Inflação: A Revanche

14 de setembro de 2015

Mosca sub judice

Hoje vou dedicar o post para tratar de uma tendência que venho observando. Com certa frequência, ao encontrar com assíduos leitores do Mosca, eles fazem comentários do tipo: ... "você não tem indicado uma direção, pois diz que, caso não suba devera cair"...; ... "está com medo de botar na reta?"... Fiquei preocupado, pois percebi que não devo estar me comunicando corretamente. Mas se é assim que estou sendo percebido, a falha é minha.

É difícil explicar análise técnica de uma forma simples, primeiro porque a grande maioria das pessoas tem desconfiança desse método, e segundo que não é um modelo fechado, depende da interpretação do analista. Em todo caso vou tentar.

Eu uso basicamente dois modelos, se é assim que posso chamar: Elliott Waves e Momentum.

Elliott Wave - Esta técnica parte do principio que os movimentos acontecem segundo cinco ondas de alta ou baixa, intercalo por três ondas de correção. As ondas guardam proporções segundo  múltiplos baseados na sequência de Fibonacci.

Escolhi um exemplo real para que vocês possam entender e acreditar que o método é bom. Eu dei o codinome de "traiçoeira" para o euro, pelos sinais confusos emitidos durante os últimos anos. Entretanto, se o Mosca  tivesse começado  em 2001, provavelmente a chamaria de "mina de ouro", veja por que.
Em 2001 o euro atingiu a mínima de 0,83, e durante os sete anos seguintes, praticamente subiu sem parar, com retrações dentro do que se poderia esperar. Em 2008 atingiu 1,60, uma alta de 88%. Se alguém comprou num ponto bom, mais ou menos, ou péssimo, provavelmente teria ganhado muito.

Acontece que esses movimentos terminam, e em seguida começam as correções que tem os mais variados formatos, com pouca previsibilidade. Continuando com o euro, vejam como foi a trajetória após 2008.
Nos últimos sete anos, a moeda única retrocedeu de 1,60 para as mínimas atingidas neste ano de 1,06, correspondendo a uma queda de 50%. Eu duvido que algum investidor conseguiu ficar este tempo todo vendido, só se ele vendeu e foi para Marte! Hahaha... As correções são muito mais complicadas de se operar.

Momentum - Esses são indicadores cujo objetivo é identificar com que "força" o movimento se desenvolve, e também, possíveis pontos de reversão. Existem vários tipos, porém os mais conhecidos são: RSIMACDStochastic, entre outros. Eu uso uma combinação deles através de um software desenvolvido por Walter Bresset, que tem um layout como o abaixo.
São quatro informações analisadas em conjunto, e quando apontam na mesma direção, fornecem mais sustentação ao movimento. O gráfico acima é do euro desde 2008, e ainda indica sinais de queda, embora uma recuperação pareça estar a caminho.

O mais incerto em análise técnica é estimar o tempo de cada movimento. Sabendo isso, vocês podem entender o porque eu não consigo prever quanto estará o dólar no final do mês, sei lá! O que eu pretendo é indicar a direção e os níveis, e esses níveis não são fixos, vão se elevando conforme o mercado ultrapassa um nível inferior.

Em linhas gerais, se um mercado encontra-se num movimento de longo prazo de alta (ou baixa) dá para ficar mais macho, e mergulhar na mesma direção, a chance de dar errado é baixa. Agora se ele encontra-se numa correção, tem que se ter cuidado redobrado, e dependendo se está no inicio ou no fim, faz uma tremenda diferença.

Do modo que estou enxergando, a maioria dos mercados encontram-se na fase final e é perigoso, você querer tirar a última lasca. Mas se mesmo assim você assim desejar, poderá incorrer em dois riscos: primeiro perder dinheiro no seu trade e segundo ficar na contramão quando um novo movimento direcional se inicia.

Por tudo isso, a imagem que posso estar transparecendo, a de medo ou a de não querer me posicionar, não é definitiva. Na verdade o momento é de cautela.

Não sei se a reversão já começou, ou está prestes a começar, não sei! O que eu sei, é que se quiser ser ganancioso e apostar no movimento que vem prevalecendo, posso incorrer nos erros apontados acima.

Os mercados vão permanecer por muito mais tempo que o Mosca, não existe necessidade de se apressar. Um analista tem que saber em que altura do muro está se arriscando, de um metro ou cem! Se neste momento o Mosca tem que pagar o preço de ser caracterizado como "covarde", paciência, sei como é difícil ganhar dinheiro e como é fácil perder!

Se alguém continuar com alguma dúvida, use os comentários no final de cada post, para que possa esclarecer.

Nessas conversas parece que também não é clara minha posição sobre o real. Até segunda ordem o dólar é para cima.

- David, é porque você não sugeriu um trade de compra?
Vamos então rememorar, no post dinheiro-não-recebe-ordens, fiz os seguintes comentários: ...Os indicadores de momentum não indicam nenhum refresco, qualquer janela que se observe: diário, semanal ou mensal, continua firme e forte... Acredito que não pode restar dúvidas. ...Se, e aqui o "se" é muito importante, ultrapassar os R$ 4,00, o nível que aponta o término de um movimento seria R$ 4,40...

Agora que vocês são "experts" em análise técnica, veja porque essa observação é importante. 

A alta do dólar que começou a se desenvolver a partir de 2012, eu classifiquei com uma correção, o que em Elliott Wave se denomina de onda B, ela é caraterizada como uma destruidora de resultados. Se esta minha análise se mostrasse correta, ao redor de R$ 3,00 (1), seria o lugar mais provável de reverter, não aconteceu.

Se vocês se lembrarem a partir dai coloquei- me em alerta. O segundo nível provável de reversão seria ao redor de R$ 3,50 (2), não aconteceu. A partir daí o mais provável é que minha análise estava errada e, na verdade o dólar continua num movimento de alta, que se iniciou em 1999.

Embora seja pouco provável, isso só vai se confirmar no momento em que o nível de R$ 4,00 (3) for superado. Mesmo sendo pouco provável, o cenário de correção acima poderá ainda acontecer. Já vi situações semelhantes. Então até que isso aconteça, não posso abandonar a possibilidade de queda do dólar.

A seguir encontra-se um gráfico de um período mais curto. O nível apontado abaixo, pode ser o ponto de reversão. Inclusive o painel de momentum também indica exaustão. Neste momento não resta nada a fazer, a não ser esperar.
Para clarificar, tanto faz se o BC vai entrar para vender dólares ou existem saídas de recursos por parte dos estrangeiros, e etc... o princípio que norteia a análise técnica é que você não precisa saber de nenhuma notícia, tudo está no preço.

Por tudo isso, eu aconselho a quem estiver comprado que suba seu stop para R$ 3,65, ou se quiser ser mais agressivo para R$ 3,80. Como diz um analista, Let´s the market speak!

O SP500 fechou a 1.953, com queda de 0,41%; o USDBRL a R$ 3,8099, com queda de 1,55%; o EURUSD a 1,1319, com queda de 0,18%; e o ouro a US$ 1.108, com alat de 0,11%.
Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário