Inflação: A Revanche

18 de fevereiro de 2016

Haraquiri em finanças


O haraquiri é um ritual japonês de suicídio, cercado por regras e cerimônias. O ato visa, na maioria das vezes, reparar a honra do suicida, manchada por alguma conduta indígna. Em japonês, o termo haraquiri significa algo como "cortar a barriga", a expressão mais nobre para esse tipo de suicídio. O ritual fazia parte do código de ética dos samurais, grandes guerreiros nipônicos do passado. Nós ocidentais, assistimos estas cenas em filmes, e eu não me recordo de nenhum caso real nos dias de hoje. Se fosse usado aqui no Brasil, a lista de corruptos que cresce dia a dia, sempre acharia uma desculpa para não aplicar. Como dizia Paulo Maluf  "para os amigos tudo e para os inimigos justiça!"

O Japão luta contra uma estagnação econômica que já dura mais de 25 anos. Várias tentativas de reanimar sua economia tiveram um prazo curto de duração. O gráfico a seguir de seu PIB demonstra claramente este fenômeno.


Porém mais recentemente, principalmente depois da crise de 2008, muitas ações foram tomadas neste intuito. O quadro abaixo enumera 22 neste período.


Em 2013, o Primeiro Ministro Kuroda resolveu colocar em prática um programa de injeção de liquidez, para ninguém botar defeito. O mercado inicialmente recebeu bem essas medidas, que teve um impacto expressivo tanto na sua moeda (desvalorizando) quanto na bolsa de valores.

Mas pouco a pouco esse entusiasmo foi retrocedendo a realidade dos dados. Como o exposto no gráfico a seguir, o Japão nunca saiu da recessão, quando se avaliam os dados em termos reais.

Mais recentemente, num ação mais desesperada, implementou-se a política de juros negativos, buscando desvalorizar o Yen e melhorar sua balança comercial. O motivo pode ser explicado através da publicação dos dados mais recentes da balança comercial.


As exportações sofreram uma queda de 12,9% em bases anuais, enquanto as importações caíram 18% nas mesmas bases. Do ponto de vista do saldo, foi positivo, porém não é isso que o Japão busca. As importações tem um impacto grande em função da queda do preço do petróleo, item importante para esse país. A expressiva desvalorização do yen nesse período, que atingiu um percentual próximo a 70%, não está sendo suficiente para aumentar as exportações.

Nesta tentativa desesperada para tirar o Japão do atoleiro, o BC desse país entrou num programa sem limites, ao injetar quantidades enormes de liquidez, o maior de todos os outros quando comparados ao PIB. Outro fator de risco é o elevado nível de endividamento do governo, que ultrapassa 250% do PIB. Naturalmente com juros negativos, essa dívida em termos nominais tende a decrescer marginalmente.

Mas esse modelo pode ser projetado "ad infinitum"? Certamente não. Pode ser que em algum momento os japoneses comecem a desconfiar de toda essa alquimia financeira, e resolvam investir maciçamente em outro lugar, iniciando uma desvalorização mais descontrolada do yen. Nós aqui do Brasil, sabemos como isso pode acabar, mais inflação e um aumento da dívida de forma exponencial.

Se isso acontecer, será suficiente para considerar uma conduta indigna? Ninguém tem a resposta, mais que a população iria se revoltar contra o Primeiro Ministro parece certo. Talvez essa possa ser a primeira vez na história que um ato de haraquiri se daria por uma ação na área financeira. Porém, imagino que seria diferente do tradicional com um tantõ. Imagino que o Ministro entraria num helicóptero recheado de cédulas de yen, e quando estivesse no alto, se atiraria abraçado à moeda. Mas tem um pequeno detalhe, o Ben Bernanke deveria estar junto, afinal tudo começou por conta da sua sugestão! Hahaha... 

No post baby-busters, tracei minha estrategia para o euro: ...No curto prazo o movimento parece estar ficando "cansado", mas provavelmente ainda existe uma mini-alta até 1,14 - 1,145 (A). Se isto acontecer liquide a posição. Depois disso, um período de correção deverá acontecer levando o euro até a região de 1.105 - 1.11. Como vocês podem ver no gráfico, fico em dúvida quanto ao movimento seguinte. Mas vamos deixar isso de lado por enquanto...



Eu diria que o Mosca foi guloso, e acabou deixando uma parte do lucro na mesa, ao ser stopado dias depois a 1,115: ...Se quiser ser mais conservador, poderia vender metade da posição nos níveis atuais de 1,1270 e com a outra metade buscar este 1% a mais, it´s up to you. Eu vou aguardar, mas não esqueçam que estou com o gatilho na mão... Cést la vie!


Acabou não indo até o ponto (A) anotado no primeiro gráfico. Como podem verificar acima, o euro está rondando a área que considero de interesse entre 1.105 - 1,11. Hoje pela manhã atingiu 1,107. 

Vou colocar uma ordem de compra a 1.105 - 1.1075 com stop a 1.10. Esse próximo movimento irá esclarecer muita coisa, se o euro vai voltar a subir, ou estará rumo a novas mínimas. Minha aposta é que ainda falta uma pequena alta. Let´s see!

O SP500 fechou a 1.917, com queda de 0,47%; o USDBRL a R$ 4,0268, com alta de 1,08%; o EURUSD a 1,1100, com queda de 0,28%; e o ouro a US$ 1.234, com alta de 2,06%.
Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário