Inflação: A Revanche

26 de setembro de 2016

A democracia não está funcionando


Sinto que as pessoas estão intolerantes quando se deparam opiniões diferentes das suas.  Posso falar por mim, toda vez que vejo alguma postagem que é contrária as minhas crenças, fico muito irritado: ...” como assim, ele (a) não enxerga o que está acontecendo? ” ...  Imagino que a recíproca é verdadeira.

Vejamos as eleições para prefeito, ao verificar as primeiras prévias, os números já espelham essa disparidade e discordância entre os eleitores.

Dória, Marta e Russomano praticamente empatados com aproximadamente 20% e, Haddad mais abaixo com 10%. Agora façam uma pesquisa com eleitores desses candidatos e perguntem como seria para ele, se outro ganhar. A reação ficará no limite da hostilidade.

Mas isso não é privilégio nacional, recentemente a escolha dos britânicos pelo Brexit foi tão polêmica, que ainda existem analistas que esperam um novo plebiscito de confirmação. Outros que foram contra, como Martim Wolf, o renomado colunista britânico que abertamente critica e antevê dias piores, função dessa decisão. E o que dizer das eleições americanas, quando um candidato como Donald Trump está à beira de conquistar a cadeira da Casa Branca? Lá também, qualquer que seja o vencedor, a parte contrária ficará muito irritada, para dizer pouco.

Hoje será o primeiro debate entre os candidatos americanos, esse evento é aguardado por boa parte da população local, e por que não, do mundo. É esperado um recorde de audiência com 100 milhões de pessoas. Eu tenho um palpite que Trump vai conseguir desconcertar sua candidata, e a razão é que ele se utiliza de estratégias de intimidação que Hillary não usa. Para quem já quebrou quatro vezes, e continua com seus negócios, já demonstrou sua competência em situações de stress. Amanhã vamos saber se existe alguma indicação para onde pendem os votos. Independentemente dos resultados, vai valer a observação que fiz no parágrafo anterior.

Em situações normais é natural que as pessoas aceitem a derrota de seus candidatos ou ideias, e se conformem e até busquem encarar o lado bom do oponente. Mas hoje em dia, não parece existir tal complacência e as posições tendem a ser mais radicais, é preto ou branco.

Em estátistica a media é uma variável importnate, mas é de pouca valia quando o desvio padrão é elevado. O que ajudaria em sua decisão ao dizer que um evento acontece em média 30, com um desvio padrão de 25, se você tem somente uma tentativa? Não muita coisa. 

Não saberia dizer quais são os motivos dessa radicalização, tenho algumas suspeitas, mas de pouco importa agora. O que parece é que, democracia não funciona em situações com desvio padrão elevado de posições, e a culpa não é da matemática!

Voltando à economia, a tabela a seguir mostra como o FED tem errado em suas previsões ao longo dos últimos anos. A maior razão para tamanha diferença, se baseia no fato que a autoridade monetária estava muito confiante em seu plano de ativar a economia através de estímulo monetário, e agora, pode ter certeza que não funcionou, embora continue insistindo nesse modelo.


Um outro assunto controverso que prometo escrever amanhã, é sobre inflação. Ed Yardeni, um economista polêmico explica que existem dois tipos de inflação, e a que o FED está observando não lhe vai permitir aumentar a demanda. Intrigante!

A exatamente uma semana fiz os seguintes comentários sobre o dólarquem-sera-o-Trump-brasileiro-em-2018?: ...” até que o nível de R$ 3,30/3,35 seja rompido, o mercado é de baixa” ... ...” muita atenção deve ser tomada nos próximos dias e observar se o dólar volta a cair para buscar novas mínimas abaixo de R$ 3,10, ou um novo movimento de alta está se materializando. Como níveis colocaria R$ 3,15 para o primeiro cenário e R$ 3,35 para o segundo” .... Naquele momento a cotação encontrava-se em R$ 3,27.


Em uma semana voltamos praticamente ao mesmo nível que o da semana passada sem ainda uma definição clara para onde o dólar pretende caminhar. Marquei no gráfico as duas retas que podem fazer a diferença quando rompidas, e como podem notar estão muito próximas. Esses níveis são R$ 3,28 na parte superior e R$ 3,20 na inferior. Isso não significa que você deveria se envolver numa operação de compra ou venda de dólar, respectivamente, caso isso aconteça. Sugiro aguardar os níveis definidos acima, considerando na parte superior R$ 3,37.

Só para efeitos de projeção, caso o dólar ultrapasse o nível de R$ 3,37, podemos esperar altas até R$ 3,50 que, se rompida, o novo nível seria de R$ 3,65. Agora só falta combinar com os flamenguistas, cujo time deu uma reviravolta na sua fase ruim e está encostado no líder do brasileirão, o Palmeiras. Nesse momento, não podemos esperar pelos corintianos, precisam se concentrar no time.

- David, e porque não combinar com os palmeirenses, algo pessoal?
Aqui o caso não é de quem está na frente, mas de quem tem a maior torcida e neste quesito o Flamengo está disparado na frente de qualquer time brasileiro, inclusive dos internacionais. Não esqueça que o movimento do dólar ainda é de baixa e para reverter precisa de muita torcida Hahaha ...  

 O SP 500 fechou a 2.146, com queda de 0,86%; o USDBRL a R$ 3,2392, sem variação, o EURUSD a 1,1253, com alta de 0,19%; e o ouro a US$ 1.337, sem variação.
Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário