois movimentos da bolsa e não é necessário frisar aqui, como terminou aquele ciclo de 2008.













Olhando agora sobre meu ponto de vista técnico, onde estamos na onda B, esta visão se encaixa muito bem. Vamos aguardar o início da onda C no camarote, ou melhor dentro do "Forte", liquidos!

Parece que depos do post real-zzzzz, nossa moeda resolveu acordar a valorização em relação ao dólar hoje, foi expressiva, conforme minha suspeita o caminho mais provável aconteceu. Não esqueçam "os gráficos não mentem jamais"! Hahahahah.... Aguarde amanhã novas análises do real.

O SP500 fechou a 1.500, com queda de 0,18%; o real a R$ 1,9950, com queda de 1,68%; o euro a 1,3452 sem variação e o ouro a US$ 1.654, com queda de 0,18%.
Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário