2018: Vestibular Político

15 de setembro de 2017

Bitcoin e a Torre Eiffel


O leitor do Mosca sabe que provavelmente estamos no meio de uma explosão de criptografia. Em 12 meses, o valor de todas as moedas subiu 1,446% - e moedas mais novas, como a Ethereum, se juntaram à Bitcoin obtendo uma aceitação geral.

Enquanto pessoas como Jamie Dimon, CEO do J.P. Morgan e o famoso investidor, Howard Marks, têm sido extremamente críticos com as moedas digitais, muitos outros continuam a surfar a onda. Os possíveis efeitos da cadeia de blocos não podem ser subestimados, e isso pode até mudar a espinha dorsal de como os mercados financeiros funcionam.

No entanto, mesmo com a emoção e a ação que o tema desperta, ainda existe um grande problema para o leigo: é realmente desafiador decifrar as diferenças entre as moedas como Bitcoin, Ethereum, Ethereum Classic, Litecoin, Ripple e Dash.

Por esta razão, foi elaborado um infográfico que esclarece as principais diferenças entre essas moedas em um só lugar (caso o gráfico abaixo não seja legível use o link a seguir infographic)




A DESCRIÇÃO DAS PRINCIPAIS MOEDAS

Aqui estão as descrições das principais, que representam 84% do universo das cryptocurrencies.

BITCOIN

O Bitcoin é o cryptocurrency original, foi lançado como software de código aberto em 2009. Usando um novo ledger distribuído, conhecido como o blockchain, o protocolo Bitcoin permite que os usuários façam transações peer-to-peer usando moeda digital, evitando um custo dobrado.

Nenhuma autoridade central ou servidor verifica as transações e, em vez disso, a legitimidade de um pagamento é determinada pela própria rede descentralizada.

Conclusão: Bitcoin é a criptografia original com a maior liquidez e efeitos de rede significativos. Tem também, reconhecimento de marca em todo o mundo, com um histórico de oito anos.

LITECOIN

Litecoin foi lançado em 2011 como uma alternativa inicial para o Bitcoin. Por volta desta época, era necessário hardware cada vez mais especializado e oneroso para minar bitcoins, tornando difícil para as pessoas comuns entrarem na ação. O algoritmo do Litecoin foi uma tentativa para que qualquer pessoa com um computador comum pudesse participar da rede.

Conclusão: Outros altcoins tiraram parte da quota de mercado da Litecoin, mas ainda tem uma vantagem inicial de seu histórico e alguns efeitos de rede fortes.

RIPPLE

Ripple é consideravelmente diferente do Bitcoin. Isso porque a Ripple é essencialmente uma rede de liquidação global para outras moedas, como USD, Bitcoin, EUR, GBP ou qualquer outra unidade de valor (ou seja, milhas de passagens, commodities). No entanto, para fazer um acordo desse tipo, uma pequena taxa deve ser paga.

Conclusão: Ripple é executado com muitos dos mesmos princípios da Bitcoin, mas para um propósito diferente: servir como intermediário para todas as transações de moedas globais. Se conseguir capturar com sucesso esse mercado, o seu potencial é alto.

ETHEREUM

Ethereum é uma plataforma de software aberta baseada na tecnologia blockchain que permite aos desenvolvedores criar e implantar aplicativos descentralizados.

Na cadeia de blocos Ethereum, em vez de minar para bitcoin, os mineiros trabalham para ganhar éter, um tipo de token de criptografia que alimenta a rede. Além de uma criptografia comercializável, o éter também é usado pelos desenvolvedores de aplicativos para pagar taxas e serviços de transação na rede Ethereum.

Conclusão: Ethereum serve uma finalidade diferente do que as outras cryptocurrencies, mas rapidamente cresceu para deslocar todas menos o Bitcoin. Alguns especialistas são tão otimistas no Ethereum que eles até acreditam que se tornará a maior cryptocurrency do mundo em apenas um curto espaço de tempo - mas apenas o tempo dirá.

ETHEREUM CLASSIC

Em 2016, a comunidade Ethereum enfrentou uma decisão difícil: o DAO, uma empresa de capital de risco construída em cima da plataforma Ethereum, sofreu um roubo de US $ 50 milhões em uma vulnerabilidade na segurança.

A maioria da comunidade Ethereum decidiu ajudar o DAO, mudando a cadeia de blocos para retornar o produto roubado de volta ao DAO. A minoria pensou que esta ideia violava o fundamento da imutabilidade de que a cadeia de blocos foi projetada e mantiveram o blockchain Ethereum original como era. Por isso, o rótulo "Clássico".

Conclusão: com o passar do tempo, Ethereum Classic gravou uma identidade separada de seu irmão maior. Com capacidades semelhantes e um conjunto de princípios diferentes, Ethereum Classic ainda poderia ter uma vantagem.

DASH

A Dash é uma tentativa de melhorar o Bitcoin em duas áreas principais: velocidade das transações e anonimato. Para fazer isso, tem uma arquitetura de dois níveis com mineiros e também "masternodes" que ajudam a rede a executar funções avançadas, como transações quase instantâneas e mixagem de moeda, proporcionando privacidade adicional.

Conclusão: as inovações por trás do Dash são interessantes e podem ajudar a tornar a moeda mais amigável do que outras alternativas.

Imagino que seja difícil aos leitores avaliarem se essas moedas são efetivamente moedas, depois qual delas escolher. O intuito do post hoje é para que conheçam as principais, bem como possam consultar o infográfico quando tiverem alguma dúvida.

Na última segunda-feira, publiquei um post onde comento as últimas medidas tomadas pelo governo Chinês, proibindo a negociação das moedas digitais nas bolsas. Desde então, alguns ícones de Wall Street como o CEO do JP Morgan, Jamie Dimon, afirmaram que as cryptocurrencies são uma fraude. Jeffrey Gundlach, considerado o novo guru do mercado de bonds americanos, disse que ele “iria passar” nos negócios dessas moedas. Por tudo isso, o Bitocoin e seus assemelhados sofreram uma queda significativa, ao redor de 35%.

Um outro analista faz uma comparação dos movimentos de mercado que se assemelham a “Torre Eiffel”. Nos exemplos abaixo, se um determinado gráfico se assemelha ao lado esquerdo da torre, a chance é que você verá o lado direito da torre em algum momento no futuro.



Jamie Dimon comparou o movimento da Bitcoin ao que ocorreu na febre da tulipa, famosa passagem da história econômica, onde em 1637 na Holanda, essa flor pela sua beleza, passou a ser muito procurada, fazendo seus preços explodirem.

Com o passar do tempo saberemos se o Bitcoin, conforme o gráfico abaixo sugere, registrou sua máxima histórica no presente mês. O efeito “Torre Eiffel” pode estar acontecendo. Do ponto de vista técnico, o nível atual, ao redor de U$ 3.000 – 3.100 é muito importante. Para quem está comprado, esse nível tem que aguentar a pressão.

 
 No post dom-Palocci-independência-ou-cadeia, fiz os seguintes comentários sobre os juros de 10 anos: ...” agora projeto uma queda dos juros para o nível de 2,00 % - verde, e se rompido para 1,85% - rosa. O que mudou? A violação dessa área implica que a correção esperada já tivesse terminado” ...

 
Os juros estiveram na última sexta-feira, muito próximos (2,01%) de atingir um dos objetivos traçados a 2%. Naquela data pairavam grandes riscos do furacão Irma se tornar devastador, o que felizmente acabou não acontecendo. Desde então, os juros subiram, e se encontram agora em 2,20%. Será que o movimento de alta que estou esperando já começou?


Não me parece que esse momento chegou. No gráfico acima apontei um possível movimento de queda antes que a alta se materialize. Se atingir o nível de 2,25%, provavelmente vou propor um trade na queda de juros, consistente com a premissa acima.

Uma das coisas que eu aprendi em correção é que, tudo é possível, sendo assim, e se por acaso os juros estiverem no caminho de alta, o nível de 2,35% -2,40% precisa ser ultrapassado, sendo que a confirmação acontece acima de 2,65%. Por enquanto esse não é meu cenário básico, mas quem sabe ....


O SP 500 fechou a 2.499, com alta de 0,18%; o USDBRL a R$ 3,1137, com queda de 0,13%; o EURUSD a € 1,1950, com alta de 0,26%; o ouro a U$ 1.320, com queda de 0,66%.

Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário