Inflação: A Revanche

11 de novembro de 2016

Apocalipse now


Getúlio Vargas costumava dizer uma frase que ficou famosa: “Para os amigos tudo, para os inimigos a justiça”. Trump também é partidário dessa ideia e é assim que os mercados estão reagindo. Para os americanos tudo!

Vocês notaram como ele está cordial nestas últimas 48 horas? O encontro com Obama ontem foi uma amostra. Depois de ter dito inúmeras vezes em sua campanha que o atual Presidente era um desastre, ontem fez elogios e até disse He is a good man. Talvez só uma pessoa ingênua como Obama pudesse acreditar nessas palavras. É dessa forma como psicopatas atuam, enquanto lobo sob a pele de ovelha.

Para quem tinha dúvidas se o novo Presidente era bom ou ruim para o Brasil, agora já não deve tê-las, pois o mercado está dizendo que é ruim. Por um lado, creio haver certa dose de exagero; por outro, não fomos escolhidos a dedo pelo mercado, afinal todos os emergentes levaram uma surra. A queda das moedas desses países foi generalizada, o gráfico a seguir do índice elaborado pelo JPMorgan, relativo a moeda dos emergentes, dá uma ideia da queda.


Mas não foi só na moeda, os bonds desses países também sofreram quedas importantes de preço.


O racional usado pelo mercado é duplo. Primeiro, o novo governo deve abandonar a política de juros atual, visto que o programa proposto é inflacionário; segundo, Trump deve ter uma política comercial protecionista, o que é prejudicial a esses países.

Diz-se no mercado: se uma pessoa quer saber como está a economia, consulte o preço do cobre - Doctor Copper. Com um programa anunciado de investimentos em infraestrutura, as commodities de uma maneira geral começaram a subir e em especial o cobre.

O mercado espera que o FED mude de postura e comece a subir os juros. Outra dúvida que paira no ar é, se a Professora Yellen vai terminar seu mandato ou vai renunciar antes disso. Eu não tenho nenhuma informação, mas tendo em vista a maneira nada cordial que o novo Presidente trata de seus assuntos, acho que ela irá renunciar antes do termino de seu mandato; eles não combinam em nada. E como fica o BCE e o BOJ, que ainda estão na era dos helicópteros? Ainda é cedo para dizer, mas o resultado já pode ser visto nas moedas; o “dólar – dólar” está em alta. Por exemplo, os juros dos títulos alemães que estava na lista dos papéis com juros negativos, deram meia-volta.


Poderia escrever aqui muitos outros mercados que apresentaram movimentos fortes nessas últimas 48 horas, todos baseados nas promessas de mudança que Trump fez em sua campanha. Mas não é muita mudança de uma só vez? Entendo que ele é um empresário e enquanto tal está acostumado a tratar de diversos investimentos ao mesmo tempo, pois tem uma equipe de profissionais que vai implementar seus projetos e tocar o dia a dia. Como Presidente é bem diferente, não vai poder usar sua experiência do Reality Show e fire todo mundo.

Uma outra conclusão que me parece lógica é que o mercado estava adormecido, depois de anos com a mesma retórica de juros baixos, helicópteros, economia dormente e etc ..., de repente acordou e passou de uma postura passiva para uma ativa. Se parece com um hiperativo. Também entendo que caso essa mudança seja para valer, os preços estavam muito errados. Acredito que em algum momento os mercados irão se estabilizar e aguardar a concretização das promessas. Estamos vivendo o Apocalipse now!

Hoje o comentário não poderia ser outro, o que aconteceu com o dólar? Como que o real levou ontem uma bordoada de mais de 5%? Já em setembro, no post so-far-so-good, fiquei intrigado com o fato de o real estar valorizando mesmo com saídas de dólares através da conta financeira: ...” Mas o que intriga são as saídas dos investimentos em carteira, para dizer a verdade, de difícil compreensão. Qual seria a razão dos estrangeiros saírem agora do Brasil? ” .... Elenquei 5 hipóteses que deveriam justiçar entradas e não saídas.

Talvez o mais importante foram as minhas colocações logo a seguir: ...” se esse movimento não se reverter em breve, o reflexo será sentido na taxa de câmbio, pois boa parte da valorização do real se deve a um movimento especulativo. Esses traders, apostam que, ocorrerão entradas no futuro, e um dia o futuro chega”... E o futuro foi ontem!

O que deu errado? Trump! Explico, com a vitória de Trump as entradas que os especuladores estavam esperando fica duvidosa. Além disso, o banco central brasileiro continuou retirando dólares diariamente através dos swaps reversos. Os bancos estão com posições muito vendidas em dólares. Esse cenário colocou os especuladores sem saída e, após romper o nível de R$ 3,26, imagino inúmeras ordens de stoploss foram acionadas sem ninguém para dar liquidez, situação conhecida como squeeze.

Conhecendo um pouco da cabeça dessa nova equipe, estou confiante que o banco central irá entrar no mercado fornecendo operações de swap agora na outra ponta, vendendo dólares; é o único que pode fornecer essa saída para esse grupo e evitar um ciclo vicioso no câmbio. Hoje pela manhã as cotações chegaram a R$ 3,50, uma alta nada desprezível de 12% em relação a mínima de R$ 3,11 a poucos dias atrás.

Hoje não vou analisar nenhum ativo, pois quero estudar com calma neste final de semana. Mas, já posso adiantar que talvez tenhamos visto o mínimo do dólar nesse ciclo de correção e a partir de agora vou passar de vendedor de dólares para comprador. Se bater R$ 3,36 hoje, sugiro compra com stop a R$ 3,26; recomendo também que a aposta seja menor, pois é muito provável que os stops serão maiores percentualmente.

Quero enfatizar que a certeza da mudança de movimento ainda depende de como o dólar irá se comportar daqui em diante, mas esse começo me deixa mais confiante que daqui em diante In God we Trust! Hahaha ...

-David, acho que você foi contaminado pelo Trump. Ontem estava vendido e ainda acreditava na queda do dólar, e agora mudou radicalmente?

Vou pegar seu gancho para enfatizar o modelo que o Mosca opera: Primeiro, segundo, terceiro, e ... o compromisso é sempre com o bolso, o resto não interessa! Hahaha ... Vou começar com o que enfatizei no post de ontem, onde disse que talvez R$ 2,90 ficaria para trás; depois, sempre trabalhei com a hipótese que o dólar está numa correção, e em algum momento elas – a correção, termina. Então, não tem porque ficar surpreso.

Outro ponto importante é o estabelecimento do stoploss. Caso não tivesse colocado nenhum limite de perda, hoje estaria aqui a “defender” minha posição com um baita prejuízo na mão. Fico até pensando qual será o argumento da Empiricus para seus clientes, uma vez que, colocou em seus relatórios que não tinha menor dúvida que comprar bolsa e real era a oportunidade da vida! De novo cometeram um grande erro. Já fiz meus comentários sobre eles no passado, não gosto de suas colocações, querem transformar a tarefa de investir com promessas de ganho. Para tanto oferecem seus relatórios para serem adquiridos em “promoção”, como se fosse um eletrodoméstico!


O SP500 fechou a 2,164, com baixa de 0,14%; o USDBRL a 3,39, com alta de 0,15%; o EURUSD a 1,0850, com queda de 0,36%; o ouro a US$ 1.225, com queda de 2,78%, estoua taulizando o stoploss para US$ 1.287, preço de entrada da posição.
Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário