Inflação: A Revanche

4 de março de 2016

Delação premiada do Lula


Com exclusividade, o Mosca teve acesso a informação mais precioso dos últimos tempos. O Ex-Presidente Lula, resolveu dar sua última cartada. Ao tomar conhecimento da delação de Delcídio Amaral, e após interrogatório hoje pela manhã, percebeu que não tinha outro caminho a seguir a não ser fazer uma delação premiada.

Tecnicamente esta seria a saída honrosa para o "cumpanheiro", do mesmo jeito que no poker, "seus 10, mais 10". Só resta ele replicar em cima de seu blefe.

Eu até imaginei, qual seria a "história" que justificaria uma ideia tão estapafúrdia como essa, mas não consegui, só com a ajuda do próprio. Mas nesse mundo de fantasias em que vivemos qualquer coisa parece crível.

A delação de Delcídio é rica em detalhes, acredito que ele tinha tudo organizado para um eventual plano B. Do outro lado, todos os envolvidos sem exceção, dizem que é tudo mentira, como de praxe. Agora, se realmente tudo é mentira, o Senador Delcídio é o que se poderia classificar como um psicopata padrão, assim mereceria um tratamento psiquiátrico e não ser preso.

Eu me pergunto, quantas noites a mais, teremos que assistir o Jornal Nacional passar 70% do tempo nesse assunto? Será que a Justiça tarda, mas não falha, é o final deste caso? Estou cansado e irritado de assistir tudo isso, a cada nova revelação surge uma esperança, será que será agora? Acredito que a resposta está com o Delegado Moro que, diga-se de passagem, está conduzindo com maestria. Ele deve ter sangue de barata, pois se eu estou irritado, imagina ele. Vamos dar um voto de confiança, afinal ele não nos decepcionou em nada.

O rally dos mercados locais foi amplamente justificado pela imprensa, e pelo mercado com a revelação da delação de Delcídio. Mas será que só isso justifica tamanha euforia?


Eu tenho repetido que tecnicamente os mercados de uma forma geral encontram-se num momento crítico, o SP500, juros de 10 anos, DXY e commodities. Quando houver uma definição, para um lado ou para outro, terá impactos significativos nos preços.

A tabela acima indica um prenuncio da recuperação das commodities. Todas sofreram enormes perdas no último ano, como pode-se verificar na última coluna acima. Notem também que, por enquanto essa melhora restringe-se as commodities metálicas e o óleo, não acontecendo o mesmo nas commodities agrícolas.

Não dá para garantir ainda que haverá uma reversão dos preços, porém foi um bom começo.

Outro fator que impulsionou os preços nos mercados locais foram os vendidos. Vocês ouviram alguém recomendar comprar Bovespa ou vender dólar ultimamente? Só alguns gatos pingados, onde o Mosca se inclui. Este é o motivo predominante desta alta. O argumento também vale para o mercado internacional.

Agora o triger para que esse grupo iniciasse a cobertura de suas posições, sem dúvida foi o vazamento da delação. Mas não tenho dúvidas que, se não fosse esse o motivo, existiriam outros, em prevalecendo essa melhora externa. Lembrem como já dizia nosso velho e conhecido Nietzsche, é melhor uma explicação que nenhuma.

E daqui em diante? Se o mercado internacional continuar esse movimento de alta das commodities, é provável que aqui também continue, até que os vendidos diminuam. Mas não tirem a champanhe da geladeira, mesmo que a Dilma saia amanhã, muita coisa ainda deverá ser feita para colocar o Brasil nos trilhos.

No post ameaças-de-2016, fiz as seguintes recomendações para o Bovespa: ...se o índice subir até 45.000 podem vender o restante da posição... E foi o que aconteceu ontem.

Neste post contém também, a conversa com o meu amigão: ...
- David, se o índice subir aos 45.000, você espera uma queda depois?
Negativo.
- Então porque você vai vender?
Para poder acompanhar o mercado sem viés e analisar com mais serenidade os próximos passos.


Pode ser que a compra indicada pelo Mosca, seja o "bumbum" do inseto, tudo indica que o índice atingiu uma mínima de médio prazo. 

Hoje é dia festa para os mercados locais, dólar em queda a R$ 3,70, bolsa em alta de 4%, semana que vem promete muita emoção.


o SP500 fechou a 1.999, com alta de 0,33%; o USDBRL a R$ 3,7586, com queda de 1,03%; o EURUSD a 1,1001, com alta de 0,42%; e o ouro a US$ 1.258, com baixa de 0,40%.
Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário