Inflação: A Revanche

21 de setembro de 2015

"The Twilight Zone"

Na década de 60, existia uma série americana de TV que era de ficção científica, suspense, fantasia e terror. A grande maioria dos episódios abordava histórias com elementos sobrenaturais, ocorrências "Além da imaginação", tais como viagens no tempo, alienígenas, fantasmas e outras situações misteriosas, ambientadas num local denominado "Zona do Crepúsculo" ou "Twilight Zone". Eu me lembro pouco desta série, mas a razão é evidente, devia morrer de medo pois ainda era criança.

Esta introdução do post hoje foi para traçar um paralelo entre essa série e a situação do real. Na sexta-feira, a cotação terminou perto de R$ 3,95, e como havia mencionado no post mosca-sub-judicie: ...Os indicadores de momentum não indicam nenhum refresco, qualquer janela que se observe: diário, semanal ou mensal, continua firme e forte... Acredito que não pode restar dúvidas. ...Se, e aqui o "se" é muito importante, ultrapassar os R$ 4,00, O nível que aponta o término de um movimento seria R$ 4,40... O perigo ronda agora. Neste mesmo post, expliquei os motivos do porque é tão importante este nível, caso seja ultrapassado.


Do lado político as incertezas aumentam diariamente, e a possibilidade de a Presidente Dilma sair do governo, ou por impeachment ou renúncia, tem se elevado. O ex-Presidente Lula fez uma declaração neste final de semana que gerou dúvidas na imprensa. Disse que, se a Presidente Dilma não conseguir aprovar seu pacote fiscal, deveria renunciar. Para mim é claro, quer que ela saia. Assim poderia se colocar como oposição e tentar a sorte em 2018, "mui amigo"!

A deterioração econômica é visível por qualquer ângulo que se observe. O Deustche Bank elaborou um relatório apontando um grupo de variáveis econômicas, das quais selecionei algumas. Inicialmente a confiança do empresariado continua em queda.

As vendas no comércio seguem em linha, com a queda dos salários reais.
E a probabilidade medida em percentagem do Brasil entrar em default, embora ainda baixa, vem crescendo.
Todo este cenário negativo, tanto econômico como político, vem recaindo sobre a cotação do dólar. Porém, agora estamos num ponto muito delicado, do ponto de vista técnico, a cotação passar ou não dos R$ 4,00. No post dinheiro-não-recebe-ordens, comentei que ultrapassando esse nível, indicará que o  dólar ainda está num movimento de alta no longo prazo, e novos patamares é esperado para o futuro. O real está no "Twilight Zone!"

O SP500 fechou a 1.966, com alta de 0,46%; o USDBRL a R$ 3,9818, com alta de 0,93%; o EURUSD a 1,1195, com queda de 1,01%; e o ouro a US$ 1.132, com baixa de 0,53%.
Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário