2020: O risco vai compensar?

24 de janeiro de 2013

Real: Zzzzz....


Já faz um tempo que não publico comentários sobre o real, mas era necessário? Acredito que não. Vamos inicialmente fazer uma análise das contas externas que foram recentemente publicadas, e não precisa perguntar que logo em seguida vamos ao gráfico. Fui mais rápido hoje! Hahahahah.....

O déficit no ano de 2012 foi de US$ 54,2 bilhões, número este semelhante ao de 2011, este valor foi financiado pela entrada de investimentos estrangeiros de US$ 65,3 bilhões, também semelhante ao de 2011, até aí nenhuma novidade, poderíamos assumir como estável, porém algumas alterações nas contas merecem destaque: A remessa de lucros e dividendos sofreu uma redução de US$ 10, 0 bilhões, enquanto do outro lado, houve uma piora no déficit por conta da Balança Comercial e da conta de serviços, como podem ser vistas nos gráficos abaixo.


Resumindo, a qualidade de nossas contas vem piorando, pois as remessas de lucros diminuiu pela queda nos retornos dos investimentos, enquanto a Balança Comercial está indo de mal a pior, é evidente que com quase US$ 400 bilhões de reserva, nada vai acontecer no curto prazo, porém com a mania criada no Governo, de querer se intrometer em todos as áreas, as perspetivas futuras ficam mais sombrias. Vejam no caso do câmbio, para a Balança Comercial seria melhor um dólar mais depreciado e para inflação o contrário, o que fazer? O BC vem "tabelando" nos níveis atuais!
Sem mais delongas para que meu "amigo" não me cobre, vamos aos gráficos:


- David, Não dá para entender nada neste gráfico, um monte de rabiscos coloridos!
Você tem toda razão, está confuso, mas é assim que eu trabalho e sempre procuro destacar o que considero importante, por outro lado, quem é mais técnico pode verificar minhas assunções, calma que agente chega lá! 
Primeiro veja o que destaquei em azul, praticamente entre abril de 2012 até agora, o real trabalhou a maioria do tempo entre R$ 2,01 a R$ 2,05, onde se encontra atualmente, em função da atuação do BC. Por enquanto eu ainda trabalho com uma nova alta do dólar, onde o caminho 1 parece ser o mais provável, neste caso pode-se esperar objetivos de R$ 2,25 ou talvez R$ 2,40. Se as cotações caírem abaixo de R$ 1,97, o caminho 2 ganha força e não vou traçar agora qual seria seu comportamento.

Não se esqueçam que o real está num movimento de correção desde 2008 e agora vocês já são experts no assunto, correção é correção!

Vou atrever-me a fazer uma previsão mais de longo prazo, o dólar contra todas as moedas com exceção do yen, está corrigindo as perdas dos últimos anos e ainda tem mais para acontecer, ou seja, espero valorizações do dólar contra todas as moedas. Depois disto, sai de baixo, ele vai se esborrachar, só para colocar pimenta nos meus argumentos, eu espero ver o euro acima de 1,60 e o real abaixo de R$ 1,50.

-David, você está louco!
Não, não estou, daqui uns cinco anos poderemos ver estas cotações. Lógico que algo de muito grave deveria acontecer nos USA, veja algumas delas: Elevação da inflação, dúvida sobre os títulos americanos ou uma discórdia com a China forçando a venda de seus Bonds americanos. Tudo isso são hipóteses que justificariam uma derrocada do dólar desta magnitude, que os gráficos sugerem.
Não fiquem receosos, o mosca está atento e no momento não tem nada a se fazer nesta direção, pois ainda In God we Trust, pero no mucho! Hahahahah....


Adivinhem de quem é este gráfico abaixo?
É aquela que é queridinha do mercado, e que era uma questão de tempo bater a cotação de US$1.000.


- Oh David, quer dar uma de gostosão? Só porque acertou esta? APPLE!
Palavra que não é para me vangloriar, é logico que todos nós gostamos de elogio, mas pé no chão, na área de investimentos, bobeou entrega o lucro e mais um pouquinho, eu só queria criar um pouco de sensacionalismo. 
E aí, dá para acreditar um pouco mais nos gráficos? Sempre tendo em consideração que a análise técnica funciona, mas nem sempre, esta é a razão dos stoploss.

Os preços estão se aproximando do intervalo que eu acredito seja um piso, pode  valer uma compra,  mas isto é um assunto para o futuro.

O SP500 fechou a 1.494, sem variação; o real a R$ 2,0290, com baixa de 0,29%; o euro a 1,3371, com alta de 0,41% e o ouro a US$ 1,667, com queda de 1,04%.
Fique ligado!




Nenhum comentário:

Postar um comentário