2018: Vestibular Político

5 de março de 2018

Fala sério!



As eleições na Itália apontam um empate técnico em todos os sentidos. O grande ganhador foi o partido populista 5 estrelas com 32% dos votos. O problema que ele sozinho não consegue governar, assim é necessário fazer acordo com outros partidos, e isso será seu maior desafio, pois tem agido com bastante hostilidade com os outros partidos. Por outro lado, ninguém consegue governar sem eles.

Para entender a disparidade dos eleitores italianos, a coalizão conservadora, que inclui o Forza Itália, partido do ex- Primeiro Ministro Silvio Berlusconi, projeta receber 37% dos votos, ficando aquém da maioria tanto na Câmera como no Senado.

O que se pode notar desses resultados é que a Itália, e por que não dizer o mundo, ainda continua muito dividido. Esse ano teremos eleições aqui e cada vez mais acredito que essa polarização vai fazer parte das nossas escolhas. Acho perigoso ficar com a posição assumida pelo mercado, a de que, Geraldo Alkmin irá ser o novo presidente.

Os últimos dados da economia mundial mostram uma certa indefinição sobre o futuro esperado pelo os analistas. Também não é nada que indica uma mudança de direção, espero que seja uma pausa.

O banco Goldman Sachs elabora um indicador denominado de GLI – Global Leading Indicator, que apresentou uma pequena retração.


Na mesma direção, o índice de surpresas que corresponde ao grupo do G10, maiores economias do mundo, desacelerou neste ano, se situando no campo negativo.


Já os PMI das 3 principais economias mundiais para o mês de fevereiro, se pode notar a retração da Europa, enquanto tanto os EUA bem como o Japão, estão expandindo.


A moeda japonesa foi tida como uma ótima opção de investimento ao se adotar uma posição vendida. O racional é que, como o BOJ estabelece uma política monetária muito frouxa há diversos anos, o diferencial de juros entre as moedas era um grande atrativo de resultado – carry trade. O fluxo dos investidores japoneses era no sentido de vender sua moeda e comprar títulos de outros países, principalmente os americanos. Isso funcionou por muitos anos, mas veja o que aconteceu recentemente.


Parece que houve uma “separação” entre o yen e os títulos de 10 anos, e não parece nada consensual! Mas o que poderia estar por traz de tamanha mudança, uma traição? Hahaha .... Nada disso, uma fraqueza do dólar de forma generalizada, ocasionada por diversas percepções dos investidores: a região do euro e do Japão vem melhorando seu potencial de crescimento, elevação do déficit americano ocasionada pela política maluca de seu presidente (vide abaixo).


Uma dinâmica criada nesse sentido poderia ser muito prejudicial a estabilidade financeira internacional. Se isso continuar, dentro em breve, vamos observar artigos nos colocando em dúvida a capacidade financeira dos EUA.

Todos conhecemos o pitoresco investidor Warren Buffet, que adotou uma política de investimento que deu muito certo. Poderia resumi-la em comprar barato. Deu tudo certo até agora pois o mercado vem subindo desde 1929. Basta ter sangue frio e comprar nos momentos de crise. Ultimamente, deve acreditar que os preços das ações, segundo seu critério, estão cada vez mais caros. Veja a seguir sua posição em caixa.


No post inflação-inflação-inflação, fiz os seguintes comentários sobre os juros de 10 anos: ...” fico atento aos movimentos de curto prazo, e sob essa ótica, os juros tem mostrado uma certa indefinição. O gráfico a seguir, com uma janela mais curta, se nota que os juros estão “cuidadosamente” se aproximando do nível de 3%. Tanto que os que apostam na alta, bem como quem aposta na baixa, estão incomodados” ...


Acredito que eu estava muito preocupado no momento que publiquei esse post. Ao analisar melhor o gráfico, percebi que deveria aceitar um período de consolidação antes de um novo eventual ataque do nível de 3%. Sendo assim, o stoploss mais recomendável dever se situar a 2,74%. Estou fazendo a alteração.


Eu não gosto de atualizar o stoploss no sentido inverso, afrouxando, mas esse é um caso de um engano e não um movimento defensivo, torcida.

Um movimento dos juros vai depender da algum catalizador, e me parece o mais plausível a inflação. A publicação desse indicador só acontece na metade do mês. Essa semana teremos os dados de emprego a serem divulgados na sexta-feira, que poderá revelar uma eventual pressão nos salários. A verdade é que os juros de 10 anos estão indecisos por enquanto.

O SP500 fechou a 2.720, com alta de 1,10%; o USDBRL a R$ 3,2425, com queda de 0,29%; e o EURUSD a 1,2335, com alta de 0,15%; e o ouro a U$ 1.320, com queda de 015%.

Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário