Inflação: A Revanche

14 de novembro de 2015

Stoploss Terrorista


Não é necessário nenhum comentário a mais, do que já não tenha sido publicado, sobre o horror vivido na França nesta última sexta-feira 13. Infelizmente, fez jus à lenda!

Uma pergunta que se deve fazer é, "foi uma surpresa"? Honestamente, não! Temos assistido atos de terror espalhados pelo mundo, da qual posso citar alguns: barbaridades na Síria; execuções sumárias de civis por decapitação; ataques terroristas diários, no “varejo”, em Israel; destruição de templos históricos; e muitos outros.

O mundo fica indignado “que horror”, “um absurdo”, mas o que está escondido por trás destas afirmações é: Que bom que não foi aqui! Mas desta vez foi ali, na França.


Vou usar um paralelo do mercado financeiro. Quando um investidor toma uma posição em algum mercado, é prudente que se coloque um nível mínimo aceitável de queda, se ele estiver errado. Desta forma, evita perder todo seu Capital. Este nível chama-se stoploss. Posso afirmar para vocês que, quando não usei essa técnica, me dei muito mal.


Pelas repercussões havidas, consequência das barbáries de ontem, tenho a impressão que bateu o "stoploss terrorista". Argumentos sobre diretos humanos não se podem aplicar a grupos que descartam totalmente este princípio. É necessário usar os recursos do lado de cá: financeiro, engajamento, militar e etc... 


Infelizmente a vida é assim, o ser humano nem sempre reage na hora certa, a inércia prevalece. Mas quando bate o stoploss, substitui-se o emocional pelo racional, e em ambos os casos, elimina-se o risco. O espírito de sobrevivência prevalece!

Nenhum comentário:

Postar um comentário