2018: Vestibular Político

23 de março de 2018

Roubaram o peru



Estou anexando um artigo publicado pelo Estadão escrito pelo renomado colunista do New York Times, Thomas Friedman, onde cita as atitudes de Trump e Putin A compulsão une os líderes dos EUA e da Rússia. Ela cita uma história que lhe foi contada por um beduíno sobre um chefe beduíno que um dia descobriu que seu peru favorito havia sido roubado. Ele reuniu seus filhos e disse: “ Meninos, estamos correndo um grande risco. Quero que vocês encontrem o meu peru”.

Como seus filhos nada fizeram, o roubo em objetos e até o rapto de sua filha se sucederam. Seus filhos se aperceberam do perigo nessa evolução, mas nada mais poderia ser feito, pois “ Tudo isso é por causa do peru, perdemos tudo”!

O artigo é interessante pois faz uma comparação com o que está acontecendo Trump e com o Putin.

Ontem tivemos a lamentável decisão do STF de adiar a decisão sobre o HC do Lula. Assisti a alguns trechos da explanação dos Ministros e não é preciso ter o diploma da OAB para refutar os argumentos usados para basear suas decisões. Não consigo elencar nenhum motivo lógico para essa decisão que foi tomada. Quanto dinheiro é jogado no lixo! Com matérias muito mais importantes a serem decidias fica-se centenas de horas tentado livrar um corrupto da cadeia.

Que diferença do TR-4 e do STF, o primeiro absolutamente técnico, o segundo absolutamente político. Aliás, não deveria ser o executivo que indica os Ministros, num país como o Brasil, isso não é confiável, um enorme conflito de interesses! O Ministro Gilmar Mendes fez um comentário patético durante a secção, ao dizer que, o francês do advogado de defesa é maravilhoso e complementou com outras besteiras. O que é isso gente! Por mais que ele acredita na capacidade desse advogado, não seria o local para fazer essa observação. Nossa única revanche é que esses magistrados vão viver numa prisão social, ou seja, não poderão frequentar nenhum lugar público.

Aí entra a história contada acima, metaforicamente, no STF o peru já foi roubado. “Quando as pessoas insistem em corroer as normas da sociedade, roubar – sejam perus ou a verdade – acaba se tornando norma”. Uma constante corrosão das normas é o que o STF vem fazendo no Brasil!

No hemisfério Norte não parece ser diferente, lógico que o assunto é outro. Trump deu ontem o início a uma guerra comercial entre os EUA e a China.

O conflito comercial entre a China e os EUA se intensificou, com Pequim anunciando sua primeira retaliação contra cargas de metais horas depois de o presidente Donald Trump ter delineado novas tarifas sobre US $ 50 bilhões de importações chinesas e prometido que há mais a caminho.


Nesta sexta-feira, a China divulgou tarifas sobre US $ 3 bilhões de importações dos EUA em resposta às tarifas de aço e alumínio encomendadas pela Trump no início deste mês. A Casa Branca então declarou uma isenção temporária para a União Europeia e outras nações sobre essas taxações, deixando claro o foco na China. Embora as ações de Pequim até agora sejam vistas pelos analistas como comedidas, pode haver mais por vir.

"A resposta da China é surpreendentemente modesta à luz das ações dos EUA, sugerindo que pode haver muito mais por vir", disse Stephen Roach, ex-presidente não-executivo do Morgan Stanley na Ásia e atualmente membro sênior da Universidade de Yale. “Como o terceiro maior e mais rápido crescimento do mercado de exportação dos EUA e o maior proprietário estrangeiro de títulos do Tesouro, a China tem consideravelmente mais influência sobre os EUA do que os políticos de Washington gostam de admitir”.

A China também buscará uma ação legal contra os EUA na Organização Mundial do Comércio (OMC) em resposta às tarifas planejadas dos EUA sobre as importações de aço e alumínio, disse o comunicado, e pediu um diálogo para resolver a disputa. Com a resposta de Pequim às tarifas destinadas a abusos de propriedade intelectual - promulgadas sob a seção 301 da lei comercial dos EUA - ainda não anunciadas, o valor relativamente limitado do comércio pode ser apenas o primeiro estágio de sua resposta.

Mais tarde, na sexta-feira, Chen Fuli, chefe do tratado e departamento de direito do Ministério do Comércio da China, disse que um plano abrangente para combater a ação do 301 foi preparado. Ele acrescentou que o governo não teve comunicação com os EUA sobre a questão, pois é uma ação unilateral não coberta pelas regras da OMC.

Ontem comentei sobre quais seriam as reais intenções de Trump ao tomar medidas que vão na contramão da modernidade, muitas delas com impactos opostos aos que ele declara. Independente de qual é a sua motivação, parece claro que esse movimento está longe de terminar. Se pode esperar medidas de retaliação vindas de todas as partes, no intuito de proteger as empresas nos países afetados. Quanto maior forem essas medidas maior será o impacto na inflação, além de criar instabilidade nos mercados financeiros.

Como menciona Thomas Friedman em seu artigo, roubaram os perus por lá também!

Um comentário rápido sobre a inflação aqui no Brasil. Hoje foi publicado o IPCA-15 mostrando uma variação de 0,10%, levando a taxa de 12 meses para 2,80% a.a. Novamente a alimentação votou a deflação desafiando a lógica esperada, além de educação e transportes. Para o mês fechado de março, a Rosenberg estima 0,13% no mês, deixando a taxa anual abaixo de 3,0%.


Para o ano de 2018, a Rosenberg espera uma taxa de 3,5%, que é abaixo da estimativa do mercado. É verdade que a cada publicação esse indicador vem decrescendo. Cadê a inflação!

No post robôs-high-tech, fiz os seguintes comentários sobre os juros de 10 anos: ...” minha expectativa é de uma alta entre 3,04 % - 3,08%. Como mencionei é necessário um rompimento acima de 2,95% para que essa indefinição fique resolvida” ... ...” eu insisto a importância em termos técnicos do nível de 3% a.a., não deverá ser fácil romper. Mas se romper, poderá ser explosivo, atingindo rapidamente 3,4% e em seguida 3,7% a.a., sem que muita coisa aconteça do lado real” ...

Por enquanto as apostas estão dividas no mercado de um lado, acreditando que os juros já chegaram no topo, estão os investidores que acreditam que ou o FED não vai subir os juros da maneira como vem anunciando, ou a economia entrará numa desaceleração daqui a 12/18 meses, e, portanto, o FED terá que cortar os juros. O outro grupo acredita que a inflação vai subir e por isso o FED terá que acelerar o passo, a guerra comercial ajuda nesse sentido. Por último o grupo que durante 30 anos usa os bonds como proteção para a bolsa, pois eles tiveram correlação negativa. Assim, com a queda recente da bolsa compram os títulos do governo.


A área interior em verde significa sem tendência, ou preparando forças para subir, ou eliminar a tendência de alta de curto prazo. Os participantes estão disputando conforme as convicções apontadas acima. Queria deixar um aviso ao último grupo, que acredita na correlação negativa entre a bolsa e os bonds. Se realmente a inflação subir, e aqui não quero dizer a meta do FED, algo acima de 2,5% a 3% a.a. Se preparem para um choque, a correlação ao invés de negativa será positiva, a bolsa e os bonds – juros subindo) irão cair.

Com a queda dessa semana, vou aproveitar para liquidar metade da posição do SP500, além de alterar o stoploss para 2.700.


O SP500 fechou a 2.588, com queda de 2,10%; o USDBRL a R$ 3,311, sem alteração; o EURUSD a 1,2351, com alta de 0,41%; e o ouro a U$ 1.346, com alta de 1,37%.

Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário