Inflação: A Revanche

27 de novembro de 2015

Quem é essa gata?

Na adolescência os meninos e meninas estão em fase de crescimento, neste momento não se sabe ainda como ficarão quando adultos. O rosto fica cheio de espinhas, usam aparelhos para correções nos dentes, e etc...

Acredito que a seguinte situação já aconteceu com você. Uma dessas meninas era horrível, magrinha, cabelo desarrumado, como dizia um amigo "não pagava nem "place" - aposta de corrida de cavalos". O tempo passou e depois de alguns anos, eu a reencontrei. Não à reconheci de imediato, mas sabia não me parecia estranha. Virou uma gata!

Hoje convivo com cinco mulheres, entre mulher, filha e enteadas, it´s not easy! Não me sinto nada machista contando este episódio, pois o que eu ouço por aqui, não é nada diferente do ponto de vista das mulheres.

Ontem foram publicados os dados cambiais brasileiros, em outubro o déficit em transações correntes foi de US$ 4,2 bilhões. É uma forte redução em comparação ao registrado no ano passado de US$ 9,3 bilhões. O acumulado em 12 meses foi de US$ 74,2 bilhões, equivalentes a 4 % do PIB.
Como pode-se notar, caminhamos para níveis bem mais confortáveis que os US$ 105 bilhões alcançados a menos de um ano. Uma redução muito expressiva em tão pouco tempo.

Essa marca foi conseguida pela redução nas três grandes contas: Balança comercial - apresentou um superávit de US$ 1,9 bilhão. Em 12 meses caminha-se para um superávit de US$ 10 bilhões. É verdade que boa parte desse resultado deve-se a violenta queda nas importações, consequência da queda da atividade; Serviços - Apresentou despesas líquidas de US$ 2,8 bilhões, com redução de 34% na comparação com o resultado do ano passado. Destaque para a queda nos transportes e viagens internacionais que caíram 66,4%, o Mickey está preocupado! Hahaha...; Rendas - Uma queda de 9% na comparação com outubro do ano anterior, ficando em US$ 3,5 bilhões, com queda em quase todos os subitens.

O financiamento deste déficit teve como contra partida a conta financeira, cujas captações líquidas foram positivas em US$ 3,6 bilhões. O investimento direto atingiu US$ 6,7 bilhões, que por si só, foi suficiente para cobrir todo o déficit do mês com folga. Os valores acumulados em 12 meses somaram US$ 70,7 bilhões. Diferentemente do que vinha acontecendo até agora, os investimentos em carteira sofreram um saque de US$ 3,1 bilhões, principalmente na rubrica de títulos de renda fixa com US$ 3,3 bilhões, os outros subitens ficaram marginalmente positivos.

Como pode ser visto abaixo, o Investimento direto parece ter se estabilizado num patamar de US$ 70 bilhões, enquanto o Investimento em carteira tende a zerar as entradas este ano.
As reservas internacionais mantiveram-se em US$ 370 bilhões, resultado incrivelmente estável que já perdura por muito tempo.

Embora o resultado final tenha ficado praticamente inalterado, a qualidade de nossas reservas melhorou. Ao substituir entradas via Investimento direto, ao invés de Investimento em títulos, cria uma estabilidade maior, pois o primeiro é muito mais estável que o segundo. Além disso, a queda vertiginosa de nosso déficit é impressionante, o câmbio fez a diferença.

Fazendo um paralelo figurativo com a situação comentada acima, as contas cambiais estão se transformando numa "gata". A pouco tempo, estava cheia de espinhas, agora a pele está ficando macia, cabelos longos e o corpo... Como no caso daquela adolescente, não adianta ser só bonita, tem que ter outras qualidades. No caso brasileiro, as outras qualidades estão deixando muito a desejar, principalmente o governo!

Hoje o mercado americano vai funcionar parcialmente, com encerramento do pregão às 13 hs. do horário local. É esperado que a liquidez fique bem baixa, pois muita gente emendou o feriado. Assim, não se pode tirar grandes conclusões. Vou aproveitar para comentar o DXY - Dollar Index, que é composto por uma cesta de moedas onde o euro tem um peso de 57%.

No post a-loira-que-está-chacoalhando-o-fed, fiz os seguintes comentários sobre o DXY  ...Como mostra o gráfico acima abaixo, para considerar a possibilidade de uma queda, deveria acontecer rapidamente. O terreno só fica aberto para novas altas acima de 100,5. Até lá, uma queda ainda é possível, porém com chances menores...
Não só não caiu, como está muito próximo do nível superior de 100,5.
Um rompimento desse nível vai significar muita coisa para os mercados, e aí, minha previsão passa a ser de uma alta inicial até 107, que se for rompida projeta um novo nível de 130, isso no médio prazo. Não vai ser bom, todas as moedas irão se desvalorizar perante o dólar, inclusive o real.

Por este motivo, sugiro que vocês acompanhem este indicador, que é o mercado chama de "dixie". Acima de 100,5 vai fazer muito mais estrago que a Polícia Federal! Hahaha... 

O SP500 fechou a 2.090, sem alteração; o USDBRL a R$ 3,8436, com alta de 2,72%; o EURUSD a 1,0588, com baixa de 0,17%; e o ouro a US$ 1.057, com queda de 1,33%.
Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário