Inflação: A Revanche

1 de setembro de 2015

Quando o empate é uma derrota

Ao ler as manchetes pela manhã ..."A maior queda dos últimos três anos, reforçando o receio de uma retração mais forte, mesmo com uma enxurrada de suporte do governo"..., achei que os dados do PMI, publicados pela China, tinham sido um desastre.

Até aquele momento eu não sabia qual era o nível, uma indicação abaixo de 50 significaria contração. No mês passado esse número estava em 50, no zero a zero. Quanto se poderia esperar para tanta preocupação, 40? Qual não foi minha surpresa quando soube que o resultado foi 49,7. Será que esse número é indicação de uma catástrofe?

Não quero defender que não se deva ficar preocupado, afinal deveria estar melhorando e não piorando, mas não dá para ficar assustado, pelo menos ainda.

Também foi publicado o índice relativo aos serviços que também sofreu queda de 53,9 para 53,4, um quadro mais confortável para esse indicador.
Notem que estes dados são os publicados pelo governo, e eu tenho postado que, existe muita desconfiança sobre os dados oficias. Outra fonte de pesquisa sobre a mesma informação, O Caixin China, apresenta resultados piores que os oficiais, principalmente na manufatura.
Estas informações nos leva a duas conclusões, primeiro que fica claro a razão pela qual as commodities estão caindo de forma generalizada, a produção caminhava para elevação da oferta e a demanda recuou. Dado que essas matérias primas são muito sensíveis a qualquer variação de volume, os preços derreteram literalmente; e segundo que o mercado está extremante sensível, onde um empate, como os dados de hoje podem representar, uma grande derrota.

Nos anos 80, era comum em determinados dias, o governo brasileiro mandar os fundos de pensão comprar ações na bolsa. Isso acontecia em algumas situações onde uma notícia ruim deveria afetar a bolsa. Esses movimentos eram chamados de "chapa branca", uma vez que os carros do governo naquela época tinham chapa dessa cor. Assim, no final do pregão dizia-se que a bolsa foi sustentada por compras de "chapa branca".

A China resolveu copiar essa ideia. Nos últimos quatro dias, o índice Chinês SSE 50, das maiores companhias, recuperaram suas cotações em média 6,4%, no período final de negociação. Esse movimento é comandado pelos fundos do governo, a fim de estabilizar as cotações antes da parada que ocorrera nesta quinta-feira, em comemoração a vitória na II Guerra Mundial.


Como o motivo para usar deste subterfúgio, não deixa de ter a mesma direção que a do governo brasileiro daquela época, a de manipular as cotações. Que tal chamá-la de "chapa vermelha"? Hahaha... Esse movimento está permitindo algo muito saudável, pois os investidores pessoa física que haviam mergulhado de cabeça na bolsa, usando as contas margem, um mecanismo de alavancagem, foram reduzidos a metade, indicando que daqui em diante, haverá menor pressão de venda.

E para terminar os assuntos de China, veja o que aconteceu com o Yuan, a moeda chinesa.
Depois do alvoroço de alguns dias atrás, onde houve uma desvalorização de 4,2% e o mercado acreditava que aquele seria o inicio de um movimento de ajuste da moeda, nestes últimos dias, uma movimento de reversão tomou pulso. Ao invés de continuar o movimento ou no mínimo manter aquele patamar, o governo Chinês está diariamente, recuando a cotação do dólar (valorizando o Yuan), conforme pode-se verificar no gráfico acima. Parece que alguém do BC Chinês deve ter tomado uma bronca daquelas, e mandaram ele voltar atrás!

Para o Yuan se valorizar, o BC Chinês deve vender dólares e não deve ser pouco. Como comentei no post foi-só-um-susto, como contra partida deve estar vendendo títulos do governo americano.

Comentei no post china-o-epicentro-financeiro, que iria propor trades no euro e no ouro: ...Tanto no euro como no ouro, devo sugerir trades de compra dentro em breve. Estou aguardando melhores níveis de entrada, aguardem... No euro não fomos bem sucedidos e stopados com uma perda de 1%, embora ainda nada está claro qual caminho a moeda única irá seguir.


Minha proposta para o ouro é comprar a US$ 1.110, com um stop a US$ 1.075. O target será estabelecido mais a frente. Nos próximos dias teremos alguns dados importantes a serem publicados, como o desemprego nesta sexta-feira, mas certamente a reunião do FED no dia 16 sera o principal.

O SP500 fechou a 1.913, com baixa de 2,96%; o USDBRL a R$ 3,7016, com alta de 2,05%; o EURUSD a 1,1317, com alta de 0,94%; o ouro a US$ 1.139, com alta de 0,44%.
Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário