Inflação: A Revanche

2 de maio de 2016

WO

Com a atual situação política do país pode-se observar a que ponto chega um ser humano. A Presidente Dilma, se é que assim podemos chamá-la, está passando por momentos ridículos, ao buscar apoio de uma minoria da população que continua favorável a ela. Esse grupo, levado por algum tipo de benesse do governo, que dentre elas pode ser até um sanduiche, não representa a grande maioria do povo.Seus discursos agora estão longe de ser clamorosos, são lidos sem emoção ao invés de inflamados.

Diferente de seu par, o “cumpanheiro”, ela não parece ter sintomas de uma psicopata, tem outros distúrbios, mas não esse. Imagino que esteja exercendo a tarefa de “guerrilheira” ao negar até a morte a realidade. Mas as outras pessoas mais esclarecidas não à vem desta forma.

Em contrapartida, Temer continua de forma intensa arrumando seu futuro governo, e se inteirando dos grandes desafios que enfrentará. Os principais cargos já estão definidos, e é de agrado do mercado e dos empresários.

A situação da Dilma me lembra a época que participava dos campeonatos de voleibol na adolescência. Em algumas ocasiões o time adversário não aparecia acarretando o WO – walkover vitória fácil. Da hora marcada para o início do jogo, até a declaração do WO, eram necessários 30 minutos. Nestes longos minutos ficava-se apreensivo concebendo a hipótese do time adversário aparecer de repente, e tirar aqueles pontinhos ganhos na moleza.

Assim é a situação atual, embora a Dilma está presente já não manda mais nada e será necessário aguardar o dia 11 de maio, para que Temer assuma, enquanto o país fica parado.

Considerando que ela ficará, ou melhor, atormentará o Brasil até que receba o cartão vermelho, o melhor que teria a fazer seria se recolher e ficar quieta. Mas isso é pedir demais, vamos ter que esperar o WO!

Como mostra a foto de post de hoje, nem os mosquitos á deixam em paz, será que eles também são favoráveis ao impeachment? Hahaha....

Uma especulação surgiu agora à tarde dando conta que Dilma estaria prestes a renunciar. Acho difícil isso acontecer, a não ser que ela e o PT acreditem que é melhor passar imediatamente para a oposição, e tentar voltar em 2018. Apostariam que o governo Temer não vai dar certo. Assim podem dizer que farian melhor, mas sofreram um golpe. Sem fazer o julgamento do mérito, parece ser a melhor opção que podem tomar neste momento.

Hoje foi publicado o índice da manufatura nos USA – PMI, e o resultado foi o pior desde 2009, conforme pode-se verificar no gráfico a seguir. Isso talvez não seja surpresa para o mercado, em decorrência do sofrível PIB publicado na semana passada. Bem, em todo caso, está acima de 50.


No post ringing-the-bell, fiz meus comentários sobre o Bovespa antes do anúncio do impeachment: ...” O mercado optou pela primeira hipótese e ontem atingiu a máxima de 53.800. O pregão de hoje contém dois componentes de baixa, primeiro o fechamento nas mínimas do dia a 52.400, e segundo não conseguiu romper a linha verde para cima”...

Depois dessa data, a bolsa continuou subindo, porém de uma forma mais lenta. No mesmo post acima complementei: ...” o indicador de curto prazo é de queda”... O gráfico a seguir tem uma visão de mais longo prazo.

Para que possamos afirmar que o mínimo deste ciclo ocorreu em janeiro último a 37.000, e necessário que a bolsa ultrapasse os 57.000, conforme apontado no gráfico. Do ponto de vista técnico existe uma boa chance para que isso tenha ocorrido, e o Mosca ainda não se envolveu em nova compra aguardando um melhor momento. Trabalho com esse mercado em alta no médio prazo!

O SP500 fechou a 2.081, com alta de 0,78%; o USDBRL a R$ 3,4961, com alta de 1,77%; o EURUSD a 1,1523, com alta de 0,61%; e o ouro a US$ 1.290, com queda de 0,24%.
Fique ligado! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário