Inflação: A Revanche

17 de abril de 2017

China volta a "recrescer"

Enquanto Donald Trump mostra sua preocupação com a Coréia do Norte pedindo ajuda aos chineses a fim de evitar um conflito, os chineses por seu lado, se colocam numa posição estratégica e poderosa. A Coréia do Norte depende 99% dos chineses para sobrevir, em função   das restrições impostas pela maioria dos países ocidentais. Não fabricam praticamente nada e importam tudo da China. Do outro lado, os americanos e especificamente Trump, ameaçou retaliar as importações chinesas, que se colocado em prática, teria um grande impacto para a economia daquele país.

Tenho a impressão que nesses últimos dias, a China enfatiza os temores para americanos e coreanos, a fim de capitalizar os resultados par si. Mas como de ambos os lados existem dois “loucos” nem sempre a lógica prevalece. Acho que teremos que conviver com essa ameaça constantemente.

Mas nem tudo são más notícias, a economia chinesa expandiu mais rápido do que se esperava no 1º trimestre, oriundos dos gastos de infraestrutura feitos pelo governo e o já aquecido mercado imobiliário. Isso acelerou o crescimento para uma marca superior à dos últimos dois anos, atingindo 6,9%. Porém não foi só seu PIB que apresentou resultado animador:
·         Investimentos em ativos fixos cresceu 9,2% em relação aos 8,1% anteriores e superior a 8,8% esperado pelos analistas;
·         Produção Industrial cresceu 7,6%, também bem acima das previsões de 6,3%;
·         Vendas ao varejo subiu 10,9% superando as estimativas de 9,7%.



Embora os dados econômicos são bem-vindos, as preocupações se voltam a expansão do crédito, o grande motor desses resultados. Como o próximo gráfico mostra, parece ser uma questão de tempo até que esse modelo impulsionado pelo crédito patine e o dínamo de crescimento mundial sofra uma parada cardíaca.

 
A minha colocação do título hoje é de certa forma irônica. A mídia anotou com manchetes ao enfatizar esses resultados da China. Mas será que o crescimento anterior ao redor de 6,5% pode ser classificado como não crescimento? Acho que o resto do mundo está esperando a salvação da humanidade através da China, ao invés de cada um se preocupar com seu baixo crescimento. Assim só poderia classifica-lo como um recrescimento!


Na última sexta-feira foram publicados alguns dados econômicos nos EUA. Um com especial atenção foi a inflação medida pelo CPI, que acabou apresentando um resultado abaixo das previsões feitas pelos economistas. O índice cheio foi de -0,3% no mês levando o acumulado anterior de 12 meses de 2,74% para 2,38%, enquanto o indicador que exclui gasolina e alimentos em bases anuais recou de 2,22% para 2,00%, exatamente o objetivo traçado pelo FED.


Em função desses resultados a probabilidade de um aumento de juros na próxima reunião do FED caiu abaixo de 50%, e está em 40%.

Outro dado publicado foi o das vendas ao varejo para o mês de março, que recou em 0,2% relativamente a fevereiro. Não bastasse isso, o resultado publicado anteriormente em fevereiro foi revisado para baixo indo de 0,1% para -0,3%.


O primeiro trimestre da gestão Trump não foi nada animador e como uma parte desses resultados negativos são justificados em função das temperaturas extremante adversas, como vem acontecendo nos últimos anos, espera-se que se recuperem rapidamente, senão ....

No post c'est-la-folie, fiz os seguintes comentários sobre o dólar: ...” um rompimento do nível de R$ 3,06 vai abrir a porta para nós, e abaixo de R$ 3,03, escancara! Pode ser que, o dólar ainda fique por mais algum tempo em cima desse número mágico de R$ 3,11, mas não deveria ser por muito tempo” ... ...” a configuração de triângulo parece estar se formando. Não custa repetir que nessas circunstâncias (67%), o triângulo tende a romper na direção que prevalece, neste caso para baixo, e 33% em sentido inverso” ...

 
Nesta segunda-feira, o dólar recuou e agora se aproxima da reta inferior do triângulo a R$ 3,10. Porém não temos nada para comemorar, pois é necessário que os níveis descritos acima sejam rompidos. Também não tenho como elevar o stoploss, pois a configuração que parece ser a mais factível, pode se alterar na sequência. Assim funcionam as correções.

 
- David, acredito que você está muito pessimista, observado o gráfico parece que agora vai!
Você assistiu o jogo Ponte de Preta 3 x 0 Palmeiras? Pois é, quem diria que a Ponte Preta venceria o forte Palmeiras de forma tão folgada? No mercado, assim como no futebol, comemoração só depois que o jogo termina. Entretanto, tenho que concordar que, no caso do Palmeiras, será quase uma missão impossível reverter esse placar. Um outro time em situação semelhante é o Barcelona depois da derrota para o Juventus pelo mesmo placar de 3 x 0. Se o Barça acha que vai repetir o que fez com o Paris St.Germain, pode tirar o cavalo da chuva, milagres não se repetem todos os dias!

O SP500 fechou a 2.349, com alta de 0,86%; o USDBRL a R$ 3,1037, com queda de 1,28%; o EURUSD a 1,0639, com alta de 0,28%; e o ouro a US$ 1.283, com queda de 0,16%.

Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário