2018: Vestibular Político

15 de maio de 2018

O grande teste



Sem que houvesse uma razão específica, hoje o juro de 10 anos americanos rompeu finalmente a marca dos 3% a.a. Daqui em diante, todo cuidado é pouco em relação a nossa posição.

Se havia alguma dúvida da repercursão desse rompimento nos mercados, pelo menos os países emergentes não precisam esperar, já sentem na pele o impacto. A Argentina dessa vez, encabeça a lista, com sua moeda caindo vertiginosamente. Num espação curto de um ano, a queda foi de 40%, sendo que 20% aconteceu no último mês.


 Mas o estrago foi generalizado, o noticiário local publica em manchete as quedas recentes do real. O gráfico a seguir, embora já um pouco desatualizado se visto de hoje, compara o que aconteceu em 2013 quando o FED deu um recado prematuro que os juros deveriam subir, conhecido como Taper tantrum.


Na próxima ilustração, se pode verificar que, os investidores estão retirando seus recursos dos mercados emergentes. Notem que na parte superior refere-se ao fluxo de ações, que está no negativo desde março deste ano, enquanto o fluxo de renda fixa, depois de uma melhora no início de abril, voltou ao vermelho mais forte no final do mês.


Vocês podem imaginar o que deverá acontecer na Venezuela, que está numa draga há um bom tempo. Comprar dólares por lá deve ser um evento. No oficial acho que nem o Maduro = “podre” consegue, no paralelo veja a seguir a evolução da cotação. Parece que é de 500.000 bolívares para um misero 1 dólar. Para comprar U$ 100 são necessários 50.000.000 de bolívares. Não sei qual a maior nota que existe, mas supondo que seja de 1.000 bolívares, são necessárias 50.000 notas. Uma coisa de boa acontece, não existe corrupção, já imaginou liquidar em moeda?  Ao invés de um apartamento como no caso do Geddel, seria necessário um palácio! Hahaha ...


No post sera-inflação-algo-do-passado, fiz os seguintes comentários sobre o ouro: ...” Agora a cotação se encontra em U$ 1.320 fazendo com que o Mosca permaneça inerte. Tenho que confessar que essa situação me incomoda, afinal estou regateando no preço, e se eu estiver certo no longo prazo, não vai fazer muita diferença. Para me distanciar do efeito de curto prazo resolvi publicar o gráfico de prazo mais longo” ... ...” Do ponto de vista técnico ainda falta uma “quedinha” para que o movimento completasse como o livro texto. É esse o motivo que me faz esperar” ...

Por enquanto valeu a pena, hoje o ouro rompeu a barreira dos U$ 1.300 e se aproxima de alguns níveis interessantes. No gráfico a seguir aponto os níveis que sugiro compra de ouro. Vou dividir a ordem em duas tranches, a primeira metade a U$ 1.285 e a outra metade a U$ 1.260, colocando um stoploss em ambas a U$ 1.230.


Por enquanto, os mercados estão reagindo a alta de juros pelo bom motivo, ou seja, a atividade mostra que está se acelerando. O GDP Now, publicado pelo FED de Atlanta, aponta nesse sentido, com uma previsão para o trimestre em curso de 4%. Por outro lado, tecnicamente está surgindo uma oportunidade para a compra de ouro, que só faz sentido se os juros tivessem subindo pelo mal motivo. Como nosso compromisso é com o bolso, tanto faz se o lucro é pelo bom ou mal motivo, esse é um problema do FED!
O SP500 fechou a 2.711, com queda de 0,68%; o USDBRL a R$ 3,6615, com alta de 1,09%; o EURUSD a 1,1843, com queda de 0,70%; e o ouro a U$ 1.292, com queda de 1,50%.

Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário