2020: O risco vai compensar?

19 de junho de 2020

Buffett ficou obsoleto


Eu busco me informar sobre novas técnicas de frequentemente, evitando me tornar desatualizado. As vezes a inercia é mais forte, combinado com o avançado da idade. Felizmente, me considero em situação de equilíbrio nesse quesito, nem tão moderno, nem tão conservador. Vivemos tempos desafiantes por conta da revolução digital, nomenclatura usada pelo Mosca. Como não poderia deixar de ser, essas mudanças aparecem também em finanças.

O primeiro choque nessa área que ocorreu comigo, foi em 2001, no estouro da bolha denominada de .com. Naquele momento, tinha muita dificuldade em aceitar que uma empresa recém criada poderia valer uma fortuna, sem que houvesse a menor perspectiva de lucro no médio prazo. Achava isso uma loucura. Quando estourou a bolha senti um certo alívio por não ter entrado nessa onda, mas isso acabou tendo uma consequência que contaminou minha visão por um bom tempo.

Mesmo depois de passado algum tempo do estouro da bolha, eu tinha desconfiança do setor de tecnologia. Sem entrar a fundo, descartava qualquer ideia por princípio, em função da experiencia anterior. Me considerava um visionário por não ter entrado naquela frenesi. O índice Nasdaq, que engloba as empresas de tecnologia, não era muito conhecido. Ao notar de tempos em tempos sua performance, fingia que era algo muito distante da minha realidade. Foi um grande erro!

Só mais recentemente, nos últimos anos, rompi com esse preconceito, ao me ver mais envolvido com ações, ativo que não fez parte da minha formação profissional. Fiquei maior parte da minha vida entre renda fixa e câmbio, muito pouco a bolsa. Talvez não tenha sido claro, não que eu não acompanhasse os índices. Fazia parte do meu dia a dia: Ibovespa, SP500 etc. mas meu portfolio não tinha nenhuma ação especifica, pois só tinha uma perspectiva macro.

Vocês devem estar se perguntando por que essa introdução. Recentemente ocorreu um fato que coloca em dúvida um mago das finanças. Se eu pedir para um grupo de pessoas citar 3 investidores que fizeram história na área de investimentos, garanto que Warren Buffett estará na lista de todos. Sua biografia é inquestionável com resultados estupendos. Mas se tem uma coisa que aprendi as duras penas, e que está contido naquelas linhas minúsculas em qualquer fundo que você investe, é que: resultado passado não é garantia de resultados futuros. Eu acho que deveria estar em letras garrafais!

Algo incrível aconteceu. O valor de mercado combinado da Square, Spotify, Tesla, Zoom e Shopify superou o da Berkshire Hathaway (empresa onde Buffett realiza seus investimentos). O que uma coisa tem a ver com a outra? Nada, mas se estes não são um sinal dos tempos, não sei o que é.


Eu sei que a maioria das pessoas não quer ouvir isso, mas um desses números não precisa estar errado. O preço da Berkshire é adequado aqui. O mesmo acontece com essas cinco ações de crescimento.

Por falar em Tesla, ela se tornou a maior montadora de automóveis do mundo.


Analisar o valor de mercado por si só não é uma maneira inteligente de determinar se uma empresa é ou não valorizada de maneira justa. Mesmo quando você compara o tamanho de uma empresa com seus fundamentos subjacentes, ainda não está vendo a imagem completa. Isso apenas diz o que aconteceu, não o que vai acontecer.

Quem sabia que a Amazon construiria a Amazon Web Service? Quem sabia que a Netflix se tornaria uma empresa gigante de estúdio?

É verdade que essas são duas das empresas de maior sucesso na história do capitalismo, mas isso não é importante no momento.

Como muitos de vocês, observo esses números e fico maravilhado. Algumas dessas ações parecem estar descontando mais crescimento do que elas podem oferecer, mas se aprendemos alguma coisa nos últimos anos, é que apostar contra ações de alta aparentemente inexplicável é um jogo que a maioria de nós não deveria fazer.

Notem que o gráfico que engloba as 5 empresas tiveram uma ascensão estupenda no ultimo ano, enquanto a Belkshire ficou estagnada, e em queda, mais recentemente. Assim como ocorreu com essas empresas agora, provavelmente, se esse estudo fosse feito em data passada considerando as FANGs (Facebook, Apple, Netflix e Google), se chegaria a mesma conclusão, e hoje, cada uma delas é muito maior que a Belkshire.

Não é necessário dizer que Warren Buffett nunca comprou essas empresas, não está dentro do seu modelo de investir em empresas desvalorizadas, para vende-las no futuro, quando o mercado precificar corretamente, ou até extrapolar seu valor. As empresas de alto crescimento começam a negociar já muito caras na sua concepção.

Não tenho bola de cristal para saber se esse movimento deverá continuar. Por enquanto, parece que sim, e talvez acelerar pelo advento da Covid-19.

Se 20 anos é um tempo suficiente, e parece que é, o modelo de Buffet ficou obsoleto nesses tempos, não é atoa que sua empresa tem uma montanha de caixa para ser investido sem que ele encontre nada atrativo. Até o Fed tirou sua oportunidade recente, ao não dar oportunidade dele oferecer recursos às empresas com dificuldade de caixa, por conta da Covid-19, como ocorreu na recessão de 2009.

A Berkshire deveria devolver os recursos aos seus acionistas? Talvez não ainda, pois sempre existirá empresas de qualidade, que por uma razão ou outra, tem suas ações desvalorizadas. Porém, agora elas são raras e de tamanho menor.

Será que ele vai se adaptar ou ficou obsoleto?

No post guardando-no-colete, fiz os seguintes comentários sobre o euro: ... “ No gráfico a seguir apontei a região onde o euro poderia reverter a alta: entre € 1,1370 a € 1,1620, sendo o mais provável ao redor de € 1,15. Depois disso, uma correção deveria levar a moeda única ao redor de € 1,12, a ser mais bem calculada” ...

A máxima atingida foi de 1,1422, depois em diante, entrou numa correção bastante tortuosa levando a moeda única à região no qual o Mosca tem interesse de compra. Conforme apontado a seguir, existem 2 pontos a considerar: 1,1180 e 1,1100.

Uma ordem de trade contra o movimento mais recente e dentro de uma correção, é sempre uma loteria. Como esses níveis levam em consideração as cotações mais prováveis, fica sujeito ocorrer preços inferiores a esses. Eu costumo adotar uma sistemática nestes casos: executo em tranches. Sendo assim, vou completar metade nos preços atuais e a outra metade a 1,1100. O stoploss será a 1,1000.


O SP500 fechou a 3.097, com queda de 0,56%; o USDBRL a R$ 5,3105, com queda de 1,25%; o EURUSD a 1,1180, com queda de 0,19%; e o ouro a U$ 1.742, com alta de 1,17%.

Fique ligado!

Um comentário:

  1. Um sistema com inflação de ativos alimentada por bancos centrais generosos é sustentável a longo prazo? Essa é a pergunta de 1 trilhão de dólares para responder se Buffet está superado ou não.

    ResponderExcluir