2020: O risco vai compensar?

9 de setembro de 2020

Mudança comportamental

 

Meus comentários hoje versam sobre as mudanças que estão ocorrendo no consumo, oriundo de valores que as novas gerações adotaram, que são muito diferentes da minha, e com uma força de mais de 2,4 bilhões de pessoas. Não há geração que tenha levado a tanto foco e pesquisa especializada, quanto a geração do milênio. Para uma geração nascida na tecnologia e criada no iPhone, YouTube e reality shows, acesso instantâneo e transparência são expectativas, não luxos. Eles se movem perfeitamente entre as plataformas - do smartphone ao laptop e ao tablet, conectados a cada minuto de cada dia. À medida que as empresas lutam com as interrupções em todos os setores, de habitação a mantimentos, de guardanapos a motocicletas, entender o papel que a geração do milênio desempenha em forçar essa inovação se torna cada vez mais importante.

A indústria da beleza está passando por uma transformação digital à medida que as mídias sociais e o e-commerce revolucionaram a forma como as marcas podem se conectar com seus clientes. Em um mundo de influenciadores, avaliações online, tutoriais de beleza e uma “cultura selfie liderada pelo Instagram, as marcas perceberam que fornecer as melhores experiências digitais se tornou crucial para manter a atenção limitada da geração Y e da população da Geração Z .

Embora os consumidores tenham mostrado preferência pela experiência física quando se trata de comprar beleza, a importância de uma forte presença digital não pode ser descartada quando se trata de atender às gerações mais jovens que passam em média 4 horas por dia em seus smartphones - um hábito que só se acelerou durante a pandemia.

Mas a indústria da beleza está indo além do digital, para realmente se tornar “inteligente”. As marcas não estão mais apenas fornecendo aplicativos independentes; eles estão construindo sistemas de beleza conectados para personalizar tratamentos de pele, tratar doenças de pele individuais e os impactos de desequilíbrios hormonais na pele. A Shiseido lançou o Optune, um sistema de cuidados da pele com tecnologia IoT em 2019, que integra um aplicativo móvel que aproveita a IA para detectar as condições da pele dos usuários e, em seguida, distribuir uma fórmula personalizada a cada dia. Optune é capaz de fornecer 80.000 combinações possíveis com base em padrões de cuidados com a pele combinados com as condições da pele do usuário individual e ambientes de vida que mudam diariamente.

Houve um setor que emergiu como um beneficiário inesperado de um bloqueio global - o setor de namoro online. Com o distanciamento social e os bloqueios absolutos sendo implementados em todo o mundo, pode-se pensar que o namoro seria suspenso. Mas, como era de se esperar, a geração do milênio decidiu fazer o não convencional e já fez do namoro digital sua nova norma. Em casa, sozinhas e, em alguns casos, sem emprego, as pessoas solteiras estão gastando mais tempo acessando aplicativos de namoro para encontrar o parceiro, principalmente nas cidades mais atingidas pelo vírus.

Desde o surto, a Match Group, percursora na plataforma de namoro, viu um aumento notável nas atividades de namoro online entre seus usuários, onde a média de mensagens diárias enviadas em todas as plataformas foi 27% maior em abril do que na última semana de fevereiro. Mais notavelmente, o maior aumento no uso e a atividade no Tinder veio de usuárias com menos de 30 anos, com a média diária de swipes aumentando em 37% para esse grupo demográfico. Essa mudança induzida pela pandemia na dinâmica de gênero tem sido um desenvolvimento muito saudável para o ecossistema de namoro online, que há muito tempo atrai homens em massa, tentando cortejar mulheres que têm medo de se inscrever.

Com uma mudança abrupta para a cultura remota, o vídeo foi colocado no centro do palco como uma solução para todos os problemas; e a indústria de namoro não foi exceção. Embora empresas como o Match Group tenham visto uma relutância na adoção de encontros por vídeo antes da pandemia, os encontros online agora estão demonstrando uma forte disposição para encontros virtuais, já que bloqueios globais forçaram as pessoas a ficar em casa. O CEO da Bumble, Whitney Wolfe Herd, encorajou diretamente os usuários a evitar encontros pessoais e encontros virtuais usando o recurso de bate-papo por vídeo no aplicativo do Bumble - outra ferramenta para seu público feminino avaliar um possível encontro. Com mais pessoas em casa, Bumble viu o uso dessa função aumentar 93% entre 13 e 27 de março.

Esses são apenas alguns dos diversos exemplos que ocorrem atualmente, onde uma mudança importante ocorre com os consumidores, no caso, os Millennials. Minha intenção também é mostrar o sem número de aplicações inexistentes no passado, que a tecnologia toma a dianteira com ideias impensáveis ser possíveis no passado. Uma projeção empírica leva a produtos que cada vez mais serão exclusivos a cada consumidor, pois através da IA, captura de informações on-line e distribuição massificada, por que não imaginar um relógio, ou um carro feito exclusivamente com suas preferências?

No post o-bom-que-é-ruim fiz os seguintes comentários sobre o Nasdaq100: ...” Decidi publicar minha primeira expectativa sobre o índice Nasdaq 100, mesmo não tendo debruçado em detalhe. Essa primeira avaliação é o que considero mais provável que aconteça. Se houver mudanças eu informo” ... 

Passados poucos dias, preciso fazer uma correção no texto acima, na verdade naquele momento ainda era cedo para apontar a opção acima como mais provável. Uma análise mais abrangente sugeriu uma possibilidade que também é possível, com resultados de queda menores. Vou chamar de correção Pequena esta daqui, e a exposta no post acima, de correção Grande.

A correção Pequena teria com o objetivo atingir a mínima de 11.000, ou mais provável 10.200 (notem que a cor azul e verde informa o que é mais provável). Os movimentos de curto prazo, nos dará informação para identificar em qual dos casos o Nasdaq 100 se encaixa.

Caso seja essa a correção, tenho uma boa e uma má notícia. A boa é que se pode esperar novas altas que ultrapassaram 12.500, devendo tingir 13.000 ou 15.000 (mais provável); a má notícia é que depois de terminado, a queda maior deveria acontecer.

 Outro dia, numa Reunião da Rosenberg, um dos participantes fez os seguintes comentários: “Acho intrigante como você projeta altas e baixas dos mercados, parecendo que não tem uma direção definida”. Isso pode parecer que, não se tem uma opinião formada sobre o futuro, pois se cai e sobe, para onde vai o mercado? Minha resposta, que vale também aos leitores com o mesmo questionamento, é que os mercados não atuam sempre na mesma direção, todo tempo, existem momentos contrários ao movimento principal.

A Teoria de Elliot Wave permite prever quando pode ocorrer uma reversão e qual a sua magnitude, tudo dentro do que é mais provável. Além de alertar níveis mais perigosos que outros. Essa é a razão que repito a frase de um analista, traduzida do inglês “deixe o mercado falar”

O SP500 fechou a 3.398, com alta de 2,01%; o USDBRL a R$ 5,3092, com queda de 1,05%; o EURUSD a 1,1801, com alta de 0,18%; e o ouro a U$ 1.946, com alta de 0,81%.

Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário