Inflação: A Revanche

20 de abril de 2017

Allez le bleu!


Na véspera de feriado de Tiradentes, o evento mais importante será o resultado das eleições francesas no próximo domingo. Nessa última semana, houve uma acomodação nos mercados europeus acarretando uma leve alta na moeda única. Como deverá acontecer o segundo turno, só existe uma combinação que levaria os investidores à loucura: Marie Le Pen x Melechon, a primeira de extrema direita e o segundo de extrema esquerda.

Mas não parece ser esta a combinação esperada pelos mercados, o mais provável seria Le Pen x Macron. Se isso se concretizar as atenções se voltarão ao segundo turno, que será logo na sequência, dia 7 de maio.

O mercado depois de sucessivas surpresas contrárias ao que indicavam as pesquisas, prefere aguardar o resultado. Allez le blue!

Hoje o Mosca será mais enxuto em virtude do feriado. Vamos começar com algumas informações sobre a economia americana que no mínimo deu uma engasgada nesse primeiro trimestre. Isso se pode verificar no índice de surpresas publicado pelo Citibank. Esse índice é construído com o objetivo de avaliar se a previsão do mercado em relação aos dados econômicos, comparado com os dados publicados, foram melhores ou piores. Assim, um resultado próximo de zero indica uma coincidência entre ambos, se positivo melhores, e se negativo piores.


Como consequência direta, o mercado já está apostando somente em mais uma alta de juros até o final do ano. Lembrem-se que semanas atrás a tendência era de três altas de 0,25% para o ano de 2017.

 
O próximo gráfico é interessante pois exibe como se comportou a economia americana depois de várias recessões. Notem que a atual, em azul claro, é a pior de todas. Outro fator negativo é que esta é uma das mais extensas em termos de prazo.


Porém, os economistas do Bank of America acreditam que a estagnação vivida no mundo desde o final da Segunda Guerra Mundial está no final, onde as principais economias estariam entrando num novo ciclo de alta do PIB. Só não disse as razões para esse otimismo, ou será que academicamente parece fazer sentido?


No post  estragaram-festa, fiz os seguintes comentários sobre o Ibovespa: ...” Acima do nível de 67.000 nós ganhamos mais alento, mas mesmo assim não solte rojões é preciso ultrapassar os 70.000, pois a correção pode ainda demorar mais tempo, e não ter terminado, como eu gostaria” .... Tracei também um cenário onde nossa bolsa poderia ficar confinada num intervalo por alguns meses: ...” O gráfico a seguir sugere um movimento de correção denominado de triângulo que manteria os preços contidos entre 63.000 e 69.000 por um tempo. Apontei também que poderia se encerrar por volta de junho/julho, onde voltaria a subir” ...


Vocês têm acompanhado as revelações dos executivos da Odebrecht. Realmente não sei o que é mais preciso para colocar Lula e sua corriola na cadeia. Usando o seu raciocínio (lula), que é tudo mentira, qualquer pessoa conclui que houve muita criatividade dos delatores. Bota muita! Sugiro a esses executivos que estão sem emprego, a se dedicarem a carreira de escritor, seus futuros livros de romance e suspense, venderiam muito! Hahaha .... Só um psicopata para encenar com tanta convicção inúmeras mentiras.

Brasília está num polvoroso, não escapa ninguém. Imagino que o foco dos políticos seja como não virar réu. Sendo assim, estão pressionando o governo para que faça alguma coisa no intuito de salvar sua pele. Como contrapartida aprovariam o projeto de reforma da previdência. E é essa dúvida que começa a pesar sobre os ativos brasileiros. Por enquanto, nada significativo, porém esse passa a ser o foco.


No gráfico acima apontei duas possibilidades para os próximos meses:
1)      Verde – Nesse caso o Ibovespa permaneceria contido no intervalo entre 63.000 -69.000, para depois buscar novas altas ultrapassando os 70.000. Esta situação é compatível com a nossa posição.

2)      Rosa – A correção seria mais extensa e atingiria os níveis de 61.500 ou 58.500 (mais provável). Também teria uma duração mais prolongada.


Estamos com uma posição comprada. Quando ela foi realizada, a hipótese de retração estava baseada no cenário 1. Com o decorrer do tempo, o cenário 2 foi ganhando mais consistência e agora é tão provável quanto o anterior. Nosso stoploss é de 62.000, em último caso seremos executados, paciência! 

As 14:30 hs os mercados estavam: O SP500 a 2.356, com alta de 0,80%; o USDBRL a R$ 3,1629, com alta de 0,33%; o EURUSD a 1,0739, com alta de 0,28%; e o ouro a US$ 1.281, com alta de 0,23%.
Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário