Inflação: A Revanche

20 de abril de 2016

A caminho da radicalização

O Deputado Bolsonaro gerou uma reação de indignação através das redes sociais. Ao votar no domingo, exaltou o Coronel Brilhante Ustra, considerado um dos maiores torturadores da época Militar. Ao contrário da maior parte dos Parlamentares, que homenagearam seus familiares, esse deputado exaltou “Contra o comunismo, pela nossa liberdade, contra o Foro de São Paulo, pela memória do Coronel Carlos Alberto Brilhante, o pavor de Dilma Rossueff, pelo exército de Caxias, pelas Forças Armadas, meu voto é sim”.

O não menos radical, porém de esquerda, Deputado Jean Wiilians, cuspiu na cara de Bolsonaro, e foi manchete dos jornais ontem. Seu motivo maior é que Bolsonaro prega ser contra os homossexuais, diz ser uma doença que tem que ser tratada. Mas Wiilians também tem uma postura nada democrática, por exemplo ao criticar um jovem de 19 anos que teve sua matéria publicada na Folha de São Paulo, dizendo que esse rapaz é um analfabeto político.

Esse rapaz, Kim Kataguiri, publicou um vídeo na internet com suas colocações que são bastante convincentes, do qual extrai alguns trechos: “Como pode deputado Jean, que diz defender os negros e os gays, idolatrar Che Guevara?” Ele lembra que se Wiilians lá estivesse, na Revolução Cubana, seria fuzilado por ser gay. “Assinar um projeto de lei que inclui o islamismo nas escolas, movimento que mata mulheres e homossexuais”. É, parece que o deputado Willians, também não merece aplausos.

Esses casos parecem ser dois exemplos de parlamentares que pregam a radicalização em sentidos opostos, um para direita e outro para a esquerda.

A história da humanidade é recheada de exemplos onde extremistas tomaram o poder. O que é comum em todos os casos, é que a sociedade está tão insatisfeita que se afasta da democracia e busca soluções nos extremos.

Mas é só aqui que estas radicalizações estão acontecendo? Não, minha resposta mira para o norte do Continente, os USA. Parece que Donald Trump segue firme para ganhar a nomeação do partido Republicano e concorrer à Casa Branca, no final deste ano. Alguns gurus de Wall Street, como Jeffrey Gundlach, gestor de um dos mais bem-sucedidos fundos de bonds, disse numa entrevista ao Financial Times que, se Trump for o candidato dos Republicanos vai ganhar a presidência.

Pensem bem, Trump e Bolsonaro têm muita diferença em seus discursos? Não no conteúdo específico, mas na essência. Vocês podem ser perguntar como um país tão democrático, com leis que funcionam tão bem, empreendedor, desenvolvido, primeira economia do planeta, pode eleger um americano com ideias tão radicais? A resposta na minha humilde avaliação está no gráfico abaixo

Enquanto uma pequena parcela enriqueceu nos últimos 50 anos, a maioria da população permaneceu com uma renda praticamente estagnada.

Movimentos sociais têm comportamento reativo como o do equilíbrio instável em Física. Um exemplo clássico consiste no experimento de colocar grãos de areia num castelo na praia, até que este desmorone. Mesmo bilhões de simulações, com o objetivo de identificar depois de qual grão o castelo irá ruir, não conseguem chegar a um resultado. O castelo cai sem que se consiga prever quando.

Será que estamos entrando numa era de radicalizações de esquerda e direita globalizada? Ninguém tem a resposta, mas sente se no ar que as pessoas não estão satisfeitas. A história não traz um bom track record desses momentos. E neste caso, diferente do disclaimer colocado no rodapé dos fundos, os resultados se repetem.

No post cada-macaco-no-seu-galho, fiz os seguintes comentários sobre o euro: ...”O movimento desta semana levantou a possibilidade que está esboçada em verde, ou seja, que o euro está traçando um triângulo. Isso olhado de hoje, ainda é só uma possibilidade e não me aventuraria a nenhuma posição agora”...
O gráfico a seguir tem uma visão de curto prazo, e como pode se verificar, nestes últimos dias, ainda existe indefinição em qual será o rumo da moeda única.
Como anotei, ao redor de 1,15, passa a ser o grande teste. Se o euro ultrapassar, é provável que iremos entrar num trade de compra. Inversamente, se cair abaixo de 1,1230, poderá estender mais a queda. Tenho uma preferência para esse último.


A hipótese que aventei no post acima, de que o euro estaria contido dentro de um triângulo, só poderá ser confirmada com o tempo, em todo caso, se alguém quiser apostar na venda do euro, sugiro um stoploss ao redor de 1,145.

O SP500 fechou a 2.102, sem variação; o USDBRL a R$ 3,5280, com queda de 0,13%; o EURUSD a 1,1292, com queda de 0,55%; e o ouro a US$ 1.244, com queda de 0,51%.
Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário