Inflação: A Revanche

1 de setembro de 2016

Bola para frente


Finalmente nos livramos da catastrófica gestão da Ex-Presidente Dilma e de seu partido o PT. Fico ainda perplexo ao ver pessoas esclarecidas defender que o processo foi um golpe, ou ainda outros argumentos para não aceitar que Temer assuma o comando do país. Sem entrar no mérito da questão que originou o impeachment, pois é mais que claro que houve crime de responsabilidade fiscal, eu perguntaria: se os deputados e senadores não representam seus eleitores, quem os representaria?

Além do mais, a grande maioria votou a favor do impeachment, tanto na Câmara como no Senado. A constituição é clara sobre esse ritual, e qualquer argumento é mais uma lamentação que uma razão para que não houvesse o impeachment. Bem, eu não quero mais perder meu tempo, nem ficar nervoso ao ter que repetir esses argumentos incansavelmente. Quem não estiver de acordo, lamento, esse foi o resultado. Se tiver alguma dúvida da incompetência desse governo, veja a comparação a seguir do PIB de diversos países.


Também não posso ser ingênuo e achar que os políticos que estão aí são santos, não são mesmo, aliás o sistema político é tão ruim que, mesmo ontem, foi aprovado que Dilma não perderá o direito de ocupar cargo público, o que é exatamente o contrário do que diz a lei. O argumento mais ridículo que eu poderia ouvir, foi da senadora Katia ao dizer que Dilma teria uma remuneração muito baixa, caso se aposentasse agora. Por que deveria valer para a cidadã Dilma e não para outros milhares de brasileiros? E olha, a grande maioria deles contribui para a previdência, e trabalhou honestamente! Estranho também, é como o Presidente do Supremo, Ricardo Lewandowski tratou deste assunto, com conhecimento e facilidade, teria estudado antes ou já sabia o que iria acontecer? Bem, também está de partida, dia 12 de setembro deixará o cargo.

A Venezuela, Equador e Bolívia decidiu retirar seus diplomatas do Brasil, por causa do impeachment da Dilma. Imagino que José Serra e Temer devem estar feliz da vida, tiraram um fardo de suas costas, pois era exatamente isso que gostariam que acontecesse, mas não tinham argumentos para “expulsa-los”. Acho que os Presidentes desses países deveriam fazer um curso básico de negociação, muito ingênuos, ou melhor, nesse caso arrogantes!

Mas como dizia um professor da faculdade, “o ótimo é inimigo do bom”, e a partir de agora devemos nos concentrar em virar o jogo, o que não vai ser nada fácil.

No post distorções-por-todos-os-lados, fiz os seguintes comentários sobre os juros de 10 anos: ...” Com relação aos juros de 10 anos, vou cancelar a proposta de trade de vender os juros a 1,45% old-r-us e inverter de ponta de forma muito oportunista” ... ...” O real motivo de minha mudança de posição está explicado no gráfico abaixo” ...


Acredito que poderemos liquidar a posição com os juros entre 1,75% - 1,85% com um stoploss associado de 1,40%. No curto prazo teremos a publicação dos dados de emprego amanhã.


Como comentei recentemente, o mercado ficará muito atento as próximas publicações de informações econômicas, haja visto a dúvida se realmente o FED vai parar de avisar o mercado e agir. Por sinal, essa foi uma discussão que tivemos no grupo de Wealth Management ontem, onde parte do grupo não interpretou que a alta é eminente. Eu continuo com meu ponto de vista de que a credibilidade do FED está tão baixa, que se não aumentar os juros agora em setembro, o mercado ficará ainda mais cético sobre a capacidade da Yellen em liderar seus membros.



O SP500 fechou a 2.170, sem variação; o USDBRL a R$ 3,2578, com alta de 0,96%; o EURUSD a 1,1196, com alta de 0,49%; e o ouro a US$ 1.313, com alta de 0,38%.
Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário