Inflação: A Revanche

5 de novembro de 2015

Bitcoin: The return!

Ao final de 2013 publiquei dois posts com explicações de como funciona o Bitcoin (bitcoin - bolha-de-sabão). Naquele momento essa moeda eletrônica era considerada pelos investidores como uma alternativa de proteção, uma vez que as ações do Bancos Centrais, injetando liquidez com "gusto", levariam a uma derrocada das moedas.

Vejam minha opinião sobre o Bitcoin: ...Eu só consigo enxergar o bitcoin como uma moeda especulativa, ou seja, se por acaso o dólar virar "papel de parede" aí este instrumento pode ganhar apelo, depende do desastre. Se você acredita nisso, embarque, mas mesmo assim não vai ter a garantia que um hacker consiga fazer a festa, emitindo bitcoins à vontade... 

Daquele momento até recentemente, as cotações iniciaram um movimento de queda até atingir a cotação de US$ 200 no início de 2015. Por outro lado, como pode-se verificar no gráfico abaixo, o volume cresce consistentemente.
Porém nos últimos dias, as cotações tomaram um impulso, culminando com uma alta de aproximadamente 100%, nesta semana. Os principais motivos atribuídos a esse movimento são: a aprovação pela corte de justiça da União Europeia reconhecendo o Bitcoin como uma moeda e não uma commoditie; e os Chineses usando esse canal para burlar o limite imposto pelas autoridades locais no envio de recursos ao exterior - equivalente a US$ 50.000.

Será que houve alguma alteração no uso dessa "moeda"? Parece que sim, o gráfico a seguir mostra um descolamento na relação entre a cotação do Bitcoin e o ouro desde o final de 2014, quando o FED terminou seu programa  de QE3.
É provável que o uso dessa moeda esteja atendendo outras necessidades das pessoas. É inegável que várias empresas já aceitem em suas transações, bem como já existem hoje diversas bolsas ao redor do mundo que transacionam o Bitcoin, inclusive com contratos de derivativos para liquidação futura.

Mas a volatilidade é algo ainda misterioso, quem realmente está por traz: Bancos, especuladores, "dinheiro sujo"? Ninguém sabe exatamente, mas a volatilidade é enorme, veja o que aconteceu com as cotações nestas últimas 24 horas, uma queda de 25%!

Mantenho a mesma opinião expressa no post acima, "eu só consigo enxergar o Bitcoin como uma moeda especulativa". Agora se o uso for por outras razões, não posso opinar.

A Yellen, na secção da Comissão de Finanças do Senado, disse que o FED está "praticamente" pronto para subir os juros em dezembro, mas que dai em diante eles subirão slowly, e se a situação da economia piorar daí em diante, poderá adotar taxas negativas. Esta colocação, ou mostra muita insegurança e/ou muita divisão de opiniões. Parece até que os mais cautelosos estariam aceitando esse primeiro movimento, desde que fique claro, que qualquer fraqueza voltarão atrás.

Essa momento remete ao que aconteceu no Japão, quando em agosto de 2000 o BOJ também decidiu enviar um sinal de como a economia estava forte e subiu os juros em 0,25%. Porém, depois de sete meses, além de recuar baixando os juros, injetou liquidez no sistema, os helicópteros lembram? Hahaha...

O gráfico a seguir mostra a evolução dos juros nos últimos 25 anos no Japão, e logo abaixo um evolutivo do que está ocorrendo nos USA. Será que a história irá se repetir?
No post a-queda-do-império-romano-americano, fiz os seguintes comentários sobre o Ibovespa: ...Abaixo dos 42.700, e se minha análise estiver correta, vamos entrar na área de compra, sempre com bastante cuidado, pois é assim que deve-se operar contra um mercado em queda; por outro lado, se o índice ultrapassar 49.000, aumentam muito as chances de uma mínima já ter sido atingida e novas altas são esperadas... No gráfico a seguir, pode-se verificar que o mercado buscou romper o limite de 49.000 anotados acima, mas ainda não conseguiu.

Do ponto de vista técnico a mínima atingida em agosto de 42.700 pode ser considerada como "missão cumprida" de baixa, e o mercado estaria iniciando o movimento de alta. Mas mesmo assim, outros indicadores não sugerem essa hipótese. Em situações como essa, o melhor é observar, e vislumbrar os cenários possíveis. E foi o que eu fiz, considere a seguir os cenários A e B, nesta ordem de preferência.
Parece que o índice está numa formação de triângulo, e se ele não passar a perna como no caso do real citado ontem, o Ibovespa poderia atingir até 53.000, para em seguida voltar a cair buscando o target que venho projetando de 40.000.
Neste outro caso, já estaríamos no movimento de alta e a mínima deste ciclo já foi atingida. Para uma confirmação maior, seria necessário ultrapassar os 57.000 e principalmente acima de 60.000, rompendo a linha azul do gráfico. Nada a fazer no momento!

O SP500 fechou a 2.009, com queda de 0,11%; o USDBRL a R$ 3,7809, com queda de 0,51%; o EURUSD a 1,0878, com alta de 0,15%; e o ouro a US$ 1.104, com queda de 0,21%.
Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário